• Dicas

• TRANSTORNO — A reforma nas Lojas Cem vem causando transtornos ao trânsito da rua Conselheiro Dantas. Na sexta-feira, 15, os carros passavam por um espaço estreito por conta de um caminhão de concreto no local. Na quinta-feira a rua chegou a ficar impedida. Alguns consumidores acreditam que a reforma deveria ocorrer fora do horário comercial.

 

Ameaça-1

O vereador Rui Reis (PV) pode voltar à berlinda mais uma vez ante nova ameaça de cassação de seu mandato. O grupo do ex-prefeito Adilson Mira (PSDB) estuda, de novo, um pedido de cassação com base em declarações polêmicas de Rui contra autoridades, principalmente a prefeita Maura Macieirinha (PSDB).

Ameaça-2

Numa espécie de “preparação de terreno”, o vice-prefeito Nelson Moraes Guimarães (PDSB) já andou sondando líderes da oposição. Há dias ele quis saber quem era, de fato, o suplente de Rui Reis. Ante a curiosidade do interlocutor, Nelson confirmou que o grupo vai pedir a cassação do parlamentar que há anos incomoda o governo.

Apelidos

Alheio a este movimento, Rui Reis continua disparando suas críticas. Ele, inclusive, remete cópias de e-mails a Adilson Donizeti Mira contendo um apelido nada sugestivo do ex-prefeito. O vereador também já apelidou a prefeita Maura de “maurionete”...

Mudanças

A prefeitura de Santa Cruz do Rio Pardo finalmente mudou a página do governo na internet, que ficara praticamente “em construção” no governo anterior. Agora estão lá os nomes, fotografias e funções de todos os secretários, bem como os recentes planos e obras de cada setor. Até que enfim...

Bragato

O vereador Edvaldo Lúcio Abel, de Ourinhos, disse na semana passada que o deputado Mauro Bragato já conquistou mais de R$ 1,5 milhão para o município. Em Santa Cruz o deputado é ligado ao ex-prefeito Adilson Donizeti e à atual prefeita Maura Macieirinha, mas conseguiu mais recursos para Ourinhos. Já o vereador Silvonei Rodrigues (PSDC) fez uma “mea culpa”: lembrou que apoiou Campos Machado (PTB) e conseguiu mais de 1.000 votos para o deputado. Entretanto, admitiu que Machado nada fez por Ourinhos. “Quero que alguém aponte uma única verba que ele conseguiu”, disse Silvonei.

Teve de explicar

O vereador Souza Neto (DEM) apresentou seu segundo atestado médico para justificar ausências nas sessões. Desta vez, porém, ele foi provocado por Rui Reis (PV) a explicar sua doença. O radialista foi à tribuna e contou que sentiu-se mal antes da sessão em que se ausentou e que se prepara para sofrer uma cirurgia. Segundo ele, trata-se de uma hérnia na barriga.

Fogo cruzado

O vereador Leandro Mendonça (PSDB) é o contraponto de Jorge Araújo na questão do novo prédio da Câmara. Na sexta-feira, Leandro foi à Difusora e criticou o desperdício de recursos com a obra. Apesar da posição, Leandro elogiou o projeto arquitetônico.

• Frases

DE HOJE

“Talvez existem aqueles que não se lixam para a opinião pública. Não é o meu caso”.
Adilson Donizeti (PSDB), ao anunciar que uma denúncia contra ele foi arquivada pelo Ministério Público.

“O que mais eu posso dizer a ele? Que tenha vergonha na cara, pois ele ganha muito bem para resolver estes problemas”.
Rui Reis (PV), vereador, ao criticar a atuação do promotor do Meio Ambiente, Vladimir Brega Filho.

“Sou um politico em fim de carreira e não tenho mais pretensões. Mas desejo deixar este prédio”.
Jorge Araújo (DEM), vereador.

• Coisas da política

A grande carreata

Em 1990 o saudoso ex-governador Franco Montoro, aos 74 anos, disputava uma vaga no Senado e sua comitiva se preparava para um comício em Garça. A ideia era correligionários aguardarem Montoro no trevo da cidade para, em seguida, entrarem na cidade em carreata.
Franco Montoro chegou acompanhado do deputado Doreto Campanari e formaram uma pequena carreata de 20 carros. Quando entraram na cidade, porém, o cortejo foi surpreendido por centenas de veículos. Eram caminhões, automóveis, motos, jipes, todos buzinando e soltando rojões. Enfim, uma festa extraordinária.
Emocionado, Montoro acenava para o público e até resolveu descer do carro e permanecer numa esquina para ver o quanto era querido.
Foi quando alguém descobriu que a carreata era referente ao Dia de São Cristóvão, padroeiro dos motoristas.
Ninguém teve coragem de contar a verdade a Montoro, que continuou acenando achando que a carreata era em sua homenagem.