discos oficiais  
 
Novos Horizontes
Universal | 2007

1. toda forma de poder letra
2. vertical letra
3. guantánamo letra
4. a montanha letra
5. quebra-cabeça letra
6. no meio de tudo, você audio letra
7. não consigo odiar ninguém audio letra
8. cinza audio letra
9. coração blindado letra
10. a onda letra
11. parabólica letra
12. faz de conta letra
13. novos horizontes letra
14. alívio imediato letra
15. simples de coração letra
16. piano bar letra
17. luz audio letra
18. pra ser sincero letra



dvd
   clipe  |   áudio  |   cifras  |   letra
ficha técnica

Uma produção Universal Music dirigida por Marcelo Sussekind
Direção Artística: Daniel Silveira - Coordenação Executiva: Showbrás
Coordenação de Produção: Márcio Figueiredo

Gravado ao vivo no Citibank Hall, São Paulo/SP, nos dias 30 e 31 de maio de 2007, por Ronaldo Lima e Marcelo Sussekind

Coordenação de gravação: Klebs Cavalcanti - Unidade móvel de gravação: Loudness - Assistente de Gravação: Celso do Prado (Birruga)

Complementos no Estúdio Casa do Mato [Rio de Janeiro/RJ] gravados por Ronaldo Lima - Edição Digital: Marcelo Sussekind e Ronaldo Lima

Mixado no Estúdio Casa do Mato [Rio de Janeiro/RJ] por Ronaldo Lima e Marcelo Sussekind

Masterizado no Classic Master por Carlos Freitas

Humberto Gessinger: Voz, violão, viola caipira, harmônicas, bandolim e piano
Fernando Aranha: Violão
Bernardo Fonseca: Baixo
Gláucio Ayala: Bateria e vocais
Pedro Augusto: Órgão Hammond, Piano Fender Rhodes
Clara Gessinger: voz em "A Onda" e "Parabólica"
Carlos Maltz: voz e bateria em "Cinza"

Show Coordenação de produção: Luiz Arnaldo Bortolon - Técnico de monitor: Alexandre Alves (Master) - Técnico de P.A.: Marcelo Oliveira - Projeto de luz e iluminação cenográfica: Binho Schaefer - Cenografia: Isabelle Bittencourt - Cenotécnicos: Luis Cláudio e Henrique Cruz (Didi) - Roadies: Anderson Engel e Rodrigo Guerreiro - Webmaster: Melissa Mattos

Management: Showbrás Produções Artísticas
Fone/Fax: (21) 2274-9248

Site oficial: www.engenheirosdohawaii.com.br

Fotos: Washington Possato e Melissa Mattos - Design: Flavio Flock
Coordenação Gráfica: Gê Alves Pinto e Geysa Adnet

Engenheiros do Hawaii usam cordas Elixir
Fernando Aranha usa pedais Dynaboxx




release


ENGENHEIROS DO HAWAII - NOVOS HORIZONTES - CD e DVD

O DISCO

Se me dessem a chance de refazer os 17 discos dos Engenheiros do Hawaii, NOVOS HORIZONTES seria o único no qual eu não mudaria nenhuma nota. Não que seja um disco perfeito, longe disso. Mas ele é exatamente como deveria ser.

A semente deste CD/DVD está na tour de 2 anos que fizemos depois de lançar o ACÚSTICO MTV. A medida em que o tempo passava, o show ia tomando força e novas sonoridades eram incorporadas, inclusive a viola caipira, instrumento fascinante. Senti que o ambiente acústico não seria para os Engenheiros do Hawaii apenas algo episódico. A vontade de aprofundar e registrar estas boas energias ficou irresistível.

Ao mesmo tempo havia a vontade de gravar material novo, o que não é muito comum num disco ao vivo. Nossa gravadora nos permitiu colocar no site da banda as novas composições. Resolvi mostrá-las, a princípio, em vídeos bem rústicos, só com violão e voz, registrando as músicas logo quando surgiam. Depois, disponibilizei as canções num estágio mais avançado, já com a banda.

Isso fez com que nosso público acompanhasse todo o processo de nascimento e amadurecimento das canções e do disco. Também ajudou a romper a barreira entre material inédito e regravações. Na verdade, não faz muito sentido pensar que músicas tenham data de nascimento e prazo de validade. Elas estão sempre dialogando com o momento presente. Às vezes mostrando suas rugas, às vezes desafiando o tempo, mas sempre na busca da emoção.

O CD/DVD contém os melhores momentos de dois shows realizados em São Paulo nos dias 30 e 31 de maio. Cantei e toquei violão, piano, viola caipira , bandolim e harmônicas. Bernardo Fonseca tocou o baixo. A bateria e os vocais de apoio ficaram por conta de Gláucio Ayala. Fernando Aranha tocou violão e Pedro Augusto, teclados. Sou fã destes quatro caras, tocar com eles é sempre bom.
Tivemos duas participações muito especiais. Minha filha, Clara, cantou comigo A ONDA e PARABÓLICA, música que fiz para ela em 1992. Carlos Maltz, que montou a banda comigo em 1986 e permaneceu até 1996 participou de CINZA nos vocais e na bateria.

AS CANÇÕES

VERTICAL é a música que pintou de forma mais rápida e simples. Ela diz que saber o que é possível é legal e querer o impossível também é legal. O difícil é saber qual é a hora de acelerar e quando é hora de pegar leve. Mais fácil falar do que fazer.

NO MEIO DE TUDO, VOCÊ é um canto de desabafo e reconhecimento. A gente vai se acostumando a viver de forma quase animal... é maravilhoso quando alguém nos salva dessa selva.

Escrevi LUZ inspirado na necessidade que a gente tem de compartilhar as coisas com as pessoas das quais a gente gosta. Como se delas viesse a luz pra tudo ficar completo. Objeto e observador juntos para sempre.

CINZA tenta falar de aquecimento global numa escala mais humana. Em vez das grandes corporações, o foco é a maneira infantilizada como vivemos, querendo tudo e querendo agora. Como eu sabia que o Carlos Maltz também pensa nisso, mandei a demo para ele. Ele colocou um rap além de tocar bateria na faixa.

Numa troca de e-mails, Melissa, nossa webmaster, escreveu a frase "faz de conta que eu fui mais legal" . Achei que tinha tudo a ver com uma imagem que me perseguia fazia tempo : uma pedra caindo num lago e gerando círculos concêntricos. Uma sensação de irreversibilidade. Foi por aí que nasceu FAZ DE CONTA.

Pedi para o pessoal da banda mandar algumas bases sobre as quais eu pudesse desenhar algumas letras e melodias. Deste processo nasceram 4 músicas :

NÃO CONSIGO ODIAR NINGUÉM : tive a idéia da letra ao ver uma reportagem sobre comunidades do ORKUT do tipo “eu odeio isso", “eu odeio aquilo” … a gente não se dá conta, mas, a cada volta do ponteiro, ficamos mais tolerantes em relação ao ódio e seus subprodutos. Na cultura pop até há uma glamourização absurda da escuridão.

QUEBRA CABEÇA : de que serve um Quebra-Cabeça montado ? A letra é um convite a esquecer o ponto de chegada e aproveitar a viagem . Tá faltando peça no Quebra Cabeça ? Eu não tenho pressa, o meu tempo é todo teu.

GUANTÁNAMO : a versão original da música era bem mais lenta, quase um lamento sugerindo um pedido de socorro. A letra sugere um mundo onde todos querem ter certeza de tudo. Quem tem a menor sombra de dúvida se sente como se estivesse num interrogatório na prisão de Guantánamo ou n'O Processo de Kafka.

CORAÇÃO BLINDADO : blindado é o coração de quem fica protegido da vida, no ar condicionado de algum arranha-céu dando ordens e fazendo teses. Com a coragem que só quem está longe do perigo tem.

As músicas que regravamos passeiam por toda a história da banda : TODA FORMA DE PODER(1986), ALÍVIO IMEDIATO(1989), PRA SER SINCERO(1990), PIANO BAR(1991), PARABÓLICA(1992), SIMPLES DE CORAÇÃO(1995), A ONDA(1996), A MONTANHA(1997), NOVOS HORIZONTES(2000).

As mesmas 18 canções estão no CD e no DVD. Como extras, o DVD traz entrevista, making of, e vídeos caseiros com as primeiras versões de 5 canções.

...

Que horizontes novos são estes? Podem ser as novas canções, pode ser a nova maneira de cantar velhas canções, podem ser os novos caminhos que a tecnologia oferece
para ligar objeto e observador... mas, como canto em Quebra Cabeça : só não pode o medo te paralisar.

Humberto Gessinger
Porto Alegre, julho 2007



| voltar |

www.engenheirosdohawaii.com.br © 1996-2014 enghawnet