Inicial

Edições Anteriores

Dicas de Lazer

Expediente

Capa desta Edição

Inter-Ação Comunitária Sambentista implanta
PAEC na Estância de São Bento do Sapucaí

por Hermes Rodrigues Nery


A Inter-Ação Comunitária Sambentista (INCAS) foi fundada em 19 de novembro de 2001, por uma ação do CEAR (Centro Ecumênico de Ação e Reflexão). Após reunir expressivas lideranças de Igrejas, Entidades e Instituições públicas e privadas de São Bento do Sapucaí, ficou constituída a nova Entidade. Para o Pe. Edmund Leising, o maior desafio da INCAS é otimizar uma ação social que viabilize o conceito de "inclusão", buscando concretizar programas de valorização da pessoa humana, especialmente a criança carente.

A EMERF Bairro do Monjolinho, EM São Bento do Sapucaí, foi escolhida como ponto inicial da implantação do PAEC (Programa de Apoio Criança Carente) por se encontrar na zona rural e ser um dos bairros pouco atendidos, em termos de benefícios sociais e culturais. Portanto, um grande desafio de adoção de uma ação de caráter inclusivo (propiciando melhor igualdade de oportunidades) às crianças e famílias locais. As iniciativas da INCAS visam, a partir do Monjolinho, tornar a cidadania um valor de vida e uma prática de todos.

A primeira visita à Escola Mista Bairro do Monjolinho, realizada em 21 de maio, deu início ao processo de implantação do Programa de Apoio a Criança Carente (PAEC). Estivemos presentes na EMEFR Bairro do Monjolino, juntamente com a Diretora do Colégio Cel. Ribeiro da Luz e Vice-presidente da Inter-Ação Comunitária Sambentistaí (INCAS), Maria de Fátima Gonçalves Tamashiro, a Coordenadora Pedagógica do Colégio Cel. Ribeiro da Luz, Roseli Aparecida de Souza Costa, o Animador Comunitário da INCAS e a professora Valéria dos Santos Costa Camargo

O Projeto de Apoio ao Estudante Carente (PAEC) é um programa de apadrinhamento de crianças, exclusivamente voltado para estudantes carentes, escolhidos e acompanhados pela entidade formada por membros de igrejas e entidades locais.

Metade dos recursos é repassada às famílias e seu emprego acompanhado; a outra metade é usada na implantação de projetos escolhidos pela comunidade e orientados pelo CEAR.

 

NOTA: Hermes Rodrigues Nery é membro da Academia de Letras de Campos do Jordão e coordenador da Pastoral da Comunicação da Diocese de Taubaté. E-mail: hrnery@uol.com.br