Praias

Grafite: uma arte milenar que teve início na Roma Antiga; Veja fotos

Com inscrições políticas e até comentários lascivos, o grafite e a pichação surgiram ainda no Império Romano e já dividiam opiniões entre defensores e contrários


Em Pompéia, assuntos mais tradicionais nas pichações, como a política deram lugar a grafites com conotação sexual – Foto: Valdiney Pimenta
Em Pompéia, assuntos mais tradicionais nas pichações, como a política deram lugar a grafites com conotação sexual – Foto: Valdiney Pimenta

Descriminado há mais de dois milênios, o grafite já fazia sucesso no Império Romano e assim como hoje, suscitava fortes debates entre a população. Ao longo dos últimos dois mil anos pouco mudou no grafite e suas expressões. Tão comuns como atualmente, as expressões, frases e desenhos em muros criticavam políticos, ironizavam concorrentes ou apenas registravam aquele momento.

Criticados pela elite romana e vistos como a principal forma de expressão da plebe, os grafites e a pichações eram uma marca das grandes cidades do Império. Originárias do Latim, as palavras grafite e pichação derivam, respectivamente, de graphium (grafita) e do pix (piche). Ambos os minerais eram a matéria prima utilizada para escrever e desenhar nas paredes romanas.

Se Roma ainda preserva diversos muros com pichações milenares, a cidade de Pompéia, devastada pelo vulcão Vesúvio, também é famosa pelas manifestações em suas ruínas. Ao contrário dos grafites da capital, os que resistiram ao tempo na cidade considerada Patrimônio Mundial pela UNESCO se destacam pelo tom lascivo das frases. Assuntos mais tradicionais nas escritas, como a política e crítica a inimigos deram lugar a comentários com conotação sexual. Entre as frases mais conhecidas estão citações como "Restituta, tire sua túnica, por favor, e mostre-nos sua região íntima peluda" e "Comi a garçonete". Nos muros da cidade também é possível ver marcas de uma cultura machista, que inclusive incentivava o estupro, com frases do gênero "Tome posse de sua jovem serva sempre que desejares. É o seu direito."

As inscrições tanto em Pompéia quanto em Roma estão em muros de ruínas de antigos edifícios, que muitas vezes funcionaram como bares e prostíbulos. Já as paredes de imóveis residenciais, públicos e templos costumavam ser preservados, mas ainda assim há casos registrados de grafites em templos e prédios governamentais.

Grafite x Pichação

Frequentemente tratados como iguais, o grafite e a pichação são muito diferentes, inclusive perante a legislação brasileira. A pichação é considerada vandalismo e crime ambiental pela Lei 9.605 de 1998. Já o grafite é tratado como uma manifestação cultural, uma arte de rua, desde que autorizada pelo proprietário do muro.

Criticados pela elite romana e vistos como a principal forma de expressão da plebe, os grafites e a pichações eram uma marca das grandes cidades do Império – Foto: Valdiney Pimenta
Criticados pela elite romana e vistos como a principal forma de expressão da plebe, os grafites e a pichações eram uma marca das grandes cidades do Império – Foto: Valdiney Pimenta

Tão comuns como atualmente, as expressões, frases e desenhos em muros criticavam políticos, ironizavam concorrentes ou apenas registravam aquele momento – Foto: Sérgio Carvalho
Tão comuns como atualmente, as expressões, frases e desenhos em muros criticavam políticos, ironizavam concorrentes ou apenas registravam aquele momento – Foto: Sérgio Carvalho

Dennys Marcel



recomendado para você


na web