Home Page

Introdução.

Cada vez mais a sociedade tem demonstrado preocupação com os níveis de degradação do nosso meio ambiente e com o futuro das próximas gerações. Os motivos são alarmantes: há um consenso geral de que o homem está conseguindo destruir em algumas décadas o que a natureza levou milhões de anos para formar.
O modelo de desenvolvimento econômico em voga, que prioriza a produção e o crescimento, vem sendo adotado desde a revolução industrial sob a perspectiva de que as sociedades, com a acumulação de riqueza, seriam mais prósperas e felizes.
O que se vê hoje é que esse modelo promoveu o crescimento de alguns países, mas aumentou a pobreza dos demais e está levando ao esgotamento dos recursos naturais globais.
Apesar disso, ainda é o modelo que todos querem adotar. A continuar assim, a vida no planeta tende a se tornar insustentável.

Desenvolvimento sustentável.

O desenvolvimento sustentável é um modelo que preconiza satisfazer as necessidades presentes sem comprometer os recursos necessários à satisfação das gerações futuras, buscando atividades que funcionem em harmonia com a natureza e promovendo, acima de tudo, a melhoria da qualidade de vida de toda a sociedade.
Uma das ações mais concretas nesse sentido foi a criação do selo ISO 14000, que atesta o cumprimento dos princípios de gestão ambiental por empresas. Impulsionadas pela preferência crescente dos consumidores por produtos elaborados sem agredir a natureza, as grandes corporações empresariais estão adequando seus processos e substituindo componentes e matérias-primas que não atendam às normas e padrões da ISO.
O movimento mais abrangente, porém, é o conduzido pela ONU. O conceito de desenvolvimento sustentável foi criado pela Comissão Mundial para o Meio Ambiente e Desenvolvimento da ONU. É um trabalho iniciado em 1987 cujo grande marco foi a elaboração e o lançamento da Agenda 21, um documento firmado por 170 países na Conferência das Nações Unidas sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento Humano, conhecida como ECO-92, realizada em 1992, no Rio de Janeiro. A Agenda 21 estabelece conceitos e propostas e dá os princípios que devem nortear o planejamento de ações a ser elaborado por cada um dos países.

Dos conceitos à prática do desenvolvimento sustentável.

A partir da Agenda 21 Global, cada país deve instituir que cada cidade elabore sua Agenda 21 Local, com base nos princípios elaborados pelo seu governo central, adequando-a à realidade e às diferentes situações e condições de cada região.
A participação da comunidade é fundamental, seja no nível de bairro, condomínio, associação ou escola. Suas ações devem ser integradas às da Agenda Local do seu município.
Entretanto, a base de motivação das pessoas para a prática sistemática de ações é a consciência sobre tudo o que ocorre à sua volta, as causas dos problemas ambientais e como chegamos a esse ponto.
Esse é o ponto: conscientização.

A conscientização.

Entender como funciona a natureza é fundamental. Só assim o homem poderá concluir o que pode ser feito para manter e preservar o meio ambiente e para melhorar a qualidade de vida.
Quanto mais cedo as pessoas tomarem consciência do funcionamento do ecossistema do qual fazem parte, mais cedo elas poderão alterar comportamentos inadequados. As pequenas ações no cotidiano em favor da natureza amplificadas pelo efeito multiplicador permitirão a percepção a cada um do papel importante que ele exerce como cidadão.
É aí que entram os trabalhos dos educadores, ambientalistas, entidades e profissionais interessados na divulgação de material voltado à educação ambiental. Livros, palestras, matérias na imprensa e sites na Internet, enfim, todos os caminhos possíveis de divulgação devem ser utilizados para a conscientização geral. O tempo está ficando escasso.

O envolvimento das crianças.

A mudança de atitudes de cada um de nós, fundamental para as transformações necessárias, é a parte mais complexa de se implementar.
Por envolver mudanças culturais e de comportamento, os adultos em geral têm grandes dificuldades até para pequenas mudanças em maus hábitos como desperdiçar água e jogar lixo em local não apropriado.
As crianças se tornam, naturalmente, a grande esperança nesse contexto. Sem pequenos vícios e conscientizadas desde a infância, elas poderão crescer com hábitos saudáveis e colocar em prática com mais facilidade, medidas para a resolução de problemas como aquecimento global e poluição das águas.
Cabe a nós, adultos, a tarefa de orientá-las e ajudá-las a 'limpar' a 'sujeira' que estamos deixando de herança.

O SITE DOS ECOKIDS.

Este site, voltado ao público infantil, não tem a pretensão de esgotar o assunto sobre ecologia e nem pretende 'dar aulas' sobre o tema. Ele foi idealizado com o intuito de passar às crianças, através de entretenimento, noções de cidadania e sobretudo despertar seu interesse em conhecer a natureza e o meio ambiente.

 
Copyright © 2000-2012 - Ponkan Studio
Todos os direitos reservados - All rights reserved