Praias

Caverna do Diabo, um paraíso no coração da Mata Atlântica para curtir no feriadão

Sem programação para o feriadão? A Caverna do Diabo, no Parque do Alto da Ribeira, é uma excelente opção para quem busca curtir os dias de descanso no meio da natureza


Trilha da Água Suja, com exploração de cavernas, no PETAR. Foto: Fundação Florestal.
Trilha da Água Suja, com exploração de cavernas, no PETAR. | Foto: Fundação Florestal.

Cachoeira nas montanhas ou perto da praia? O outono, com manhãs de céu azul e luz suave, pode ser um motivo a mais para nos conectarmos com a natureza. Existem áreas preservadas, onde é possível acampar ou apenas caminhar em trilhas, encontrar belas cachoeiras, vilas, cavernas e mirantes.

Esta área de proteção ambiental dentro do estado de São Paulo, apesar de pouco conhecida, oferece experiência única.

Ao redor da famosa caverna do Diabo, o Parque Estadual de Turismo do Alto da Ribeira, PETAR, não vai deixar você na mão se a proposta é se desligar de tudo no meio do mato. Seja para contemplar ou tirar fotos lindas de espécies de pássaros, peixes e borboletas, existem centenas de cavernas e opções de trilhas (das fáceis às mais avançadas, em grau de dificuldade). Esportes de aventura também são comuns nestas montanhas.

Isso não significa necessariamente que será preciso acampar. As opções de hospedagem no parque vão do sofisticado ao rústico, atualmente, inclusive chalés charmosos com toda a infraestrutura, lareira e hidromassagem. Agora se o desejado é uma hospedagem mais rústica a opção, sim, é acampar dentro do parque, sendo necessário agendar com os guias autorizados. Só para lembrar, todas as trilhas exigem acompanhamento de guias conhecedores da região.

Mesmo que não haja tempo para ver todas as cachoeiras, fica a dica: "o contato mais intenso com a natureza no PETAR ocorre no Núcleo Caboclos (onde existe o camping), na trilha da Caverna Temimina. Esse é um passeio para ser feito sem pressa. Leva um dia todo e permite conhecer o PETAR na sua essência", afirma a Fundação Florestal, instituição estadual ambiental. É uma experiência que desafia o visitante a entender a importância de preservar regiões como essa.

Serviço:

Taxa de acesso ao parque (única) R$13,00, idosos e menores de 12 anos são isentos.

Camping dentro do parque, agende pelo telefone (15) 3552-1875 ou pelo e-mail: petar.uc@gmail.com.

Localizado a 320Km de São Paulo, acesso pela Rod. Castelo Branco, perto do município de Iporanga

Trilha da Água Sumida, finaliza na cachoeira, também pode ser feita de bicicleta, no PETAR. Foto: Fundação Florestal.
Trilha da Água Sumida, finaliza na cachoeira, também pode ser feita de bicicleta, no PETAR. | Foto: Fundação Florestal.

Cachoeira do Couto, no PETAR. Foto: Fundação Florestal.
Cachoeira do Couto, no PETAR. | Foto: Fundação Florestal.

Ave guará-pitanga, nativa da mata atlântica, um tipo de pelicano. | Foto: Mário Nunes.
Ave guará-pitanga, nativa da mata atlântica, um tipo de pelicano. | Foto: Mário Nunes.

Mapa

Adriana Salerno



recomendado para você


na web