Ano 4 - nº 40 
11 de outubro a 2 de novembro/02 
  
O Bandolim em foco

por Laura Campanér
laura.campaner@bol.com.br

Hamilton de Holanda
"De Todos os Choros"

"De Todos os Choros", o mais recente trabalho do bandolinista Hamilton de Holanda, transcende a linguagem tradicional do choro, incluindo temas como o "Samba do Grande Amor"(Chico Buarque), "Boto" (Tom Jobim/Jararaca) e "Baião Malandro" (Egberto Gismonti).

Hamilton filtra seu repertório, que inclui também os sucessos consagrados como "Carinhoso" (Pixinguinha/João de Barro) e "Vibrações" (Jacob do Bandolim), com maturidade que vai muito além de seus 26 anos completados em março deste ano, com uma execução de alto grau de virtuosismo e excelente concepção instrumental.

Seu som vigoroso, que explora também os graves de um bandolim feito especialmente com uma quinta corda grave, conta com a colaboração em arranjos e execução de Marco Pereira (com quem Hamilton gravou o álbum "Luz das Cordas"), para "Boto" e "Teatro da Natureza" (Marco Pereira/Aldir Blanc), do Conjunto Época de Ouro na música "Vibrações" e do Quarteto de Violões Maogani, na faixa "Menino Hermeto", composta por Hamilton.

É um trabalho que fala "De Todos os Choros", inclusive de gêneros musicais que não fazem parte da classificação geral do que seja o choro, como o baião "Asa Branca" (Luiz Gonzaga/Humberto Teixera), em que Hamilton faz uma leitura voltada para a linguagem do jazz.

Atualizando a estética do choro de maneira ampla, bastante sintonizada com o presente, Hamilton de Holanda insufla, com sua extrema musicalidade, renovação e beleza à arte de tocar o bandolim.

Fale com Hamilton de Holanda:
hamiltomdeholanda@wanadoo.fr
2ouro@persocom.com.br

"De Todos os Choros"
Hamilton de Holanda
Velas
www.gravadoracaravelas.com.br

 

Renato Anesi
"Rosa dos Tempos"

Estreando em disco solo como compositor, o multi-instrumentista Renato Anesi, traz sua versatilidade nas cordas do bandolim, do cavaquinho, do violão requinto, do tenor e da viola caipira, para mostrar temas inspirados nos "ares" por onde andou ou, como ele mesmo define: "as composições que gravei tem as cores de alguns lugares que estive".

O trabalho, batizado de "Rosa dos Tempos", conta com a participação do baixista Zeli, do violonista Marcos Ribeiro e do percussionista Beto Sodré, numa cúmplice união musical.

São temas de melodias delicadas, como o choro "Pra Ninar" (solo de requinto e bandolim), a balada "Verdes Ondas" (solo de viola caipira e cavaco) e a cantiga com forte influência flamenca "Antigas Cidades" (solo de bandolim e de viola caipira), explorando quase sempre a sobreposição de timbres e o entrelaçamento das vozes dos diversos instrumentos que domina.

Renato Anesi também mostra sua verve para o choro tradicional em "Abraço" (solo de bandolim), num tema com estrutura e linguagem típica do regional do choro, com um ligeiro espaço para a improvisação.

"Rosa dos Tempos" desfia um "rosário" de temas intrínsecos a natureza "andarilha" de Renato Anesi, de sua busca incansável por novos timbres, por sons que possam traduzir a universalidade de sua música.

"Rosa dos Tempos"
Renato Anesi

Gravadora Por do Som
www.pordosom.com.br
contato@pordosom.com.br

CAPA BORAGE