Reportagem
edição 109 - Março 2005
Mechas para todas
Responsáveis pela maior parte da procura de serviços nos salões europeus, as mechas conquistam cada vez mais brasileiras
por Danielle Mora
Cor de chá. O marrom frio contrasta com as mechas louras na balayge assinada pelo francês Jean-Claude Biguine
Balayage, luzes, reflexos, strong (bem marcadas), sun kissed e californianas (que imitam o efeito causado pelo sol). O nome, a técnica, a espessura e a cor escolhida para as mechas podem variar, mas a intenção é sempre a mesma: iluminar o visual, que por sua vez torna-se único, personalizado. Há muitas outras vantagens: elas rejuvenescem, ajudam a disfarçar os primeiros fios brancos, dão movimento, complementam o corte, destacam camadas ou o efeito desfiado.

O visual à la Gisele Bündchen, com mechas grossas no comprimento e nas pontas, é o look do momento. "Ficam ótimas em mulheres arrojadas e com personalidade marcante, que não têm medo de dizer \\'eu faço, não nasci assim\\'", diz Roberto Aros, diretor técnico da MedaVita no Brasil. Outra especialista, Janaína Bogado de Oliveira, técnica da Keune, só não aconselha as muito largas para quem tem pouco volume. "Fica desproporcional." Também estão em alta mechas em forma de figuras geométricas, como estrela, diamante, ziguezague, triângulo e meia-lua. "O resultado no cabelo solto é sensacional", diz Roberto. Segundo ele, a individualidade tornou-se a palavra-chave quando o assunto é cabelo. Mechas são a técnica que o cabeleireiro precisa para deixar cada cliente com um visual exclusivo, com cara de só seu.

À francesa

A rede francesa Jean-Claude Biguine sugere para os próximos meses uma balayage chá fumegante. A técnica consiste em traçar mechas largas sobre as quais se deposita uma cor ligeira e transparente com pigmentos em marrom frio para dar novamente forma, brilho e contraste aos fios. A tendência garante sofisticação, não importa o comprimento.
Divulgação: Jean-Claude Biguine / Elias
Intensidade: O preto profundo em mechas grossas destaca-se sobre o louro bem claro.
Reflexos marcantes é a proposta de outro salão francês, o do coiffeur Alexandre Zouari, um dos mais chiques de Paris. A idéia é dar originalidade ao look com técnicas de contraste que utilizam de um a dez tons, os quais devem combinar com o estilo de vida da cliente. O marrom joga com nuances de vermelho, azul e violeta; já o louro, com beges, amarelos e dourados. O processo é feito propositadamente com colorações temporárias. A cor esvanece à medida que se lava o cabelo, que ganha um efeito ao qual o cabeleireiro dá o nome de "esfumado".

Recém-chegada de Paris, a colorista Brigitte Revollo diz que é moda entre as francesas as pontas ultraclaras. O tom sobre tom cede lugar a um contraste mais moderno. Até mesmo o castanho-escuro ganha um dourado nas extremidades, em vez das tradicionais nuances de mel ou caramelo. Em suas clientes, as quais atende na Maison Esmell, no Rio de Janeiro, a cabeleireira boliviana já aposta na tendência. Ela faz mechas que vão clareando da raiz até chegar às pontas, claríssimas. Para obter o efeito, usa a plaquete em toda a extensão dos fios e, apenas nas pontas, acelera o clareamento com papel alumínio. O expert em coloração Marcos Proença, do Studio W Iguatemi, em São Paulo, também é adepto do degradê da raiz às pontas. "A maioria das clientes não quer mais aquele efeito artificial", diz. Um truque é adequar as mechas ao comprimento: para curtos, luzes no topo da cabeça; nos médios, elas aparecem no alto, mantendo as laterais e a nuca mais escuras; nos longos, ficam na parte frontal e no contorno do rosto. "As pontas devem ser sempre mais claras", lembra Marcos Proença.
Divulgação: Jean-Claude Biguine / Elias
Contraste:Na criação de Zouari, vários tons de marrom mesclam-se ao louro para produzir reflexos difusos
Tom sobre tom

Terracota com vermelho, açafrão sobre dourado, ametista com castanho e madrepérola sobre louro-claríssimo são as combinações da moda.
Há, ainda, quem aposte casar a coloração ao estilo, à fase da vida e ao cabelo de cada uma. "Mulheres de estilo jovem e infantil devem apostar em mechas suaves, que lembram a natureza: mel, dourado, bege, terra e café. Já as de espírito rebelde e ousado podem aderir a contrastes mais intensos, como vermelho e preto, louro e prata ou prata e preto", explica Roger Lluzar, diretor técnico da Wella Brasil. "As apaixonadas podem optar por cores radiantes, fortes e sensuais, como cobre e vermelho, e nas pragmáticas ficam melhores os reflexos não muito contrastantes com a base."
Divulgação: Jean-Claude Biguine / Elias
Strong:As mechas escuras e bem marcadas dão textura ao corte de base irregular assinado por Alexandre Zouari
Toques do retoque

Um dos segredos para que as mechas continuem bonitas e em destaque mesmo depois de meses é acertar no retoque. Não é fácil pegar os mesmos fios com o cabo do pente e colorir apenas a parte crescida da raiz. Por isso, muitas vezes o contraste desaparece e o cabelo ganha uma cor única ou manchas sem definição. O pulo-do-gato é fazer mechas grossas. "São mais fáceis de retocar do que as finas porque permitem pegar exatamente os fios coloridos anteriormente", lembra Alexandre Peres Coelho, da área de Pesquisa e Desenvolvimento da marca Santantônio. O cabeleireiro Marcos Proença ressalta que, quanto mais distante a mecha estiver da raiz, maior o intervalo entre um retoque e outro. Assim, reflexos bem próximos do couro cabeludo só devem ser feitos em clientes que vão ao salão com bastante freqüência.

Para retocar as mechas em forma de figuras geométricas, o profissional deve conhecer muito bem sua técnica. "Minha dica é fazer reflexos com até três cores (uma clara, uma média e uma escura) e seguir o mesmo trio, intercalando com fios naturais, até contornar todo o cabelo", conta Roberto Aros.
© Duetto Editorial. Todos os direitos reservados.