Clique aqui e assista entrevistas em vídeo
 

 

 
Carreiras & Gestão

Homem também pode receber pensão da ex-mulher

Desde que a Constituição Federal de 1988 instituiu direitos iguais entre homens e mulheres, ficou estabelecido que qualquer um destes pode requerer a divisão de bens ou a pensão alimentícia ao outro, estejam eles em uma relação matrimonial ou convivendo em uma união estável.

Assim como a mulher, o homem pode sim reclamar seus direitos em relação à pensão alimentícia prestada pela mulher. Isso é o que se entende quando lemos o artigo 1694 do Código Civil:

“Art. 1.694. Podem os parentes, os cônjuges ou companheiros pedir uns aos outros os alimentos de que necessitem para viver de modo compatível com a sua condição social, inclusive para atender às necessidades de sua educação.”

“Não se pode negar o movimento feminista dos últimos tempos. As mulheres, quando antes não tinham o devido respaldo da sociedade, hoje são respeitadas e com o devido merecimento. Todavia, na mesma ótica dos direitos estão os deveres. Não basta conquistar as prerrogativas elencadas pelo feminismo, é preciso aprender sobre os deveres que também sucedem essa conquista.”, diz o advogado Otávio Andere.

Como se define quem paga pensão

As decisões sobre alimentos são pautadas no que chamamos de binômio necessidade/possibilidade. Ou seja, antes de ser arbitrado o direito, por exemplo, de uma mulher a receber alimentos de seu ex-marido, o juiz de direito analisa a real necessidade dela na mesma proporção em que analisa a possibilidade do ex-cônjuge em fornecê-los.

Caso ela tenha uma profissão e receba um salário, dentre outros fatores, não é vista a necessidade de receber pensão alimentícia. Já se a ex-esposa dedicou a vida ao marido, à família e aos filhos e não tem mais como exercer uma atividade profissional, aí são devidos os alimentos.

Da mesma forma aplica-se a lei ao homem que dedica sua vida a cuidar do lar, da família e dos filhos, não tendo mais condições de ingressar em um mercado de trabalho. Cabe a ele, todavia, demonstrar isso em juízo. Deverá ainda comprovar os rendimentos da ex-mulher.

“Em termos práticos, não é incomum nos dias de hoje, a mulher trabalhar enquanto os homens cuidam da casa e dos filhos, ou ainda a mulher ser responsável pela maior parte dos gastos, por ganhar mais que o marido. E é sob esse prisma que entram os direitos aos alimentos requeridos pelos homens.”, diz Otávio.

O homem poderá requerer alimentos à mulher, desde que comprove sua insuficiência para se recolocar no mercado de trabalho, ainda que temporária. Nesse caso, há a possibilidade da sua ex-mulher lhe prestar os alimentos.

Otávio Andere é advogado da área empresarial e de família,especialista em Direito Imobiliário, pós-graduando em Direito Tributário na Faculdade Getúlio Vargas. Membro da Associação dos Advogados de São Paulo e da Ordem dos Advogados do Brasil. Sócio do escritório Andere Neto Advocacia.

Clique Aqui e Veja Mais Carreiras & Gestão
Leia as Últimas Notícias


 

Nesta Edição

Boletim Trevisan

Veja as análises política e econômica da semana

Notícias de Empresas

Honda Automóveis teve alta de 20% em emplacamentos no semestre

Complex anuncia a compra da DPSYS

Indústria do plástico fechou semestre no vermelho

Carreiras & Gestão

Na Biosintética tem cinema, biblioteca e cursos

Notícias do Executivo Júnior

CPTM abre suas estações para novos talentos

Rhodia recebe inscrições para estágio

Spress Informática abre 15 vagas em BH

Pesquisas

Lobby da indústria sai da toca e obtém sucesso

Lazer & Turismo

Hopi Hari preparou atrações para todas as idades nas férias

Livro

Livro usa a teoria econômica para decifrar o cotidiano

Cursos & Seminários

Curso aborda a prática da metodologia Seis Sigma

Artigos

Nós, mulheres

Compras

Tissot lança edição limitada do relógio MotoGP 2005