Ano 4 - nº 42 
11 de Fevereiro a 2 de Março/03 
  
César Camargo Mariano, Romero Lubambo, Wagner Tiso e Zeli

por Laura Campanér
laura.campaner@bol.com.br

"Duo" - César Camargo Mariano & Romero Lubambo

Requinte musical e perfeita execução é uma das inúmeras definições que podemos fazer para descrever o CD "Duo" do pianista César Camargo Mariano e do violonista Romero Lubambo, tamanha é o matiz que ele nos proporciona.

O Duo é de tal forma "bem casado", que surpreende e quebra o mito que ronda a formação camerística do piano & violão, conhecida pela dificuldade em acomodar a linguagem harmônica e melódica própria de ambos.

Está é uma característica que preocupa todos os músicos que se enveredam pela tarefa de unir estes dois instrumentos, como confirma o depoimento de César Camargo Mariano presente no encarte do disco: "as dificuldades de um duo (piano e guitarra acústicos) são muitas. Além de ficarmos muito expostos como solistas e acompanhantes, precisamos ficar atentos às dinâmicas, combinações sonoras e harmônicas. Começamos a montar um repertório, com a preocupação de, apesar da rigidez e organização dos arranjos, dar um formato mais simples, solto e espontâneo às exposições dos temas".

E é exatamente esse o resultado sonoro da união desses dois grandes mestres e instrumentistas: os temas são apresentados com simplicidade e beleza, num diálogo musical que tem muito do respeito profissional e da amizade existente entre os integrantes do Duo, que nasceu dentro de um quarteto formado em 95 e chegou ao seu primeiro concerto oficial em 98, no "Birdland " em N.Y., fazendo em seguida shows no Japão, EUA, Europa e Brasil.

"Duo" traz músicas compostas originalmente com letras, como o "Samba Dobrado" (Djavan), por vezes "bluesado" e "Fotografia" (Jobim) e outras estritamente instrumentais, como "Choro #7" (C.C.Mariano) e "O Que É o Que É" (C.C.Mariano/Márcio Moreira/Sérgio Augusto), este um samba como a batida swingada do violão de Lubambo, que também assina o "baião quase xaxado" e jazzado "Mr. Jr.".

A música "Fotografia" - que começa com um solo dobrado em oitavas no violão e segue para o piano de Mariano - talvez seja a que melhor sintetiza a sutileza da dinâmica na interpretação, a riqueza dos arranjos e a mescla bem dosada entre "tema x improviso", proposta pelos dois músicos.

A desconstrução quase que total do tema "Wave" (Jobim), que em "Duo" aparece em pequenas células de melodia, carregando apenas lampejos de lembrança do tema original (numa releitura bastante distante dos arranjos tradicionalmente feitos para essa canção), é a surpresa final que reserva este excelente trabalho musical.

"Duo"
César Camargo Mariano e Romero Lubambo
Trama http://www.trama.com.br

 

"Baobab" - Wagner Tiso

De uma velha e gigantesca árvore, o Baobab, venerada pelas tribos das savanas africanas e poderosa fonte de alimento, o pianista, arranjador e compositor Wagner Tiso fez sua "fonte" de inspiração para compor o CD "Baobab".

A música que dá nome ao disco tem a participação do cantor Salif Keita, que também assina, em parceria com Wagner Tiso as músicas "Raiz I, II e III".

"Baobab" é uma viagem por um amplo universo musical, que vai desde o estilo flamenco do violonista Vicente Amigo, na faixa "Estação Madriz" (Wagner Tiso e Vicente Amigo), passando pela balada-rock "Romance Ocidental" (W. Tiso) e pelo quase prelúdio "Planeta Amazonas" (W. Tiso) até chegar na inesperada participação de Cássia Eller na experimental "Totem" (W. Tiso/ Maurício Gaetani), um tema que descreve em sons o ambiente místico dos rituais.

"Baobab" é um disco onde a música salta de seu plano primeiro, o instrumento, para que os sons possam dar asas à imaginação.

"Baobab"
Wagner Tiso

Visom / distribuição Ouver
http://www.visom.com

 

"Voando Baixo" - Zeli

O que poderíamos pensar, num primeiro momento, de um disco autoral de um contrabaixista? No mínimo que vamos encontrar longos improvisos de baixo na maior parte do tempo. Pois com Zeli não é bem assim.

O baixista e compositor Zeli, conta com um quarteto formado por Renato Consorte (violão), Vitor Alcântara (sax), Gil Reys (piano) e Edu Ribeiro (bateria), para expor seus temas inspirados, como "Voando Baixo", que dá nome ao trabalho.

Além de suas músicas, Zeli gravou outras de compositores consagrados como "Carinhoso" (Pixinguinha/João de Barro), este sim, maior momento de exposição do músico e de seu instrumento, pois aqui o baixo canta e acompanha ao mesmo tempo, sem perder espírito, por si só, singelo e delicado da famosa melodia.

Outro ponto de destaque é a música "Corra e Olhe o Céu" (Cartola/Dalmo Castello), onde Zeli divide a tarefa de solista com o sax tenor de Vitor Alcântara e o clarinete de Gil Reys. Também em "Estrada Branca" (Jobim/V.Moraes), Zeli faz contracanto com a guitarra de Marcelo Gomes.

Entre as composições de Zeli, "Suite" é o tema mais representativo de seu trabalho, que passeia por diferentes ritmos, num "caldeirão de temperos" com gosto bem brasileiro.

Neste tema em particular, que conta com a diversificada "cozinha" do percussionista Eduardo Contrera, mistura o balanço "bossa-nova-bolero-rumba" de suas congas, com um "maracatu-ponteio" que mostra em Zeli, uma forte influência jobiniana. Destaque para a participação de Daniel Allain (flauta em G) e Daniel Alcântara (flugelhorn).

"Voando Baixo é um disco inspirado que homenageia a música em si mesma, algo como o que Zeli descreve no encarte do CD: "a musa que amansa as almas e nos dá sentido".

Fale com Zeli:
Zebs@uol.com.br

"Voando Baixo"
Zeli

Lua Discos / MCD
http://luadiscos.com.br

CAPA BORAGE