Praias

Sabe por que a maioria das roupas femininas não têm bolsos funcionais?

Nos últimos tempos, as mulheres obtiveram muitas conquistas, mas ter um bolso funcional na roupa ainda é uma luta a ser vencida e o sexismo é o grande rival nesta batalha


A visão sexista entende que o uso de bolsos altera a silhueta do corpo da mulher - Foto: Ed Dame
A visão sexista entende que o uso de bolsos altera a silhueta do corpo da mulher - Foto: Ed Dame

Todos que usam roupas femininas sabem da dificuldade que é colocar um celular ou uma carteira no bolso, quando há bolso! Este problema, que já foi símbolo da luta feminista das sufragistas, ainda é uma realidade em pleno século XXI. Já o motivo da falta de bolsos é muito mais profundo e ao longo dos séculos foi se transformando. Atualmente, a resistência em colocar bolsos de forma mais democrática nas roupas femininas é comercial e sexista. Já no passado, a falta do acessório é explicada pelos padrões de moda da época e limitação da liberdade da mulher.

Afinal, por que as roupas femininas não possuem bolsos funcionais? A luta por mais bolsos nos dias atuais envolve um mercado de bilhões de dólares, além de uma visão sexista da mulher. Se a indústria têxtil incluir mais bolsos causará prejuízos incalculáveis, em especial no mercado consumidor de bolsas. Tendo a opção de escolher, muitas mulheres optarão por usar apenas os bolsos e não mais as bolsas. Fato idêntico ao que aconteceu com os homens ao longo dos séculos. Esta é a visão mercadológica da falta do acessório nas roupas femininas.

Já a visão sexista entende que o uso de bolsos altera a silhueta do corpo da mulher, fugindo do que "se espera" dos padrões impostos por parte da sociedade. Este conceito sexista transformou o bolso das roupas femininas em algo estético e das masculinas em funcional. Numa entrevista, em 1954, o estilista Christian Dior resumiu o pensamento da indústria da moda ao longo da história na frase "Homens têm bolsos para guardar as coisas. As mulheres para decoração".

Séculos de machismo

A questão vem desde meados do século XVI, quando foram criados os primeiros bolsos, em roupas masculinas, que substituíram as algibeiras, uma espécie de bolsa que homens e mulheres usavam na época. Já as roupas femininas não possuíam o acessório por questões estéticas e elas eram obrigadas a usarem pequenas bolsas presas no interior dos vestidos. Como as roupas da época tinham várias camadas, estes utensílios ficavam "invisíveis".

A situação se transformou drasticamente com a Revolução Francesa, que quebrou todos os padrões culturais e políticos existentes. As roupas femininas ficaram mais justas, dando contorno ao corpo da mulher e criando o padrão sexista dos dias atuais. Surgia neste momento, pela primeira vez, a preocupação em criar roupas visando apenas a estética e não o funcional.

Em paralelo, nesta mesma época, as vestes masculinas já eram repletas de bolsos, que lhe permitiam carregar objetos do cotidiano, dinheiro e passar longos períodos longe de casa. Neste momento, o machismo se une ao sexismo para limitar o acessório nas roupas femininas. Sem bolsos, as mulheres da época ficavam restritas a saídas rápidas, sem dinheiro e, principalmente, dependentes de alguém para suas atividades básicas.

Somente no início do século XX que as sufragistas criaram um movimento que também defendia o uso de bolsos em roupas femininas. Elas desenvolveram o "suffragette coats" (casacos das sufragistas, português), que contavam com até seis bolsos para guardar diversos objetos. A ideia do casaco, que dava independência à mulher, se transformou num símbolo do período. Também foi nesta mesma época que foram abertos os primeiros banheiros públicos femininos, quase um século após os masculinos surgirem. Até então, uma mulher só poderia permanecer fora de casa pelo período que aguentasse ficar sem ir ao banheiro. A luta por mais bolsos funcionais nas roupas femininas continua!

Dennys Marcel



recomendado para você


na web