• Região
População exigiu construção de praça em 1945

HISTÓRIA — Cheia de histórias, praça dos Expedicionários, no centro de Chavantes, foi uma conquista popular para homenagear “pracinhas” da FEB


MEMÓRIA — Praça dos Expedicionários, anos depois de construída, graças a protestos da população
A praça dos Expedicionários, localizada no centro de Chavantes, está sendo reformada após inúmeros pedidos da população. Entretanto, a criação do espaço, que foi o grande ponto de encontro da cidade durante décadas, ocorreu depois de uma intensa mobilização popular há quase 66 anos.
Oficialmente, a praça dos Expedicionários foi construída em 1953. No entanto, bem antes já existia a reivindicação para a construção do espaço. De acordo com a diretora do Museu de Chavantes, Maria Helena Cadamuro, em 1945 a população encaminhou diversos pedidos para que o terreno localizado ao lado da estação fosse limpo. Indignado com a falta de respostas, um grupo de moradores, em 23 de agosto daquele ano, resolveu fazer o serviço por conta própria.
Para tanto, foi arquitetada uma estratégia para que as autoridades da época não descobrissem a “transgressão”. Um grupo ficou responsável em levar o delegado da cidade para um “passeio” em Ourinhos. Outro, de levar o sargento do destacamento para Ipaussu. “Esse movimento marcou os jovens da época. Entre eles, estava o meu pai, Jaime Cadamuro, que ficou responsável em ficar conversando com um guarda da polícia para que o mesmo não tivesse que intervir”, contou Maria Helena.
O plano seria perfeito se passageiros de um trem que passava na hora pelo local não tivessem chamado a polícia de Ourinhos, que foi até Chavantes e prendeu o grupo. “Meses depois, o prefeito João Carneiro Filho conseguiu o arquivamento do processo”, lembrou a servidora do museu.
O fato também serviu para nomear a futura praça. Os “pracinhas” brasileiros, soldados do Exército que lutaram na Segunda Guerra Mundial, estavam voltando para casa em 1945. Para recepcionar os oficiais da cidade, os jovens manifestantes fixaram no terreno uma placa improvisada, pedindo a construção da Praça dos Expedicionários.
Demorou, mas o pedido dos jovens foi atendido. Em 1952, a Estrada de Ferro Sorocabana doou o terreno para a prefeitura e, um ano mais tarde, o prefeito Antoninho Fontes Filho inaugurou a praça dos Expedicionários. “O desenho foi feito pelo arquiteto chavantense Adolpho Rúbio Morales, que também assina as obras dos prédios da Assembleia Legislativa de São Paulo e da Rádio e Televisão Bandeirantes”, contou Maria Helena.
Durante muitos anos, a praça era frequentada por quase toda a população. Os jovens ficavam esperando a hora de ingressar no cinema local. As famílias, depois da missa, disputavam os bancos, que foram doados por empresas da cidade. Aliás, muitos deles continuam no local com o endereço e números de telefones antigos, que tinham apenas dois dígitos. O espaço também era o preferido por muitos casais de namorados “Como o centro da cidade foi para outro ponto, a praça foi ficando abandonada. Mas agora a prefeitura está realizando uma obra de revitalização no local”, comemorou a diretora do museu.