• D-mulher
Uso de enzima ‘derrete’ gordura
localizada, sem riscos de cirurgia

ESTÉTICA — Para médico, o Lipostabil é indicado para pequenas áreas de gordura; mau uso pode causar danos



O cirurgião plástico Victor Panebianchi Filhos mostra medicamentoCom apenas algumas injeções, um número cada vez maior de mulheres (e até alguns homens), consegue reduzir gordurinhas localizadas. As aplicações são feitas usando uma enzima chamada fosfatidilcolina. O produto é mais conhecido como “Lipostabil”, nome comercial da marca italiana que chegou ao Brasil em meados da década de 90.
Por ser uma enzima presente no organismo, em tese praticamente não há riscos de incompatibilidade. O Lipostabil tem o poder de quebrar as placas de gordura das células e dissolvê-las nos vasos sanguíneos. Depois da aplicação, a gordura aos poucos é eliminada pela urina.
“A substância faz com que a célula de gordura murche. Por esse motivo, diminui as medidas e ajuda a modelar o corpo”, explica o cirurgião plástico Victor Panebianchi Filho.
O tratamento acontece através de uma série de picadas da injeção com o Lipostabil, com uma pequena agulha (pouco mais de um centímetro de comprimento) na camada de gordura — entre a superfície da pele e o músculo. Não é necessário anestesiar a região.
“É como se fosse uma injeção comum. A diferença é o líquido aplicado”, esclarece o cirurgião.
Nos dias seguintes à aplicação, a área tratada pode ficar um pouco dolorida e apresentar hematomas, que somem em poucos dias. Neste período, o cirurgião plástico Panebianchi aconselha os clientes a usarem uma malha compressiva na área onde foi injetada a enzima e não tomar sol — que poderá manchar a pele no local dos possíveis hematomas.
Em média, são necessárias de quatro a seis sessões, cada uma com aplicação de duas a três ampolas (de 5 mililitros) da substância. Cada sessão custa aproximadamente R$ 130,00. “Após o término destas sessões, se a paciente ainda tiver interesse de fazer outras aplicações, terá de aguardar pelo menos quatro meses para dar um descanso ao organismo”, indica o cirurgião plástico.
Contra-indicação — A única contra-indicação feita por Panebianchi é para pessoas que têm cirrose hepática, pois a substância é tóxica para o fígado quando aplicada de forma exagerada ou inadequada. “Por isso, eu aconselho a dar um intervalo de pelo menos quatro meses após a primeira série de sessões”, justifica o cirurgião.
O Lipostabil é usado com mais freqüência no abdômen, nos pneuzinhos da barriga, costas e culote. “Mas também pode ser usado para retirar a bolsa de gordura abaixo dos olhos, na papada e em qualquer parte do corpo onde tiver gordura localizada”, informa Panebianchi.
Para a manutenção dos resultados, é importante ter disciplina. Panebianchi aconselha as mulheres a associarem o Lipostabil a uma dieta equilibrada, exercícios físicos, drenagem linfática e, em alguns casos, à lipoaspiração.
Ao contrário do que muito pensam, o cirurgião diz que o Lipostabil não substitui a lipoaspiração. “A aplicação do Lipostabil tem um resultado ótimo para pequenas regiões. É para aquela gordura localizada que, às vezes, só a malhação não resolve. A lipoaspiração é para áreas maiores”, ratifica o cirurgião.
A diferença entre o Lipostabil e a lipoaspiração é de que o primeiro age murchando a célula de gordura — ela não é retirada. Não há uma intervenção cirúrgica, é um tratamento rápido e relativamente simples.
A lipoaspiração é uma cirurgia para a retirada de células de gordura. “Pode acontecer da cliente voltar a acumular gordura em outras células e, com isso, irá ganhar peso novamente”, alerta.
Mesmo na lipoaspiração, há um limite de gordura que pode ser retirado. De acordo com Panebianchi, uma pessoa de 1,70 metro, por exemplo, pode retirar no máximo de 3 litros a 4 litros de gordura, o que equivale a aproximadamente 3 quilogramas (variável de um organismo para o outro).
Para não pôr em risco a saúde e conseguir os resultados esperados, é importante a busca por profissionais capacitados. “Apesar de ser uma aplicação simples, é importante que a pessoa procure um médico especialista ou uma dermatologista para fazer a aplicação. Caso contrário, poderá correr riscos ou não ficar plenamente satisfeita com o resultado”, alerta Panebianchi.
Pacientes dizem aprovar
a injeção que ‘emagrece’

As arquitetas Carla Umezu e Alessandra Serrano aprovaram o LipostabilAs arquitetas Carla Umezu, 32, e Alessandra Serrano, 32, fizeram cinco sessões de aplicação de Lipostabil com o cirurgião plástico Victor Panebianchi Filho. As amigas perceberam diferença no corpo nos dias seguintes. “Perdi dois centímetros da cintura. Agora coloco biquínis sem traumas”, confessa Carla.
A arquiteta Alessandra Serrano, 32, aplicou Lipostabil na região da axila e na parte superior atrás das coxas. “Minhas roupas ficaram mais folgadas”, comentou.
Alessandra já havia pensado em fazer lipoaspiração, mas tinha medo por ser uma cirurgia. “Optei pelo Lipostabil, uma solução menos radical”, considera.
As duas arquitetas costumam praticar exercícios físicos regularmente, principalmente tênis. Elas gostaram tanto do resultado que pretendem fazer novas aplicações.
A vendedora Márcia Regina Beltrami, de Ourinhos, fez duas aplicações de Lipostabil com a médica Flávia Jardim. Apesar de ter sido aconselhada pela médica a fazer seis aplicações, ela já considerou o resultado ótimo. “Em pouco tempo notei bastante diferença”, conta Márcia. “Não há milagre. Vou precisar me cuidar para manter o resultado”, diz.
Márcia admite ter usado o Lipostabil por não gostar de dieta e e malhação. “Tenho preguiça de fazer exercícios e não me animava a fazer regime. O Lipostabil resolveu este problema e até me incentivou a me cuidar mais. Só aconselho àqueles que tiverem interesse em fazer esse tratamento a procurarem especialistas de confiança. Acho que por isso o resultado foi tão bom comigo”, disse.