INFORMACÃO<Guia de raça << COLLIE >>
  

COLLIE: BELEZA E DEVOÇÃO AOS DONOS

O Cocker está entre os cães com maior número de colorações. Ultrapassa quinze.

 
 


Conheça o que faz do Collie um pastor de sucesso e as suas variação de tamanho e cores. Famoso pelo temperamento dócil e prestativo e pela elegância da sua vasta pelagem, este antigo pastor de rebanhos foi moldado para tornar-se um exímio trabalhador dos campos. Com o seu espírito protetor, fundamental para cuidar das ovelhas, o Collie procura sinais de perigo e age de imediato ao identificá-los. Relatos a respeito são comuns, como o de Roberto Ramos Teixeira, criador há 11 anos. "Quando entro no mar minha Collie observa intranqüila e, se demoro, entra na água para me buscar", conta ele. Elegante, o Collie dá passos longos e parece flutuar no trote. Desenvolveu este passo ao trabalhar sem a ajuda de outros cães, necessitando ser mais veloz que as raças que o fazem em grupos, como explica a cinóloga Hilda Drumond. Seus pés ovais, mais longos que os dos cães que os têm redondos, distribuem melhor o impacto da andadura veloz. A expressão doce e inteligente complementa a extraordinária anatomia da sua cabeça, que lhe favorece a visão, audição e olfato. Seus olhos laterais cobrem 270 graus permitindo ver o dobro de área das raças que os têm na frente. Pode avistar de uma só vez grande parte do rebanho e um invasor que venha pelos lados. A orelha em pé, com a ponta levemente dobrada para a frente, é uma concha acústica que capta o menor ruído. O focinho longo e quase reto, com pouco stop (ângulo entre a testa e o focinho) permite perceber partículas rarefeitas de odor vindas de predadores distantes. O tamanho do Collie americano é cerca de 10% maior que o europeu, o que se atribui à vocação americana de dar maior impacto visual ao cão de exposições (veja Tamanho). No Brasil, a maioria dos Collies é de linhagem americana e há um trabalho para adequar a altura ao padrão europeu. "Por mais de 30 anos a maior parte dos cães veio dos EUA. Agora aumentamos as importações da Europa", diz Maria Glória Romero, presidente do Collie Clube Paulista. "Há Collies excelentes em todos os tamanhos. A iniciativa visa uma adaptação às exigências da européia FCI - Federação Cinológica Internacional por parte dos criadores filiados", completa. "A questão do tamanho é de gosto pessoal. Em nenhum dos padrões a altura em desacordo desqualifica o exemplar, apenas tira pontos nas exposições", comenta Gino Ornstein, juiz e criador pelo Canil The Colliedition, São Paulo - SP, filiado à ACB - Associação Cinológica do Brasil, que se baseia nos padrões do AKC - American Kennel Club e mantém o porte maior.

COR DA FAMA


Pergunte à alguém a cor de Collie que primeiro lhe vem à cabeça. A resposta provável será "marrom e branco", oficialmente sable e branco. É o preço da fama. Essa era a cor da inesquecível Lassie e pode-se dizer que ela virou parte do inconsciente coletivo. Mas há outras cores igualmente permitidas. Distinto e sóbrio, o tricolor é preto com branco e castanho . O exótico azul merle desperta a curiosidade com o corpo cinza azulado salpicado de manchas pretas e algumas áreas brancas, além de ser o único em que se aceitam olhos azuis, um de cada cor ou com uma pequena mancha azul em fundo marrom. "Há poucos meses anunciei na Cães & Cia a foto de um azul merle. Foi uma loucura. Várias pessoas queriam um igual e houve quem perguntasse se tinha mistura com Husky Siberiano, devido aos olhos azuis", comenta Christian Guillarducci, do Canil Apolion's, Caieiras - SP. Há ainda o branco aceito somente pelo AKC, com a cabeça e algumas manchas em sable ou azul ou preto e castanho. FICHA Variedade: existe também o Collie Pêlo Curto, diferente apenas no comprimento da pelagem. Tamanho: de 56 a 61 cm (machos) ou 51 a 56 (fêmeas) pela FCI e CBKC - Confederação Brasileira de Cinofilia. De 61 a 66cm (machos) ou 55,88 a 61cm (fêmeas) pelo AKC e pela ACB.

Compra do filhote: para estimar o quão grande ficará, veja os pais. Saber se a linhagem é americana ou européia também ajuda. A trufa (nariz) tem que ser preta; a mordedura é em tesoura e o comprimento da cauda deve alcançar no mínimo a ponta superior do jarrete (calcanhar).

Cuidados: se as orelhas não nasceram com a ponta dobrada, faça um rolinho de esparadrapo e dobre o terço final da orelha sobre ele. Troque quando acabar a aderência, até o cão completar 1 ano.
Para manter a pelagem limpa e sem nós, escove em dias alternados onde é mais comprida, como embaixo da cauda e nas franjas. Faça uma escovação geral uma vez por semana. Dar o mínimo de banhos para não amaciar o pêlo.

Não cruzar: não cruza 2 Collies com o fator genético "merle" - parte da ninhada pode nascer inteiramente branca (double merle) e possivelmente cega, surda e estéril. O fator "merle" está presente: 1. em qualquer azul merle; 2. em alguns sable e branco com pelo menos um acestral azul merle, incluindo todos os filhotes dessa variedade que durante os primeiros 30 dias de vida apresentem manchas cinza azuladas nas orelhas e no rabo e mais alguns outros que não as apresentem.

Para ler:
1. The Complete Collie, do Collie Club of America, Editora Howell Book House, New York EUA
2. O Collie, de Margaret Osborne. Editora Brasels Wallece, Rio de Janeiro - BR.

Agradecemos aos entrevistados e à consultoria da cinóloga Hilda Drumond, inclusive pela revisão deste texto, feita também por Ananilia Vasconcelos do Canil Lochaven, São Paulo-SP e por José Peduti Neto, juíz all rounder da CBKC. Reportagem e redação: Flávia C. Soares. Edição de texto: Marcos Pennacchi Foto: Luiz Henrique Mendes Prop.: Canil Colliedom
Direitos autorais do texto: Cães&Cia, é proibida a reprodução total ou parcial do texto

 
  
conheça também: