Universo Online

Títulos de “Cidadão Ubatubense”

 são aprovados em sessão extra 

 

Em sessão extra, são aprovados títulos de “Cidadão Ubatubense” Na última sexta-feira, 28, em sessão extraordinária iniciada por volta de meio-dia, foram aprovadas, por unanimidade dos vereadores presentes (Gerson de Oliveira, Marcos Francisco e Luciana Machado faltaram), quatro indicações para a concessão de título de cidadão ubatubense, além da redação final do Estatuto dos Servidores Públicos Municipais (PL nº 114/07).
A concessão de títulos de cidadania ubatubense pela Câmara Municipal está prevista na Lei Orgânica do Município (LOM) e sofreu alteração do então vereador Eduardo César, que a limitou a cinco honrarias por ano.
O homenageado deve ter residência fixa em Ubatuba há mais de cinco anos, salvo quando se tratar de vulto de projeção e grandeza que extrapole os limites no município, além de ter-lhe prestado relevantes serviços.
O vereador Charles Medeiros (PSDB) indicou o deputado federal do seu partido, o advogado e ambientalista Ricardo Trípoli, pela sua vitoriosa trajetória política.
Já Claudinho Gulli, vereador pelo PMDB, escolheu a cidadã Rufiniana Maria dos Santos, mais conhecida como Dª Vevéia, pelo seu espírito solidário e boa vontade em ajudar o próximo.
A doutora em Antropologia Social Kilza Setti de Castro Lima foi a indicada pelo vereador Jairo dos Santos (PT) e o prefeito de Jandira/SP, Paulo Henrique Barjud, m ais conhecido por Paulinho Bururu, fia a indicação do vereador Osmar de Souza (DEM).
O vereador Edílson Félix (PR) encaminhou sua indicação na sessão ordinária de terça-feira, dia 2. Seu homenageado é o professor Corsino Aliste Mezquita e a indicação foi rejeitada pelo vereador Gerson de Oliveira.
Os homenageados
A trajetória política de Ricardo Trípoli começou em 1975, quando foi o 3º vereador mais votado do município de São Paulo, sendo reeleito em 1984.
Em 1990, foi eleito deputado estadual pelo PSDB, partido onde atua desde a sua fundação. Reeleito em 1994, foi autor da lei do ICMS ecológico, que destina mais recursos para municípios com parques, reservas biológicas e estações ecológicas.
Nesse mandato, eleito presidente da assembléia legislativa, procedeu sua reestruturação trabalhou para modernização da Assembléia Legislativa, que conseguiu o Prêmio ISSO 9002; combateu o corporativismo; investiu em incorporação de geotecnologias no licenciamento, fiscalização, planejamento e zoneamento ambiental do estado, além de autor de políticas estaduais do Meio Ambiente e do Idoso e mudanças nas leis de proteção de mananciais e à fauna silvestre.
Em 1998, reeleito deputado estadual promove estudos e elaboração de propostas para regulamentação ambiental (Plano Estadual de Gerenciamento Costeiro do Litoral Norte) e também programa de educação ambiental e de preservação da Mata Atlântica (PPMA).
Em 1999, assume a Secretaria Estadual do Meio Ambiente, é eleito presidente do Consema (Conselho Estadual do meio Ambiente) e recebe o prêmio top de Ecologia pelo projeto “São Paulo Pomar, Mais Verde Mais Vida”.
Reeleito deputado estadual em 2003, assume a presidência da Comissão de Constituição e Justiça da assembléia legislativa.
Eleito deputado federal em 2006, apresenta o projeto que institui o Código Federal de Bem-estar Animal, que estabelece normas de controle populacional e de zoonoses, experimentação científica e criação.
Em 2007, foi eleito presidente da Comissão de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável da câmara e é escolhido pela Frente Parlamentar Ambientalista, um dos colegiados mais atuantes do Congresso nacional, para coordenar o Grupo de Trabalho da Fauna.
Medeiros considera que o deputado muito pode ajudar na resolução dos problemas enfrentados pelas comunidades residentes em áreas proteção permanente (APP’s).
Dª Vevéia, 77 anos, nasceu em Medina/MG e é mãe de oito filhos. Chegou a Ubatuba em 1982 e já começou a ajudar a comunidade. Ficou viúva quando seu filho mais novo tinha apenas três anos de idade e lutou com enorme dificuldade para criar seus filhos e educá-los com dignidade.
Sempre pregando a união familiar, muito ajudou na organização da igreja católica e das pessoas que a procuram para tirar documentos de aposentadoria ou qualquer outra necessidade. Sua felicidade é contribuir para fazer as pessoas felizes.
Gulli disse que considera Dª Vevéia um exemplo a ser seguido por todos os cristãos, independente de credo.
Paulinho Bururu, 43 anos, é casado e pai de cinco lindas filhas. Cumprindo seu segundo mandato de prefeito de Jandira/SP. Ele já trabalhou como feirante, auxiliar de serviços diversos bancário e leiturista da luz.
Em 1988, foi eleito vereador pelo Partido dos Trabalhadores (PT), sendo reeleito a seguir.
Depois de ser duas vezes o candidato a deputado estadual mais votado de Jandira, conseguiu se eleger prefeito em 2000. Atualmente, cumpre o segundo mandato.
Souza disse que admira muito o prefeito Paulinho Bururu, que muito o tem ajudado a conseguir benefícios para os munícipes mais carentes, inclusive doação de cadeiras de rodas até motorizadas. “Nas festividades de fim de ano, ele sempre contribui, além de levar o nome de Ubatuba para todo lugar aonde vai”, justificou.
Kilza Setti de Castro Lima nasceu em São Paulo, em 26/01/32, atuou como concertista e solista de orquestra até 1958.
Doutora em Antropologia Social pela USP e graduada em Música, desde 1960 dedica-se à composição e à pesquisa em antropologia Musical, além de exercer atividades didáticas, participação em congressos e produção de artigos sobre Etnomusicologia e Antropologia da Música.
Kilza coleciona premiações nacionais e internacionais e, em 1996, sua “Missa Caiçara” para coral misto, solos vocais e intervenção de viola caipira, violino e caixa, estreou no II Festival de Música Sacra de São Paulo.
Em 1997, assumiu a Secretaria de Cultura e Turismo de São Sebastião, quando organizou a exposição temática “O caiçara negro do Litoral Norte” e criou a “Primeira Semana do Índio” e a “Primeira Festa da Cultura Popular”, com enfoque na cultura caiçara e nos vertentes culturais de grupos migrantes de outros estados.
Seu projeto “Acervo Memória Caiçara”, que inclui repertórios musicais, depoimentos e imagens, foi contemplado pelo Programa Petrobras (2005/2006).
Sua tese de doutorado foi publicada com o título: “Ubatuba nos Cantos das Praias – estudo do caiçara paulista e de sua produção musical”.
Santos lembra que a historiadora faz trabalhos com os caiçaras locais desde as décadas de 50/60, resgatando sua cultura. “Ela tem a preocupação de manter viva a cultura caiçara, o que atualmente está muito complicado”, explicou.
Corsino aliste Mezquita nasceu na Espanha, em 27/02/34, e veio para Ubatuba em 1973 como professor de geografia da EE Capitão Deolindo de Oliveira Santos. Além dessa, é licenciado também em Filosofia, Estudos Sociais, Pedagogia, e pós-graduado em Climatologia e Supervisão Pedagógica.
Lecionou em várias escolas e foi diretor das EE Dionísia e Olga Gil e vice-diretor da Capitão Deolindo. Durante dez anos como diretor da Escola de Comércio (atual EM Tancredo Neves), reergueu-a e organizou-a legal e administrativamente e promoveu cursos de formação profissional em diversas áreas de atividade em convênio com ACIU e SENAC. Em 1979, criou o Curso Supletivo de 1º Grau, que tantas oportunidades tem oferecido a todos que não as tiveram quando crianças.
Na administração passada, ocupou o cargo de secretário de Educação, quando a educação municipal viveu período de grande desenvolvimento, com sólidos investimentos na qualidade da merenda e do transporte escolares.
Sempre muito ativo e interessado, por 12 anos (1975/1987), foi membro da diretoria da Santa Casa e também conselheiro do Conselho de Administração do Fundo Municipal de Aposentadoria e Pensões (FUNDO).
Atualmente, é conselheiro do Instituto de Previdência Municipal de Ubatuba (IPMU).
Durante 15 anos, colaborou com o jornal “A Cidade”, publicando artigos e comentários sobre educação, problemas municipais, sugestões e críticas aos erros ou desmandos dos homens públicos.
Atualmente, seus artigos são publicados pelas revistas virtuais “Litoral Virtual” e “Ubatuba Víbora” e também pelo jornal “A Semana”.
Para Félix, a fidelidade aos princípios de honestidade, cumprimento do dever, separação entre o público e o privado, o exercício da cidadania e da solidariedade nem sempre foram compreendidos. “É essa gama de serviços prestados e a fidelidade, honestidade, disposição para servir e valentia para defender suas idéias que o fazem merecedor da honraria”, salientou o vereador.