• D-mulher
Vestido é sempre o primeiro passo
para realizar o sonho do casamento

NOIVAS — Peça principal ainda é escolhida de forma tradicional; cor branca é a preferência da maioria


Edmeia conta que o branco e modelos tradicionais têm preferência
O vestido que será usado durante a celebração do casamento é uma das prioridades da noiva. Ao planejar a cerimônia, ele é o item principal e pede bom gosto e antecipação na escolha. O tradicional vestido branco ainda é o mais escolhido para acompanhar a noiva na realização do sonho.
Edmeia Corazza trabalha com vestidos de noiva há 30 anos e diz que quase sempre a opção é pelo tradicional. “Tem alguma variação, mas é pequena. Quem casa hoje segue a tradição: branco, véu e grinalda”, aponta. Ela explica que existem noivas que querem uma versão diferente, mas não são muitas. Em geral, o branco e o pérola são os mais pedidos. “Eu nunca fiz um vestido de cor”, acrescenta.
Edmeia aponta que existem tendências mais atuais que as noivas acabam acompanhando. Porém, os vestidos seguem a mesma linha e não mudam muito com o passar dos anos. “Normalmente são tradicionais, porque quem casa já participa de uma tradição. Quem não quer nada tradicional, nem casa”, avalia.
Janis Soares, proprietária de uma loja de aluguel de trajes em Ourinhos, conta que 95% das noivas preferem a cor branca, às vezes tons de pérola ou algo diferente. “De vez em quando alguém pede palha, champanhe e até vermelho, mas são poucas. De cinquenta vestidos, um é de cor diferente”, explica.
A loja trabalha com algumas novidades, como o modelo evasê e o uso de outros tecidos, como renda e cetim, mas o tradicional ainda é preferência: “Quem tem um sonho quer o tradicional, não importa o modelo”. Ela lembra que existem noivas que não se vêem vestidas tradicionalmente, porque não gostam ou acham que não combina.
A escolha do vestido leva em consideração a vontade e a personalidade da noiva. Edmeia conta que procura conversar e entender quais são as preferências e o que combina mais com o jeito da noiva. No primeiro contato, ela procura descobrir quais são os gostos da noiva, com qual tendência se identifica e como se sente bem. “Elas trazem uma ideia e nós estudamos se irá combinar. A noiva tem que se vestir de acordo com a personalidade. Não adianta escolher um modelo com o qual não irá se sentir bem”, salienta.
Ela acrescenta que deixa as clientes à vontade para fazer a escolha de acordo com o gosto e os padrões pré-estabelecidos pelas próprias noivas. Há apenas orientação e sugestão de alguns ajustes, se for necessário.
“O vestido é de acordo com a personalidade da noiva: algumas são mais tradicionais e românticas, outras preferem ousadia e decotes”, explica Janis. Ela lembra que o vestido é um dos primeiros itens da lista de prioridade. Algumas noivas procuram escolher o traje, em média, entre seis meses e um ano de antecedência. “Nós temos vestidos alugados para setembro e novembro do ano que vem. Mas também acontece de procurarem faltando um mês ou uma semana para o casamento”, explica.
Segundo Edmeia, normalmente as noivas pensam nos preparativos na mesma época e o vestido é escolhido com antecedência de, no mínimo, três meses. “Algumas vem até um ano antes, outras de última hora. Eu trabalho com prazo de três meses antes do casamento”, aponta. Ela conta que o vestido ainda é prioridade: “Às vezes, elas até abrem mão da festa, mas do vestido não”.

Horário da cerimônia
dita o estilo do vestido

Muitas mulheres acreditam que a escolha do vestido é um dos momentos mais esperados entre os preparativos para o casamento. Mas, às vezes, pode deixar a noiva um pouco confusa. O horário em que a cerimônia irá se realizar é o item mais importante na escolha do modelo e do tipo do vestido.
A costureira Edmeia Corazza explica que o casamento à noite pede um modelo mais sofisticado. “A festa é mais suntuosa, porque o horário exige”, esclarece. Se o casamento for durante o dia ou no horário de almoço, o vestido é mais simples. “Quem casa na praia, por exemplo, tem que escolher um vestido mais singelo e que combine com a ocasião”, acrescenta. Ela conta que muitas noivas preferem o casamento durante o dia também pela economia nos gastos. “É bonito do mesmo jeito. Na Europa os casamentos sempre são realizados na hora do almoço”, salienta.
Janis Soares, proprietária de uma loja de aluguel de trajes em Ourinhos, indica que quando o casamento é de manhã, o modelo não pode ter muito brilho, sem calda (ou pequena) e sem muita pedraria. “Se quiser pedras, tem que optar por aquelas que têm menos brilho”. À tarde, o vestido pode trazer um pouco mais de glamour, mas sem exageros. “À noite pode-se ousar mais. Depende da noiva, mas pode usar cetim ou organza de seda, além de abusar de cristais, strass e swarovski”, explica. A noiva também pode “carregar” nos acessórios.
Edmeia explica que para o casamento no cartório não pede trajes elaborados. “Geralmente as pessoas casam na festa, com o mesmo vestido. As que preferem dividir, casam com roupa comum, sem grandes aparatos”, aponta.
Janis conta que muitas noivas usam o mesmo vestido e não colocam a calda. Quando são duas cerimônias, o vestido deve ser social, normalmente, longuete — pouco abaixo dos joelhos — e com pouco brilho. “Tem que ser tom claro, não muito escuro. Preto é proibido”, indica.