30-11-1999
COUNTRY OS BRANCOS

(Carlos Melo / Lizoel Costa)

Meu sonho era ir pro velho Oeste
Dar uns tiros de pistola e de canhão
Fazer tudo o que o John Wayne fazia
Com as filha dos cacique valentão
Meu sonho era ser um texano
Dos bem bacano, o xerife mais temido
Daqueles que chega em casa e beija o cavalo
E na muié finca um tapão no pé do ouvido
Me lembro dos meus tempos de pixote
Nóis ia no cinema de domingo
Pra ver aqueles filme engajado
Dólar furado, Bat Masterson e Ringo
O Rin-Tin-Tin era um big de um artista
Era racista, só mordia as indiarada
Porque nos filme bang-bang que se preza
Pele-vermelha sempre vira carne assada
Tirei passaporte pro Arizona
Meu sonho ainda era ser caubói
Quando cheguei nos Estados Unidos
Fui recebido com as honra de um herói
Xerife me deu um revólver de prata
E disse: "Mata, quantos índio o siôr quiser
Porque aqui o cabra que matar mais índio
Tem por troféu a mais formosa das muié!"
Fui dando tiro a torto e a direito
Matei uns dez indígenas medonhos
Casei com um muierão de sete parmo
Depois mais carom, vi que tudo era um sonho
Eu nunca fui caubói no Arizona
Tô em Rondônia faz uns quatro mês ou mais
Não devo nada pros caubói que tem no Texas
Pois ando armado, a serviço da Funai

 
 
Veja também:

Crônicas
O Caseiro do Presidente
Aboboral
Limeriques e Casteliques
Letras
Privadas do Mundo
Nestor & Laika
E-mails dos Leitores

Castelorama - Home page

Fale com Castelo

 
 

Crônicas  O Caseiro do Presidente  Aboboral  Limeriques e Casteliques  Letras  Privadas do Mundo  Fale com Castelo