DCPL: Você acredita que é possível estudar, sob o ponto de vista acadêmico, o comportamento humano através do BBB? Por quê?
Pedro Bial: Acho que sim. Trata-se de um farto material para psicanalistas, antropólogos, teóricos da comunicação, profissionais de marketing, enfim, gente curiosa e disposta a enxergar num programa de TV mais que apenas um programa de TV.

DCPL: O prêmio e a notoriedade alcançada pelos participantes ajudam ou deformam o desempenho de cada um deles dentro da casa?
Pedro Bial: Podem ajudar ou prejudicar, essa é um dos desafios mais divertidos do BBB.

DCPL: Existe um modelo de participante ideal?
Pedro Bial: Não. Cada vencedor ganhou criando seus próprios motivos, por seus próprios méritos.

DCPL: Em que momento vocês perceberam a importância da internet no BBB?
Pedro Bial: Desde o início, mas a Internet brasileira cresceu muito nos últimos sete anos e a participação cibernética se multiplicou e ganhou mais importância.

DCPL: A internet acha que as suas intervenções alteram o rumo das edições e manipulam a opinião do público. Você tem consciência dessa discussão travada na net? Até que ponto isso é verdade ou apenas choro de torcida?
Pedro Bial: Não acredito que se possa generalizar assim: “a Internet não gosta ou gosta...” Quanto a minhas intervenções, podia ser pior...

DCPL: Você é o elo entre o público e os participantes, como você constrói essa relação? Onde você busca as informações necessárias?
Pedro Bial: Busco em todos os lugares. A relação é de cumplicidade, pois o apresentador e o público sabem coisas que os confinados ignoram. Isso é fundamental para a diversão.

DCPL: A dinâmica de tempo real do BBB desenvolveu com a internet um casamento perfeito na medida em que o que acontece na TV é comentado imediatamente na rede. Como vocês lidam com essa situação na produção do programa?
Pedro Bial: Estamos atentos 24 horas por dia, como não poderia deixar de ser. Mas não olhamos o jogo com olhos de torcedor. Nosso compromisso é com um programa bom e honesto, emocionante pela própria natureza.

DCPL: O BBB é feito pelos participantes, pela produção, pelo público de maneira geral e pela internet. Como você analisa a relação entre esses elos?
Pedro Bial: Acho que desses vetores, o mais importante são os participantes. Eles determinam os rumos do programa, a linguagem, os cortes e tempos, as tramas genuínas e os falsos dilemas. O BBB é autoria dos participantes.

DCPL: Como você lida com a relação de amor e ódio das torcidas?
Pedro Bial: Com grande alegria, já que isso evidencia que estamos fazendo bem o nosso trabalho, despertando paixões inflamadas. É o nosso prêmio.

DCPL: Qual o futuro do BBB?
Pedro Bial: O BBB9. Mais não sei.