Bulimia: não engula essa

Comer o que quiser sem engordar. Esse é o maior desejo de muitas mulheres, mas algumas transformaram esse sonho em uma triste realidade, chamada bulimia. Comer, comer, comer e depois vomitar tudo parece - e é - um ato bastante agressivo, mas tornou-se uma rotina comum para cerca de 4% da população feminina.
- O principal sintoma da bulimia é correr para o banheiro após a ingestão de algum alimento. A origem desse problema está em questões emocionais e na pressão social sobre a mulher para que ela tenha um corpo perfeito – afirma a psicóloga Olga Inês Tessari, acrescentando que esse transtorno é mais comum entre as adolescentes e na faixa de idade que vai até os 30 anos.

Ir para a academia e malhar durante horas, tomar laxantes, fazer jejum e outros métodos chamados compensatórios (ou seja, que de alguma forma tentem compensar o excesso de comida ingerido) também são sintomas de bulimia, porém a doença é mais conhecida pelo ato de forçar o vômito. Só que vomitar não faz ninguém entrar em forma.
- A digestão começa na boca. Portanto quando você come, já está absorvendo o alimento. Vomitar não emagrece, mas para quem tem bulimia, o ato de colocar a comida para fora dá um grande alívio e a impressão de que ela está se livrando de um peso – explica a psicóloga.

Fisicamente, uma pessoa normal

Aparentemente, quem tem bulimia é uma pessoa normal. Ou seja, se alimenta bem e tem peso na faixa ideal. No entanto, costuma ter uma preocupação excessiva com a aparência e a balança, e quando acha que comeu demais, principalmente depois de episódios de compulsão alimentar, acaba colocando tudo para fora. A tortura não é só na cabeça. O corpo sofre também.
- Além do fator psicológico, a bulimia pode trazer problemas sérios para a saúde, como gastrite, úlcera, inflamação da garganta e desnutrição, pois acaba havendo uma carência de nutrientes se a pessoa vomita tudo que come – alerta Olga. Os dentes também acabam prejuducados, desgastados pelo vômito.

Quem tem bulimia dificilmente assume, se abre ou fala desse assunto. Esconder a doença é "questão de honra", mas alguns sinais podem identificar quem sofre desse mal:
* Comer escondido grandes quantidades de comida
* Trancar-se no banheiro depois de comer
* Marcas nas mãos (deixadas pelos dentes, ao induzir o vômito)
* Olheiras
* Pescoço inchado (as glândulas incham com o ato de vomitar)
* Sinais de mofo no vaso sanitário (devido os restos de comida expelidos)

Apesar de parecer desesperadora, a bulimia tem solução. Um tratamento psicoterápico pode fazer com que a pessoa retome sua vida normal e acabe com esse péssimo hábito. A rapidez da cura varia de pessoa para pessoa, mas em apenas três meses podem aparecer os resultados.
- A pessoa precisa tratar o lado emocional. Se ela vomita, é porque sente culpa por ter comido muito. A questão é descobrir o que há por trás do fato dela cometer abusos, pois certamente é uma forma de suprir afeto, atenção e outras carências – conta a psicóloga, acrescentando que se bem orientada, a paciente tem poucas chances de voltar a sofrer desse transtorno.

"Eu tenho bulimia"

"Tenho bulimia há pouco mais de um ano. Sempre fui muito preocupada com meu corpo, sempre me achei gorda. Tenho 1.65m e quando comecei a vomitar, pesava em torno de 66kg, um pouco acima do que gostaria, mas dentro dos padrões normais. Comecei com isso para aliviar a culpa pelos meus ataques de comilança. No início, achei que poderia me controlar. "Ah, é só dessa vez, não vou mais fazer isso". Mas aí acaba se tornando irresistível. Se podia me livrar da culpa de comer demais, e daquele excesso de comida, porque continuaria com eles? Então os episódios foram ficando cada vez mais freqüentes. De uma ou duas vezes por semana, começaram a ser diários, até duas ou três vezes por dia. Sempre depois de comer demais. Um costume, por exemplo, é ir ao supermercado ou à padaria e comprar uma porção de besteiras para comer, e depois botar tudo pra fora.

Já cheguei ao cúmulo de comer um pacote de biscoito salgado, dois pacotes de biscoito recheado, uma barra grande de chocolate e um litro de sorvete. De uma vez! E vomitar isso tudo depois é um sofrimento e um desgaste físico imenso. Chega uma hora que apenas um dedo na garganta não faz a comida sair, tem que enfiar a mão quase inteira. Com isso já feri as mãos com os dentes, a garganta com a unha, já vomitei sangue. Depois meu rosto fica horrível, inchado, com olheiras imensas. E me sinto uma fracassada.

Já vomitei até fora de casa. Uma vez estava em um restaurante com amigas. Comi um brownie com sorvete e a culpa foi tanta que dei uma desculpa de que não estava me sentindo bem e corri para o banheiro. Imagine que nojo, vomitar em um banheiro público! Mas na hora do desespero nem pensei em nada.

Hoje estou com 61kg, mas não emagreci por causa da bulimia. Definitivamente, vomitar não emagrece. Em algumas fases consegui ter uma alimentação saudável e fazer exercícios, foi o que me fez emagrecer. Mas depois a onda de comer e vomitar voltou, o que faz até manter o peso, mas da pior forma possível. É muito doloroso. Agora, estou fazendo terapia e cada dia é uma luta para parar com isso, que acabou se tornando um vício. O que mais quero é me livrar desse problema. Cheguei à conclusão que é muito melhor estar um pouco acima do peso e totalmente saudável, do que ser uma magra doente e infeliz. "

A.G.V , 27 anos, vendedora e estudante de arquitetura.

 

 
Política de privacidade | Condições de uso

Feminissima.com.br © Copyright2001 Luar Publicidade Ltda.

Voltar ao topo

Envie a um amigo

Imprimir