• Região
Evitar proliferação do mosquito
é a melhor maneira de prevenir

SAÚDE PÚBLICA



Medidas simples podem ajudar a prevenir a ocorrência da leishmaniose na cidade. Segundo a dermatologista Ana Lúcia Beltrame, a melhor forma de prevenção é evitar a picada do mosquito que transmite o protozoário causador da leishmaniose.
Isso pode ser feito com o uso de inseticida para matar o mosquito e de repelente corporal para evitar picadas. Em locais onde surgem mosquitos e pernilongos, é aconselhável colocar telas de proteção nas janelas e procurar fechá-las antes do final da tarde.
A dermatologista aconselha as pessoas a evitarem a entrada em locais de mata ou beira de rio. “Se quiserem mesmo ir, devem procurar usar calças, botas, roupas que cubram a pele”, diz. Em caso de suspeita, é necessário procurar um dermatologista.
Combate — A Secretaria Municipal de Saúde de Santa Cruz do Rio Pardo oferece orientações aos moradores para evitar a proliferação do mosquito-palha. É aconselhável manter a casa e o quintal sempre limpos. Se houver galinheiro, chiqueiros ou canil, deve-se mantê-los limpos e secos.
As folhas de árvores, fezes de animais e restos de madeira devem ser recolhidos, porque acumulam umidade e favorecem a criação do mosquito-palha.
O lixo doméstico deve ser embalado corretamente e os moradores devem ficar atentos para não deixar juntar lixo nos terrenos baldios perto de suas casas. Em residências com cães, deve-se evitar que o animal durma dentro de casa — o ideal é mantê-lo sempre no quintal.
A Secretaria de Saúde de Santa Cruz do Rio Pardo aguarda parecer da Sucem sobre a necessidade de se realizar bloqueio com inseticida nas áreas onde surgiram os casos suspeitos. Segundo a Secretaria, esse serviço é de responsabilidade da Sucem.