• Região
Apaixonado por carros antigos funda o "Clube do Del Rey"

TENDÊNCIA — Com menos de um mês, o “inédito” Clube do Del Rey de Ourinhos já atraiu 32 sócios e oferece até facilidade de encontrar peças para o velho carro da Ford


Milton com seu reluzente Del Rey: "Não o vendo por nada"Apaixão por carros já pode ser considerada uma mania do brasileiro. E a cada dia aumenta o número de pessoas aficionadas por modelos antigos. O ourinhense Milton Haberman, proprietário de uma auto-peças na avenida Gastão Vidigal, não foge à regra. Ele gosta tanto de carros antigos que já criou o “Clube do Dodginho” e agora, no início deste mês, fundou o “Clube do Del Rey”. “Desisti do Dodginho porque ele acabou praticamente desaparecendo do mercado. Mas da linha antiga da Ford, o melhor carro indiscutivelmente é o Del Rey. É econômico, confortável e quase não quebra. Dá menos oficina que o Fusca”, justificou.
O comerciante conta que aprendeu a gostar de carros antigos com a família. “Os parentes tinham Ford 51 e Chevrolet 56. Eu gostava de ver aqueles carros, mas meus filhos não têm o mesmo gosto. Eles já querem modelos modernos”, contou.
Mas Milton não é o único ourinhense apaixonado pelo Del Rey. Do dia 1º de maio — data de fundação — até agora, 32 pessoas, donas de Ford Del Rey, já se associaram ao Clube.
Milton disse que pagou R$ 4 mil pelo seu Del Rey ano 88, mas que hoje o preço dele deve estar por volta de R$ 3 mil. Porém, a desvalorização não o desanima: “Não vendo por nada. Ele faz 11 km com um litro de álcool e se mecânico depender do meu carro para sobreviver está perdido. Só levo na oficina para revisão quando vou viajar”.
Para “esquentar” o clube, Milton pretende fazer uma carreata pelas cidades vizinhas. “Quero reunir os associados e sair para a região divulgando o clube. Esse será o nosso primeiro evento”, contou.
Além da confraternização e da troca de experiências que o clube proporcionará aos proprietários de Del Rey, eles também poderão comprar peças mais em conta na loja de Milton. “Estou elaborando uma lista das peças mais utilizadas por esse carro. Vou encaminhá-la aos sócios. Eles podem encomendá-las que eu trarei de São Paulo a preços mais baixos do que em qualquer outra loja da praça”, contou.
O maior problema mecânico do Del Rey, segundo Milton, é a suspensão dianteira.
O comerciante tem experiência no ramo das auto-peças desde 1962, quando ainda morava na capital paulista. Em 1969 mudou-se para Ourinhos. Os proprietários de carros antigos da cidade conhecem bem a loja de Milton. “Tenho peças do DKV, Fusca, Opala, Chevette, Jeep. Enfim, meu forte é dar assistência aos carros antigos”, admitiu.
Os interessados em participar do Clube do Del Rey podem preencher uma ficha na loja de Milton. “Não existe nenhuma taxa de adesão”, garantiu.