• Cidade

Periquito Australiano é o mais vendidoDiamante Gould é o mais colorido Filhotes são cuidados até idade de venda.

Pássaros exóticos chamam atenção pelo colorido

COMÉRCIO — Em cores diferentes e vindos de diversos cantos do mundo, pássaros exóticos podem custar de R$ 8,00 até R$ 150,00 em loja de Santa Cruz



Celso de Souza Junior mostra Calopsita, que pode ser criada na mão
Vindos da Austrália, Indonésia e África, pássaros exóticos são opções de compra para quem gosta desse tipo de criação. Segundo o proprietário da recém-inaugurada Fort Dog, Celso de Souza Junior, as pessoas se interessam mais pela Calopsita já adestrada e também pelo Diamante Gould, pela beleza de suas cores. Mesmo sendo essas as espécies que chamam a atenção, as campeãs de vendas são as mais baratas, como o Periquito Australiano.
Apesar da loja ter sido inaugurada no dia 8, Souza garante que já sentiu um crescimento nas buscas pelos pássaros em sua loja. O comerciante explicou que o diferencial dos pássaros exóticos é que não são nativos do Brasil. Por esse motivo, às vezes há um pouco mais de dificuldade na hora da compra. Alguns são adquiridos direto de importadores e outros, de criadores no Brasil.
Souza trabalha atualmente com sete espécies, mas já pensa em diversificar. Ele informa que esses pássaros necessitam de alguns cuidados especiais, como gaiolas mais compridas do que altas, já que possuem vôo horizontal. A alimentação também é variada. Além do alpiste, aveia, painço e semente de girassol — natural a todos os pássaros —, os exóticos necessitam de uma areia especial para digestão e uma ração com prebióticos.
Uma vantagem dessas espécies é que não necessitam de nenhuma autorização do Ibama para criá-los, já que vêm de outros países. Souza conta que as pessoas procuram esses animais para criar em viveiros, chácaras, ou mesmo em gaiolas residenciais. O preço dos pássaros pode variar de R$ 8,00 até R$ 150,00.
Segundo Souza, a espécie mais cara é a Calopsita. Ela vem da Austrália e pode viver até 18 anos quando bem cuidada. A Calopsita deve ser criada em viveiros porque é um pássaro de porte maior. O que mais chama atenção nessa espécie é que, quando treinada desde filhote, ela fica na mão do dono e aprende a cantar algumas músicas especiais. Segundo Souza, existe um desses pássaros em Santa Cruz que canta o hino tricolor para seu dono são-paulino.
Após a Calopsita, vêem o Diamante Gould (Austrália) e a Agapórnis (países da África), que custam R$ 40,00. O Calafate (Indonésia) e o Canário macho (costa oeste da África) custam R$ 25,00 cada. Os de preços mais acessíveis são o Mandarim (Austrália e Indonésia) de R$12,00 e o Periquito Australiano de R$ 8,00.