• Cidade
Aftosa: vacinação em maio será
apenas para bovinos até 24 meses

PECUÁRIA — Na região, existem mais de quatro mil pecuaristas e 300 mil cabeças de gado



Os pecuaristas que não comunicarem a vacinação receberão multas
A partir do dia 2 de maio começa a etapa de vacinação contra a febre aftosa, que deve ser realizada por todos os pecuaristas do estado de São Paulo. Na região de Ourinhos, formada por 17 municípios, são mais de 4 mil pecuarista e 300 mil cabeças de gado, informa Valmor Fantinel, médico veterinário e diretor do Escritório de Defesa Agropecuário de Ourinhos —EDAO.
Nesta etapa de maio, serão obrigados a ser vacinados todos os bovinos com até 24 meses de idade. Até o ano passado era obrigatório vacinar todo o rebanho, ou seja, o gado de qualquer idade.
“A vacinação de todo o rebanho, gado de qualquer idade, ficou para novembro”, informa Fantinel.
Ainda de acordo com o médico veterinário, há 13 anos não é registrado nenhum caso de febre aftosa no Estado de São Paulo e, por isso, a imunização dos gados de qualquer idade ficou para a etapa de novembro. Ou seja: em maio, gados até dois anos; em novembro, todo o rebanho.
O pecuarista que deixar de aplicar a vacina contra a febre aftosa poderá ser autuado e multado no valor de cino Ufesps (Unidades Fiscais do Estado de São Paulo) por animal não vacinado, isto é, R$ 79,40 por cabeça de gado.
Fantinel alertou que o Escritório de Defesa Agropecuário vai fiscalizar a etapa de vacinação de maio e que 15 funcionários visitarão, se necessário, as propriedades.
O diretor do EDAO afirmou que o prazo de vacinação desta etapa se estende por todo o mês de maio e que a comunicação da vacinação pode ser feita até 7 dias depois do fechamento. Mas Fantinel pede para os pecuaristas não deixarem para a ultima hora, isto é, para os últimos dias de maio porque depois de 7 de junho não é mais possível fazer a declaração de vacinação.
Os pecuaristas que não fizerem a declaração de vacinação, além da multa, ficam impedidos de contrair empréstimos junto ao Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf) e de, em caso de venda, transferir o registro de suas posses no Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra).
A vacinação será por conta dos pecuarista e a vacina já estará liberada a partir de segunda-feira, 4 de maio, nas lojas revendedoras de produtos agropecuários.
A meta do governo e da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo é, a médio prazo, acabar com a necessidade de vacinação contra a febre aftosa. Segundo o secretário João Sampaio, “nossa estratégia é caminharmos para a retirada total da vacina, mas vamos gradualmente adotando as medidas necessárias para isto ocorrer”.
O rebanho bovino é o segundo item na pauta de exportações, perdendo somente para o setor sucroalcooleiro, informa o site www.cda.gov.br.
“Na região de Ourinhos, infelizmente o rebanho tem diminuído devido à troca do pasto para a soja, cana-de-açúcar, laranja e, agora, o eucalipto”, diz o diretor do EDAO, dr. Valmor Fantinel.