Guanidina sem enrolação

O alisamento feito com ela aceita coloração? Quando é possível fazer relaxamento com outro ativo? As maiores dúvidas são esclarecidas aqui.

Divulgação
É POSSÍVEL RELAXAR UM CABELO COM GUANIDINA E APLICAR A ESCOVA INTELIGENTE NO MESMO DIA?

Segundo Camila Cerdeira, da K.Pro, não há razão para isso, principalmente se a ideia for utilizar substâncias agressivas à saúde como o formol. Sem falar que a sobreposição de componentes
pode sobrecarregar os fios, resultando em quebra, ressecamento e até queda. A cabeleireira Jô Nascimento, de Limeira (SP), é da mesma opinião. “Se usar um cosmético de qualidade e com base adequada ao tipo de cabelo, não há necessidade de empregar outro processo químico para potencializar o resultado, pois o alisamento já será satisfatório”, comenta.

A TRANSFORMAÇÃO COM GUANIDINA É MAIS LENTA EM RELAÇÃO ÀS OUTRAS BASES ALISANTES?

Conforme a química Rosemeri Micheluzzi, da Avlon, o hidróxido de guanidina age mais devagar que os outros porque contém moléculas maiores. “Apesar disso, atinge o mesmo patamar dos demais produtos, desde uma abertura de cachos até um alisamento perfeito”, completa. Já comparado ao tioglicolato de amônio, ela age mais rápido, pois seu pH é maior.

A GUANIDINA PODE PROVOCAR ALTERAÇÕES
NA PIGMENTAÇÃO DOS FIOS?


“De todos os processos de relaxamento tradicionais, ela é o que menos interfere na cor, seja na resistência do cabelo artificial ou natural. Mas, dependendo, ele pode ficar opaco”, explica Camila Cerdeira. Segundo a química da K.Pro, a opacidade está ligada diretamente à qualidade do produto e à porosidade da fibra. “Se não for bem enxaguada, a substância deixa como subproduto o carbonato de cálcio, ou gesso, que enrijece os fios”, alerta. E caso o grau de ressecamento seja grande, eles se tornam ainda mais porosos. “Nesse caso, até sem química haverá um clareamento nas pontas e perda de pigmentação e sedosidade”, completa
o cabeleireiro Wagner Ramos.

Françoise Gregório

1 2 »
publicidade
publicidade