Abaixo o frizz

Escova nutritiva e cauterização são ótimas opções para acabar com os fiozinhos arrepiados. Produtos com ativos umectantes também.

CUTTING ROOM CREATIVE
É VERDADE QUE o cabelo cacheado, grosso ou poroso tem maior probabilidade de ter fios rebeldes. No entanto, quem freqüentemente usa química ou precisa de chapinha e secador, também deve se preocupar. “No último caso, o ideal é sugerir a utilização de produtos termoativos, com filtro solar”, orienta Marly Nades, responsável pelo desenvolvimento e parte técnica da Kenwee Cosméticos. “O calor desgasta a cutícula, deixando as madeixas ressecadas e desidratadas, propiciando o aparecimento do frizz”, completa. Para mulheres que não passam um mês sequer sem lançar mão de procedimentos químicos, os tratamentos reconstrutores tais como hidratação, escova nutritiva ou cauterização são imprescindíveis. “Em contato com a química, a cutícula capilar abre, surgindo o arrepiado. Se não for devidamente tratado, com o tempo, o cabelo perde queratina e quebra com facilidade, piorando a aparência e a quantidade dos fios rebeldes”, ressalta Marly. “Por isso, aconselho quem faz escova progressiva ou relaxamento a evitar o rabo-de-cavalo, especialmente com elásticos, pois os métodos contribuem para a perda de elasticidade e deixam os fios frágeis”, ensina. Já para as mulheres que fazem uso freqüente de coloração, o ideal é usar sempre uma ampola de tratamento logo após a tintura. Para domar o arrepiado deve-se evitar a todo custo produtos com álcool ou pH alcalino. “Deixe os xampus anti-resíduos e de limpeza profunda de lado. Prefira os ricos em aminoácidos e com ação hidratante”, orienta Wagner Ramos, do salão Always Cabeleireiros, em São Paulo. Os cosméticos com ação antifrizz, indicados para manutenção em casa, são bem-vindos. “Ao fazer um procedimento, ofereço à cliente a linha de cuidado complementar da mesma marca utilizada no salão”, diz Marly. “É importante o profissional explicar a causa do frizz, as maneiras de combatê-lo e tratá-lo. Assim, conscientizamos os leigos sobre a importância dos cuidados diários, a ida freqüente ao salão e a aquisição de produtos de boa qualidade”, reforça Luciana Alvarez, cabeleireira e proprietária do Scenario Cabeleireiros, em São Paulo. Segundo a especialista, o tipo de corte não influi no problema. “Muita gente acha que a navalha deixa um aspecto espigado, mas isso só acontece se estiver envelhecida e sem corte”, alerta. “É importante, também, analisar os fios antes do procedimento. O profissional precisa estar atento à qualidade do trabalho, não apenas fazer a vontade da cliente”, opina. Outro conselho é ficar de olho nos ativos descritos nas embalagens. Oligoelementos, macadâmia, buriti, cupuaçu, extrato de pêssego e silicone são umectantes e hidrantantes, portanto, muito eficazes no combate ao arrepiado. Para os fios não ficarem pesados, utilize apenas três gotas de silicone no cabelo todo ou o equivalente a uma moeda de 50 centavos de leave-in com ação anti-frizz. E se a cliente reclama da oleosidade, o correto é optar por um produto mais leve e aplicar somente nas pontas. “Para testar, espalhe uma pequena quantidade nas costas da mão. Se ele não penetrar na pele após 10 minutos, pode ter certeza de que contribuirá para agravar o problema”, explica Marly.

Fernanda Allegretti

1 2 »
publicidade
publicidade