Praias

Ilha paulista habitada apenas por serpentes já foi considerada o pior lugar de mundo

Infestada por jararacas, a Ilha das Cobras tem o acesso proibido ao público e possui cerca de 85 serpentes por hectare. Em 2010, foi considerada ao lado da região de Chernobyl, o pior lugar do mundo para se visitar

Dennys Marcel - 14/1/2016

Eleita em 2010 pelo site Listverse, como o pior local do mundo para se conhecer, a Ilha da Queimada Grande como também é conhecida, dispensa apresentações. Situada a mais de 30 quilômetros do litoral paulista, entre as cidades de Peruíbe e Itanhaém, ela tem o acesso proibido e restrito apenas a alguns funcionários do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio). Sem habitantes, a ilha sequer possui sinal de celular e fonte de água potável.


Tantas restrições têm uma justificativa simples e compreensível, a Ilha das Cobras abriga ´apenas´ duas mil serpentes, entre elas a espécie "jararaca-ilhoa", que é considerada uma das mais perigosas do mundo. Com uma área de 430 mil m², o local possui cerca de 86 cobras por hectare. Num dia ´normal´ de visita dos biólogos é possível encontrar ao mínimo 60 jararacas pelo percurso, segundo um recente estudo divulgado pela Prefeitura de Itanhaém.


O difícil acesso a ilha garante a preservação da região e dos répteis, que estão na lista do IBAMA de espécies com risco de extinção. Para se chegar ao "pior lugar do mundo" é necessário navegar 35 quilômetros em mar aberto e depois conseguir aportar numa ilha, que não possui praias, apenas uma costa rochosa cercada por um mar revolto.

Habitada pelas cobras há mais de 10 mil anos, a ilha se transformou num abrigo natural de serpentes com o aumento do nível dos mares, na última Era Glacial. A falta de predadores naturais e a não ocupação pelo homem tornou a região um paraíso das jararacas-ilhoa, que se transformaram numa espécie endêmica. No topo da pirâmide alimentar, elas ainda possuem a habilidade de subir em árvores e com isso, surpreenderem suas vítimas.

Se a ilha é raramente visitada, o seu entorno é uma das regiões mais disputadas, no litoral sul paulista, para o mergulho. Com águas claras e uma visibilidade de até 20 metros, o local ainda conta com dois famosos naufrágios (as embarcações Rio Negro e Tocantins). A profundidade na área é de aproximadamente 14 metros.

Nomes da ilha
Os dois nomes que batizam a ilha são autoexplicativos. Oficialmente denominada Ilha da Queimada Grande, ela é chamada assim devido as queimadas que os pescadores realizavam no passado na vegetação costeira para ´expulsar´ as cobras. Já o nome de Ilha das Cobras é uma referência a enorme quantidade de répteis da espécie que a região possui.

Mapa