Praias

Na Islândia é possível mergulhar entre duas placas tectônicas

Único local no mundo onde é possível avistar a junção entre duas placas tectônicas, a fenda de Silfra está localizada no lago Þingvallavatn, a apenas 25 metros de profundidade


A fenda marca o exato local onde se encontram as placas da América do Norte e Eurásia - Foto: Alex Mustard
A fenda marca o exato local onde se encontram as placas da América do Norte e Eurásia - Foto: Alex Mustard

Qual o roteiro de viagem mais incrível que você já fez ou pretende realizar? Dificilmente ele irá superar um mergulho no pacato lago Þingvallavatn, na Islândia. Quem olha as belezas naturais da região, não imagina os segredos que ela esconde embaixo d'água, submersos a poucos metros de profundidade. Localizado no Parque Nacional Thingvellir, considerado Patrimônio da Humanidade pela UNESCO, o lago é cortado pela fenda de Silfra, porém não é uma falha rochosa qualquer, ela marca a divisão entre duas placas tectônicas.

Única região do mundo onde é possível ver este feito, a fenda continua em constante movimento e aumenta aproximadamente 2,5 cm por ano. Quando foi localizada pela primeira vez há mais de um século, trechos da falha possuíam poucos centímetros e, atualmente, em algumas regiões, atinge mais de quatro metros de largura. Já sua profundidade varia conforme a localidade no lago. Na área sul de Þingvallavatn, a fenda está a apenas 25 metros abaixo do nível da água, mas ao norte ela atinge até 60 metros de profundidade.

Quem espera se surpreender apenas com a beleza da fenda ficará ainda mais maravilhado com o grau de pureza da água, que transforma o mergulho num passeio incrível. A visibilidade atinge mais de 40 metros em algumas regiões do lago, mas é preciso usar roupas térmicas para o mergulho, pois a temperatura média da água é de 4ºC, na época mais quente do ano. Contudo, quem conhecer a região terá a experiência única de nadar entre duas placas tectônicas.

Outro ponto muito visitado dentro do lago é a "Arnarnes Strytur", uma chaminé hidrotermal. O local libera água à 80ºC, que entra em reação com o líquido ambiente que está numa temperatura média de 4ºC criando uma ´nuvem´ turva, contrastando com a pureza da água. Entre tantas belezas submersas, a chaminé é o segundo local mais visitado dentro do Þingvallavatn, perdendo apenas para a fenda de Silfra.

Como chegar

Com voos partindo de São Paulo rumo à Reykjavik, capital da Islândia, as passagens aéreas custam a partir de R$ 3.784. O percurso é operado por companhias internacionais e possui no mínimo uma escala. O caminho entre Reykjavik e o Parque Nacional Thingvellir deve ser realizado pela Rota 1, única rodovia existente no país. Ela circunda a nação insular e leva os turistas até o Parque, entre outros destinos islandeses. Outra opção é comprar um pacote turístico que já inclua guias e o translado para conhecer Thingvellir.

A fenda é a única região do mundo onde é possível ver o encontro de duas placas tectônicas - Foto: Alex Mustard
A fenda é a única região do mundo onde é possível ver o encontro de duas placas tectônicas - Foto: Alex Mustard

A visibilidade atinge mais de 40 metros em algumas regiões do lago - Foto: Alex Mustard
A visibilidade atinge mais de 40 metros em algumas regiões do lago - Foto: Alex Mustard

A fenda continua em constante movimento e aumenta aproximadamente 2,5 cm por ano - Foto: Alex Mustard
A fenda continua em constante movimento e aumenta aproximadamente 2,5 cm por ano - Foto: Alex Mustard

Mapa

Dennys Marcel



recomendado para você


na web