Poluição veicular em SP eleva risco de doença respiratória

02-08-2010

Os poluentes emitidos por veículos na cidade de São Paulo aumentam as chances de crianças e adolescentes até 18 anos serem internados por doenças respiratórias. Estudos da Faculdade de Saúde Pública (FSP) da USP indicam que há uma relação direta entre o aumento das possibilidades de jovens desenvolverem essas doenças e a localização de sua residência em locais de grande circulação de veículos. Isso acontece porque nessas áreas são maiores as concentrações de óxido de carbono (CO), óxidos de nitrogênio (NOx) e materiais particulados (PM).

A pesquisa da bióloga Giovana Iara Ferreira Moser de Toledo teve a orientação da professora Adelaide Cássia Nardocci, do Departamento de Saúde Ambiental da FSP. O estudo divide as concentrações de poluentes em quatro níveis, denominados quartiis. O primeiro é o menos poluído — até 25% de concentração de poluentes — e o quarto é o mais poluído — mais de 75% de concentração de poluentes. Verificou-se que nas áreas mais poluídas, entre elas a região central do centro expandido de São Paulo, o risco de jovens serem internados por doenças respiratórias é maior.

Além disso, as chances de internação são diferentes para os períodos de inverno e verão. No quartil mais poluído, as chances chegam a 78% no inverno, ante 45% no verão. A diferença entre as estações também é verificada nas áreas menos poluídas. Nestas, no inverno, a chance de internação é de 56%, enquanto no verão é de 21%. Segundo Giovana, nos dois períodos a poluição é maior onde o tráfego de veículos é mais acentuado, porém, no inverno, as internações são mais frequentes em função das características de temperatura e regime de chuvas, que dificultam a dispersão de poluentes.

A pesquisa também verificou a maior probabilidade de internação de acordo com piores condições socioeconômicas dos jovens. De acordo com Giovana, uma explicação para isso pode ser o fato de pessoas mais carentes procurarem hospitais quando já estão em fase mais avançada da doença. Pessoas com melhores condições financeiras, entretanto, podem tratar a doença antes de seu quadro clínico tornar-se grave e necessitar de internação. “Nesta área de estudo, a população de menor nível socioeconômico também está predominantemente localizada no entorno de vias de alto tráfego e, portanto, a relação com a poluição tem um peso grande.”

Avaliação

O estudo de Giovana difere de outros já existentes, pois analisou de maneira detalhada as quantidades de poluentes emitidos por veículos em cada área da cidade. Os 2.499 setores censitários da cidade de São Paulo, demarcados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), foram analisados e distribuídos entre os quartiis, ou seja, houve uma avaliação em micro-escala da relação entre os poluentes veiculares e a saúde da população.

“Estudos antigos analisavam a poluição de maneira mais abrangente”, declara Giovana, que completa: “Com um estudo mais detalhado você pode definir áreas prioritárias para intervenção, levando em conta não só a fluidez do trânsito, mas também a saúde da população do entorno.” (Agência USP de Notícias)

Mais informações: e-mail giovanamtoledo@usp.br

Links úteis aos usuários

Clique aqui e compare preços de produtos e serviços de contabilidade

Clique aqui e compare preços de centenas de produtos

Matérias relacionadas

- Poluição de SP facilita entupimento das artérias

- Religião e esporte reduzem esgotamento profissional

- Atividade física no trabalho não reduz sedentarismo

- Adequar-se ao sono do funcionário pode engordar o lucro

- Aprenda a usar o notebook e evite problemas de saúde


Leia também outras matérias da seção Carreiras & Gestão:

- Quem tem bagagem vai mais longe na carreira

- Capital social amplia a empregabilidade, diz consultor

- Terapia popular favoreceu surgimento de novas profissões

- Especialistas dizem como o jovem pode escolhar uma carreira

- Estudante cotista prefere concurso a enfrentar mercado

- Boa conduta em reuniões ajuda a carreira do funcionário

- Como saber se chegou a hora de trocar de emprego

- Mídias Sociais facilitam trabalho da geração Y, diz especialista

- Confira regras para uso seguro das redes sociais no trabalho

- Compra de imóvel usado exige alguns cuidados

- Trabalhar em casa pode dar certo. Confira dicas

- Estudo mostra como será a nova TI Corporativa no país

- Evite as gafes mais comuns no trabalho e suba na carreira

- Como evitar os 10 erros mais comuns em entrevistas e dinâmicas

- Confira 10 erros cometidos por pequenas e médias empresas

- Saiba como se comportar no primeiro emprego

- Estudo traça diretrizes para internacionalização de empresas

- Saiba como a gestão do conhecimento transforma as empresas

- Mulher se perde na gestão do tempo e dos objetivos

- Diversidade na empresa deve ir além de sexo e raça

- Especialistas falam sobre uso da minissaia no trabalho

- Mercado de trabalho aquecido embute armadilhas

- Saiba o que muda com o registro eletrônico de ponto

- Impostômetro chega aos R$ 700 bilhões 41 dias mais cedo que em 2009

- Sistema permite rescisões de contrato de trabalho pela internet

- Novas regras para Seguro de Acidente de Trabalho entram em vigor em setembro

- Estabelecimentos comerciais são obrigados a ter cópia do Código de Defesa do Consumidor

- Receita Federal prepara malha fina eletrônica para empresas

- Prazo para empresa se habilitar à emissão de nota fiscal eletrônica termina no fim do ano

Clique Aqui e Veja Mais Carreiras & Gestão
Leia Todas as Últimas Notícias