Reportagem
edição 30 - Outubro 2007
Infância querida
De Dickens a Molnár, de Graciliano a Ariès, dez autores tratam da vida das crianças
por Fernanda Coutinho
DIVULGAÇÃO
Cartaz de Os meninos da rua Paulo, baseado em livro de Molnár, com direção de Zóltan Fábri, 1969
A infância é um tema antigo, existe desde a literatura grega, com uma ressalva, porém: até antes do século XIX, de modo geral, os narradores apressavam o passo nos relatos infantis da vida das personagens. Que autores fizeram obras em que a criança se situa no centro dos acontecimentos, e em que a descoberta do mundo aparece como a grande aventura a ser narrada?

Charles Dickens, que ajudou a firmar o tema da infância como um forte componente dos relatos romanescos no século XIX, é um deles. Em Grandes esperanças (1861), expõe, através de Pip, a fértil imaginação da mente infantil, ao mesmo tempo que revela o dilema da criança diante da linguagem cifrada do mundo adulto.

A “infância dolorosa” tornou-se de fato um mito literário por esse tempo. Há ainda romances autobiográficos que reprisam a questão, como o de Jules Renard, Foguinho (1894), que mostra o protagonista como bode expiatório da mãe, que o submete a duras provas de aprendizagem da solidão e do medo.
1 2 3 4 »