• Cidade
Rui diz que promotor Brega
precisa de "vergonha na cara"

MEIO AMBIENTE — Vereador discursou sobre projeto de datas ambientais


Rui disse que discurso é única maneira do promotor Brega agir
O vereador Rui Reis (PV) criticou duramente a atuação do promotor do Meio Ambiente, Vladimir Brega Filho, durante a sessão da Câmara de segunda-feira, 11. Rui discursou durante a votação do projeto da prefeita Maura Macieirinha (PSDB) que institui datas ambientais no município, incluindo aquelas já comemoradas no calendário nacional e criando o “Dia do Rio Pardo”, que será comemorado no primeiro domingo após 22 de março. A sessão foi acompanhada por um grupo de ambientalistas.
De acordo com o projeto, nas datas ambientais serão realizadas palestras, conferências, exposições e outras atividades para chamar a atenção da população para a preservação do Meio Ambiente. Além disso, determina que o Poder Público promova eventos alusivos às datas, apresentando soluções “para a preservação e conservação dos processos ecológicos essenciais à sadia qualidade de vida”.
Primeiro a discursar sobre o projeto, Rui Reis elogiou a atuação da secretária de Agricultura, Rosânia Cláudia Guerra. “Eu a conheço há pouco tempo, mas ela faz o que pode com os recursos que tem à disposição”, disse o vereador. Porém, Rui lembrou que não adianta estabelecer datas comemorativas e não agir na prática. “Hoje, por exemplo nós temos o Dia do Índio, mas a verdade é que exterminamos nossos índios, inclusive em Santa Cruz do Rio Pardo”, disse. O vereador disse que “é uma vergonha para Santa Cruz” a possibilidade de extinção do rio Pardo.
Rui lembrou a voçoroca existente nas imediações da rodovia SP-225 que, segundo ele, virou um lixão a céu aberto. “Eu estou indignado com a atitude do promotor do Meio Ambiente, Vladimir Brega, por ele não tomar atitudes contra isso. E eu já fiz vários apelos a ele”, disse. “Várias pessoas já fotografaram o local, mas parece que o promotor não está preocupado muito com isso, sobretudo com o nosso rio Pardo”, continuou.
Reis disse que não seria preciso cobrar das autoridades uma solução porque elas sabem de suas responsabilidades. “Então temos de cobrar vergonha na cara. É inadmissível um visitante de nossa cidade ver aquela voçoroca naquele local. E veio mais de R$ 1 milhão em verbas para que aquilo fosse solucionado”, disse.
O parlamentar ressaltou que faz críticas “debochadas” para que as autoridades se sensibilizem. “Vários vereadores já subiram à tribuna para falar da voçoroca e do rio Pardo, mas nossa voz não encontra eco”, disse, admitindo que é um crítico do promotor Brega. “Uma vez fui cobrar uma atitude e ouvi dele que, de fato, estão roubando, mas vão devolver. Isto é um absurdo, partindo de um promotor”, disse. “Então, o que mais eu posso dizer a ele? Que tenha vergonha na cara, pois ele ganha muito bem para resolver estes problemas”, disparou. “Se isto sair em jornal, pode ser que ele tome uma atitude”, concluiu.

Água — O vereador Luiz Carlos Novaes (PSDB), o “Psiu”, lembrou que não bastam datas comemorativas e defendeu uma campanha no município sobre o uso consciente da água. “A gente vê nas ruas pessoas usando água como vassoura”, lamentou. Já o vereador Leandro Mendonça (PSDB) lembrou que em 2006 a Câmara já aprovara projeto de sua autoria para a criação do programa de educação ambiental. “A lei vislumbrava palestras, seminários e manifestações artísticas, mas infelizmente nada se fez”, disse. “E é o mesmo governo. Neste ponto vou dar um crédito à nossa prefeita, pois agora o projeto é dela”, lembrou.