Praias

Salvador

30/3/2010

Conheça a cidade gastando pouco


Marina Silva

Mais um feriadão vem aí. A grana está curta para viajar? Não se preocupe. Há sempre opções legais de programas bem em conta para quem não pode gastar muito, mas não abre mão de uma viagem nos feriados prolongados. Salvador é um desses destinos. Mistura de som, cores e cultura, a cidade tem atrativos para todos os gostos. E tudo isso pode ser curtido sem deixar as contas no vermelho.


O Guia do Litoral preparou uma lista de programas legais com preços acessíveis para quem quer conhecer Salvador. Faça as contas e escolha os programas que cabem no seu bolso.


Farol da Barra: bela paisagem, pôr do sol e história
Farol da Barra: bela paisagem, pôr do sol e história. Foto: Sérgio Pedreira


Praia do Porto da Barra é point de todas as tribos.
Praia do Porto da Barra é point de todas as tribos. Crédito: Marina Silva


 


Barra: lá se encontra um dos pontos turísticos mais famosos da cidade: o Farol do Barra. Aproveite para admirar a vista maravilhosa da Baía de Todos os Santos, curtir apresentação de grupos de capoeira e visitar o Museu Náutico da Bahia, que fica dentro da fortificação (entrada R$6 e R$3 para estudantes. Contato: 71 3264-3296).


Vale um passeio pela orla até a Praia do Porto, bem perto do Farol. Essa é uma das praias mais frequentadas dentro da cidade. Com mar calmo de água transparente, é perfeita para banho. No verão, a pequena faixa de areia da praia fica bem disputada, principalmente nos finais de semana. Mas fora da alta estação, os preços de aluguel de cadeira caem e há mais espaço livre. Experimente o famoso espetinho de camarão do João a partir de R$3.


Casas coloridas, lojinhas e ladeiras no Pelourinho
Casas coloridas, lojinhas e ladeiras no Pelourinho. Foto: Marina Silva


Igreja de São Francisco é um dos pontos turísticos do centro histórico
Igreja de São Francisco é um dos pontos turísticos do centro histórico. Foto: Marina Silva


Centro Histórico: pode-se separar uma tarde inteira para curtir o centro histórico de Salvador. Nosso passeio começa no Pelourinho. O local mais famoso da cidade, com suas ladeiras inclinadas e casas coloridas, é programa para quem gosta de caminhar, visitar museus e olhar lojinhas. Há várias salas de exposição, como a galeria Solar do Ferrão (71 3117-6357), Casa do Benin (71 3241-5679), Fundação Casa Jorge Amado (71 3321-0070), todos com entrada gratuita. Mas atenção, muitos dos museus só funcionam pela tarde, quando o Pelourinho está mais movimentado. Quem gosta de arte sacra não pode deixar de visitar a Igreja de São Francisco, coberta de ouro, a Catedral Basílica e a Igreja do Rosário dos Pretos.


Do Pelourinho, seguimos para o Elevador Larceda, que liga a cidade alta a cidade baixa. A vista de lá é imperdível. Desça o Elevador (R$0,15) e visite o Mercado Modelo. Local de venda de artesanato, é o lugar ideal para comprar lembrancinhas para amigos e família.


Quem gosta de agito, vale um passeio pelas praças do Pelourinho à noite, onde há música ao vivo. Mas não se arrisque pelos becos e ruelas menos movimentados. Às terças-feiras acontecem shows no Terreiro de Jesus, na Terça da Benção. Termine a noite no Santo Antônio Além do Carmo, em algum dos barzinhos com vista para o mar.


Elevador Lacerda: vista da cidade baixa
Elevador Lacerda: vista da cidade baixa. Foto: Sérgio Pedreira


Mercado Modelo é o local ideal para comprar lembrancinhas
Mercado Modelo é o local ideal para comprar lembrancinhas. Foto: Emtursa


Rio Vermelho: um dos bairros mais movimentados da capital baiana à noite, é reduto de restaurantes (japonês, árabe, pizzaria, cozinha contemporânea...), bares (de cachaçaria a champanheria) e danceterias para todos os gostos. Quem quiser provar um acarajé, esse é o lugar ideal. É no Largo de Santana, no Rio Vermelho, que se encontra a iguaria mais famosa da Bahia. Forma-se fila para comer o Acarajé da Dinha (a partir de R$3,50). Depois, basta escolher alguns dos barzinhos para beber, comer ou dançar. Na hora da dança, música alternativa é na Borracharia. O local, que de dia funciona para conserto de carros, se transforma com som de dj nas noites de sextas-feiras e sábados. A entrada custa R$ 15 (mulher) e R$20 (homem). Local menos alternativo, o pequeno Twist Pub (71 3334-1520) é bom para dançar e paquerar, mas com preço mais salgado (quarta-feira tem banda em festa open bar - entradas: R$30, mulher, e R$40, homem, mais couvert R$5. Os preços variam conforme o dia).


Forte São Marcelo fica no meio do mar.
Forte São Marcelo fica no meio do mar. Foto: Sergio Pedreira


Vista privilegiada da cidade a partir do Forte São Marcelo
Vista privilegiada da cidade a partir do Forte São Marcelo. Foto: Emtursa


Forte São Marcelo: localizado no meio do mar, o acesso se dá através de um curto passeio de barco de apenas 5 minutos. Do Forte (71 3525-7142), é possível admirar um belo pôr do sol e uma das mais incríveis vista da cidade, além de conhecer o museu sobre a história de Salvador. O forte abre todos os dias, das 9h às 18h. (Entrada: R$ 12, inclui a travessia e a visita guiada ao museu).


Solar do Unhão é tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional
Solar do Unhão é tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional . Foto: Robson Mendes


Solar do Unhão: o pôr do sol também é uma das atrações do Solar do Unhão (71 3117- 6132). O antigo casarão do século XVIII abriga o Museu de Arte Moderna da Bahia. Vale uma visita pelas salas de exposição e pelo jardim com esculturas. A entrada é gratuita. Aproveite para curtir o Jazz no MAM. O som agita todos os sábados a partir das 18h, com entrada a R$5 e R$2,50 (estudantes). O museu funciona de terça a domingo, das 13h às 19h, exceto sábado que encerra às 21h.


Aos sábados, o jazz agita o Solar do Unhão
Aos sábados, o jazz agita o Solar do Unhão. Foto: Luciano Oliveira


Praias: com 50km de litoral, o que não falta é opção de praia para escolher. As mais distantes ficam movimentadas nos finais de semana. As mais badaladas são Stella Maris, Praia do Flamengo e Ipitanga, onde há barracas com conforto, variedade no cardápio e música. Os preços não são os mais atrativos da cidade, mas vale a pena conferir pelo menos uma delas e consumir o que couber no bolso. A mais conhecida é a Barraca do Lôro (71 3374-7509), na Praia do Flamengo, mas há muitas opções legais. Basta uma caminhada para escolher a que mais te agradar.


Passeio por Itapuã: na volta da praia, dê uma paradinha no Farol de Itapuã. O local tranquilo, não é o mesmo cantado por Dorival Caymmi, mas ainda vale uma visita. De lá, tome uma água de coco na Lagoa do Abaeté, conhecida pela bela paisagem formada pelo contraste entre a areia branca e as águas escuras. O lugar já foi mais preservado, muito freqüentado nos anos 70 e 80 por grupos que tocavam violão sob a luz das estralas. Hoje, é preciso um pouco mais de cautela. Não se arrisque sozinho no meio das dunas mais distantes.


Baiana leva flores para a igreja do Bonfim
Baiana leva flores para a igreja do Bonfim. Foto: Marina Silva


 


Igreja do Bonfim e Ponta de Humaitá: a igreja, que ficou famosa através da lavagem, é bastante visitada por turistas e baianos que fazem seus pedidos ao Senhor do Bonfim. Conheça a sala do ex-votos e amarre a fita colorida no gradio da igreja. No punho, dê três nós e faça três pedidos. Dizem que quando a fita partir naturalmente, os pedidos são atendidos pelo Senhor do Bonfim.


Na Ponta de Humaitá os atrativos ficam por conta da paisagem e do pôr do sol. Pouco frequentado por turistas, o local fica próximo à Igreja do Bonfim e vale uma visita no final de tarde. Se a fome apertar, dê uma paradinha em algum dos restaurantes no Mont Serrat, mais especificamente na Pedra Furada. O mais conhecido é o Recanto da Lua Cheia (71 3316-3986).



Hora do rango: Deu fome? Há algumas opções de lugares para comer. A escolha depende do bolso e do gosto de cada um. Perto do Solar do Unhão, na Avenida Contorno, fica a Marina, onde há opções de restaurante que variam entre o japonês, italiano, francês, crepes... Os preços não são dos mais convidativos da cidade, mas os ambientes são super elegantes e aconchegantes. O Acqua Café (www.ouirestaurante.com.br), conhecido pelos deliciosos crepes e o ambiente mais descontraído, por exemplo, tem píer sobre o mar.


Quem preferir opções mais em conta, o Aconchego da Zuzu (71 33315074) é uma boa pedida. Localizado no Garcia, o lugar é bem simples, mas super aconchegante: funciona na varanda de uma velha casa e é assim que nos sentimos, em casa. A comida caseira é espetacular e o preço bem atrativo. Experimente o abará (R$3,80), premiado pelo concurso dos botecos. No cardápio há também feijoada (R$22 para dois), a típica carne do sol com aimpim, entre outros. Todas as sextas-feiras, sábados e domingos tem música ao vivo, com couvert de R$5.



Quem visita Salvador, não pode deixar de provar uma moqueca. O restaurante Iemanjá (www.restauranteyemanja.com.br) ficou bem conhecido pela comida baiana. A moqueca da Donana (71 3351-8216) não fica atrás, mas o ambiente é mais simples. No centro histórico, há vários restaurantes para escolher. O Restaurante do Sesc (71 3324-4550), no Pelourinho é uma boa dica: preço bom, com comida de qualidade.



Hora de dormir: O que não falta é hotel, pousada e albergue em Salvador. Os preços variam muito, a depender da categoria da hospedagem. Para quem quer economizar, o ideal é ficar por um albergue ou escolher uma pousada aconchegante, mas sem muito luxo. A dormida pode sair a partir de R$20.


Albergue do Porto: www.alberguedoporto.com.br


Albergue da Barra: www.alberguebarra.com.br


Albergue das Laranjeiras: www.laranjeirashostel.com.br


Albergue do Pelô: www.alberguedopelo.com.br


Pousada Pedra da Concha: www.pousadapedradaconcha.com.br


Pousada Noa Noa: www.pousadanoanoa.com


Hotel Ibis: www.accorhotels.com/pt/hotel-5173-ibis-salvador-rio-vermelho/index.shtml

Share