Takao Furuno, o agricultor japonês que combinou patos, peixes e plantas para o cultivo orgânico de arroz, preservando-o do flagelo dos agrotóxicos

fotos: divulgação

MARLENE PERET
DA FOLHA DE S.PAULO

Nos anos 70, Takao Furuno, um agricultor do sul do Japão, decidiu retomar um antigo hábito asiático de utilizar patos no cultivo de arroz.

Para lutar contra a invasão dos agrotóxicos no mercado, Furuno combinou patos (aigamo), peixes (alevinos de carpas) e um certo tipo de planta (azolla), para que sua plantação fosse cultivada organicamente.

Durante dez anos ele estudou o comportamento dos bichos, que eliminavam de sua plantação insetos e caracois que tentavam atacar seu arrozal.

Efeito pato

Em 1988, o empreendedor social concluiu que os patos, além de eliminarem as pragas de sua plantação, também oxigenavam a água com o simples movimento de seus pés. O método, carinhosamente chamado por Furuno de "efeito pato", logo fez sua pequena plantação produzir 30% a mais do que as culturas tradicionais.

Mas o experimento do japonês também o levou a ter prejuízos. Entre os diversos problemas que enfrentou, ele destaca a frequente invasões de cães, que acabaram dizimando seus patos. Mas, sem desaminar, construiu cercas elétricas para proteger seus aigamos dos terríveis predadores.

E as descobertas não pararam por aí: Furuno também percebeu que uma planta chamada azolla, semelhante às samambaias, também ajudava a fixar o nitrogênio, tão necessário para o cultivo do arroz.

A partir daí, Takao Furuno passou a arrecadar US$ 168 mil por ano com o uso de apenas 3,2 hectares de sua propriedade para o cultivo de arroz e a produção de carnes, ovos e verduras orgânicas. Sua técnica também foi multiplicada para outros 75 mil agricultores da Ásia, que acabaram abandonando os herbicidas.

Hoje, o premiado empreendedor social, integrante da Fundação Schwab, também escreveu seu livro, "The Power Of Duck", que habita as prateleiras de diversas livrarias espalhadas pelo mundo.

Com tudo isso, Furuno ainda não se deu por vencido: seu maior sonho é ver os aigamos nadando livremente em todos os arrozais do planeta.

Clique aqui e conheça a plantação de Takao Furuno, Empreendedor Social de Destaque da Fundação Schawab, eleito em 2001.

Quem é empreendedor Social?

É aquele que descobre falhas do setor público ou privado e busca parcerias e recursos financeiros para colocar em prática idéias que provocam mudanças sociais efetivas para a sociedade.

Qual é o perfil de um empreendedor social?

Empreendedores sociais têm múltiplos perfis. Eles podem ser pessoas físicas ou jurídicas e também podem atuar no setor privado.

Se é uma pessoa física, pode, por exemplo, ter descoberto um produto novo que tenha alcançado grande impacto social.

Em caso de pessoa jurídica, o empreendedor social mais comum é o líder de uma ONG. Como não há restrições a empresas que tenham fins lucrativos, o candidato pode também estar à frente de uma cooperativa ou de uma empresa social, desde que predomine o esforço para a criação de valores sociais e ambientais e que o retorno financeiro seja um meio para esse fim.