* clique aqui para fazer o download das cifras em versão para impressão

  
  // 01. SAMBA A DOIS (Marcelo Camelo)

Quem se atreve a me dizer
do que é feito o samba?
Quem se atreve a me dizer?

Não, eu não sambo mais em vão
O meu samba tem cordão
O meu bloco tem sem ter e ainda assim
Sambo bem a dois por mim
Bambo e só, mas sambo sim
Sambo por gostar de alguém gostar de

Me lavra a alma, me leva embora
Deixa haver samba no peito de quem chora

Quem se atreve a me dizer
do que é feito o samba ?
Quem se atreve a me dizer?

Quem me ensinou a te dizer
Vem que passa o teu sofrer
Foi mais um que deu as mãos entre nós dois
Eu entendo o seu depois
Não me entenda aqui por mal
Mas pro samba foi vital falar em

Me laça a alma, me leva agora
Já que um bom samba não tem lugar nem chora

Nem se atreva a me dizer
Do que é feito o samba
Nem se atreva a me dizer

  // 02. O VENCEDOR (Marcelo Camelo)

Olha lá quem vem do lado oposto
e vem sem gosto de viver
Olha lá os que os bravos são escravos
sãos e salvos de sofrer
Olha lá quem acha que perder
é ser menor na vida
Olha lá quem sempre quer vitória
e perde a glória de chorar

Eu que já não quero mais ser um vencedor,
levo a vida devagar pra não faltar amor

Olha você e diz que não
vive a esconder o coração

Não faz isso, amigo
Já se sabe que você
só procura abrigo
mas não deixa ninguém ver
Por que será ?

Eu que já não sou assim
muito de ganhar
junto às mãos ao meu redor
Faço o melhor que sou capaz
só pra viver em paz.

 

  // 03. TÁ BOM (Marcelo Camelo)

Senta aqui que hoje eu quero te falar
Não tem mistério, não, é só teu coração
Que não te deixa amar
Você precisa reagir. Não se entregar assim...
- Como quem nada quer ?
Não há mulher, irmão, que goste desta vida
Ela não quer viver as coisas por você
Me diz, cadê você ai ?
E ai, não há sequer um par pra dividir
Senta aqui espera que eu não terminei
Por onde você foi que eu não te vejo mais?
Não há ninguém capaz de ser isto que você quer
- Vencer a luta vã e ser o campeão !
Pois se é no não que se descobre de verdade
o que te sobra além das coisas casuais
Me diz se assim está em paz
achando que sofrer é amar demais
 
  // 04. ÚLTIMO ROMANCE(Rodrigo Amarante)

* Leia aqui um comentário de Amarante sobre as cifras

Am         D   Am             D
  Eu encontrei quando não quis
Am             D    G         G#º
  mais procurar   o meu amor.

Am D Am D E quanto levou foi p'reu merecer Am D G G#º antes um mês e eu já não sei...
Am D Am D

E até quem me vê lendo o jornal Am D G G#º na fila do pão sabe que eu te encontrei.
C7M Am7 Bm7
E ninguém dirá que é tarde demais, Em D C7M que é tão diferente assim. Am7 Bm7 B7 Do nosso amor a gente é que sabe!
Em D Am7 D D#º Em
Me diz o que é o sufoco que eu te mostro alguém D Am7 D D#º afim de te acompanhar. Em D Am7 D D#º Em D C7M D E se o caso for de ir à praia eu levo essa casa numa sacola!
(Am D) 3x // G G#º
Am D Am D Eu encontrei e quis duvidar. Am D G G#º Tanto cliché deve não ser.
Am D
Am D Você me falou pr'eu não me preocupar Am D G G#º ter fé e ver coragem no amor
Am D
Am D E só de te ver eu penso em trocar Am D G G#º a minha TV num jeito de te levar... C7M Am7 Bm7 a qualquer lugar que você queira Em D C7M Am7 e ir onde o vento for, que pra nós dois Bm7 B7 Am7 sair de casa já é se aventurar.
Bm B7 Em D Am7
Vai, me diz o que é o sossêgo D D#º Em D Am7 D D#º que eu te mostro alguém afim de te acompanha

Em D Am7 D
E se o tempo for te levar D#º Em D Am7 eu sigo essa hora e pego carona pra te acompanhar.
(C7M // Am7 // Bm7 // Em D) 4x // C7


  
  // 05. DO SÉTIMO ANDAR (Rodrigo Amarante)

* Leia aqui um comentário de Amarante sobre as cifras

Introdução: [ D7M / / / /C#7e4 /C#7 ] 2x  
Essas barras são para determinar o tempo de cada acorde numa sequência em que eles têm duração irregular (quando uns duram mais que os outros). Elas significam que o acorde que as precede se repete. Cada espaço entre duas barras é uma unidade de tempo. Ex.: (C / /D) quer dizer que o Dó dura o dobro do Ré, como se entre as barras estivesse o mesmo acorde (C /C /D ou C /"/D). Pra saber quanto dura essa unidade de tempo veja pelo acorde que passa sem se repetir, ele é o mais rápido e dura uma unidade. Pra facilitar pense (nessa música) 1234 /1234 /1234...

 
D7M               
 Fiz aquele anúncio e ninguém viu. Pus em quase todo lugar
C#7e4    C#7        D7M
   a foto mais bonita que eu fiz,
                                 C#7e4  C#7          
 você olhando pra mim.

D7M
Alto aqui do sétimo andar longe eu via você C#7e4 C#7 D7M C#7e4 C#7 e a luz desperdiçada de manhã no copo de café.
F#m D C#m Bm F#m D
Deus sabe, o que eu quis foi te proteger C#m Bm F#m do perigo maior que é você. D C#m Bm F#m E eu sei que parece o que não se diz... D C#m E D7M o seu caso é o tempo passar.
C#7e4 C#7
Quem fala é o doutor. D7M Parece que foi ontem eu fiz aquele chá de habu C#7e4 C#7 D7M C#7e4 C#7 pra te curar da tosse e do chulé, pra te botar de pé. D7M E foi difícil ter que te levar àquele lugar... C#7e4 C#7 D7M C#7e4 C#7 Como é que hoje se diz? ...você não quis ficar.
F#m D C#m Bm F#m
Os poucos que viram você aqui D C#m Bm F#m disseram que mal você não faz. D C#m Bm F#m E se eu numa esquina qualquer te vir D Bm E D7M será que você vai fugir? C#7e4 C#7 D7M Se você for eu vou correr! C#7e4 C#7 [ D7M / / / /C#7e4 /C#7 ]3x D7M Se for eu vou...!


  
  // 06. A OUTRA (Marcelo Camelo)


Paz, eu quero paz
Já me cansei de ser
a última a saber de ti
Se todo mundo sabe
quem te faz chegar mais tarde
eu já cansei de imaginar
você com ela
Diz pra mim se vale à pena, amor
A gente ria tanto
desses nossos desencontros
mas você passou do ponto
e agora eu já não sei mais ...

Eu quero paz
Quero dançar com outro par
pra variar, amor
Não dá mais pra fingir
que ainda não vi
as cicatrizes que ela fez
Se desta vez ela é senhora deste amor
pois vá embora, por favor
que não demora pra essa dor
sangrar

 

  // 07. CARA ESTRANHO (Marcelo Camelo)

Olha só, que cara estranho que chegou
Parece não achar lugar
no corpo em que Deus lhe encarnou
Tropeça a cada quarteirão
não mede a força que já tem
exibe à frente o coração
que não divide com ninguém
Tem tudo sempre às suas mãos
mas leva a cruz um pouco além
talhando feito um artesão
a imagem de um rapaz de bem
Olha ali quem está pedindo aprovação
Não sabe nem pra onde ir
se alguém não aponta a direção
Periga nunca se encontrar
Será que ele vai perceber
que foge sempre do lugar
deixando o ódio se esconder
Talvez se nunca mais tentar
viver o cara da TV
que vence a briga sem suar
e ganha aplausos sem querer

Faz parte desse jogo
dizer ao mundo todo
que só conhece o seu quinhão ruim

É simples desse jeito
quando se encolhe o peito
e finge não haver competição

É a solução de quem não quer
perder aquilo que já tem
e fecha a mão pro que há de vir
 
  // 08. O VELHO E O MOÇO (Rodrigo Amarante)

* Leia aqui um comentário de Amarante sobre as cifras

Intro: [ B13 / C#7e9(-3) ] 4x

Este segundo acorde pode ser pensado como um E7M/C#. Não é a mesma coisa mas facilita porque aí você só muda o baixo de um acorde pro outro. O B13 é a mesma coisa que E7M/B. Então simplificado fica:


[ E7M/B / E7M/C# ] 4x
E                  
 Deixo tudo assim.
C#m                       G#m
 Não me importo em ver a idade em mim,
E                         E  C#m                 G#m  E
 ouço o que convém.    Eu gosto é do gasto

E                   C#m
 Sei do incômodo e ela tem razão
G#m                    E
  quando vem dizer que eu preciso sim
E C#m              G#m
     de todo o cuidado.

             E             C#m      G#m
E se eu fosse   o primeiro a voltar
            E
pra mudar o que eu fiz,
                C#m            G#m
quem então agora eu seria?

C#m          E F#m                  A              
     Tanto faz    que o que não foi não é.
C#m                     E                A                       C        
    Eu sei que ainda vou voltar...  mas eu quem será?

[ E7M / C#m ] 4x


E                        C#m
 Deixo tudo assim, não me acanho em ver
G#m                 E
 vaidade em mim. Eu digo o que condiz.
E C#m                    G#m
       Eu gosto é do estrago.

E                       C#m
 Sei do escândalo   e eles têm razão
G#m                   E
 quando vêm dizer que eu não sei medir
        C#m              G#m
 nem tempo e nem medo.

             E         C#m         G#m
 E se eu for o primeiro a prever
            E                    C#m         G#m
 e poder desistir  do que for  dar errado?

C#m  E              F#m              A                  C#m                    E 
 Ah,  ora, se não sou  eu quem mais vai decidir  o que é bom pra mim? 
     F#m            A
 Dispenso a previsão!

C#m  E                  F#m       A
 Ah,     se o que eu sou é também 
                     C#m  E    A               C 
o que eu escolhi ser    aceito a condição.

[ B13 / C#7e9(-3) ] 4x

E7M C#m                       E7M
          Vou levando assim
C#m                    E7M  C#m              E7M
   que o acaso é amigo      do meu coração
C#m                   E7M   C#m                    E7M
    quando fala comigo,     quando eu sei ouvir... 

[ C#m  / E7M ] 2x


 
  // 09. ALÉM DO QUE SE VÊ (Marcelo Camelo)

 
Moça, olha só o que eu te escrevi
É preciso força pra sonhar e perceber
que a estrada vai além do que se vê
Sei que a tua solidão me dói
e que é difícil ser feliz
mas do que somos todos nós
você supõe o céu
Sei que o vento que entortou a flor
passou também por nosso lar
e foi você quem desviou
com golpes de pincel

Eu sei, é o amor que ninguém mais vê
Deixa eu ver a moça
Toma o teu, voa mais
que o bloco da família vai atrás

Põe mais um na mesa de jantar
por que hoje eu vou pra aí te ver
e tira o som dessa TV
pra gente conversar
Diz pro bamba usar o violão
pede pro Tico me esperar
e avisa que eu só vou chegar
no último vagão

É bom te ver sorrir
Deixa vir à moça
que eu também vou atrás
e a banda diz: assim é q se faz!

 

  // 10. O POUCO QUE SOBROU (Marcelo Camelo)

Eu cansei de ser assim
Não posso mais levar
Se tudo é tão ruim
por onde eu devo ir?
A vida vai seguir
Ninguém vai reparar
Aqui neste lugar
eu acho que acabou
Mas eu vou cantar pra não cair
fingindo ser alguém
que vive assim de bem
Eu não sei por onde foi
Só resta eu me entregar
Cansei de procurar
o pouco que sobrou
Eu tinha algum amor
Eu era bem melhor
Mas tudo deu um nó
e a vida se perdeu
Se existe Deus em agonia
manda essa cavalaria
que hoje a fé me abandonou
 
  // 11. CONVERSA DE BOTAS BATIDAS (Marcelo Camelo)

- Veja você onde é que o barco foi desaguar
- a gente só queria o amor...
- Deus às vezes parece se esquecer
- ai, não fala isso, por favor
Esse é só o começo do fim da nossa vida
Deixa chegar o sonho, prepara uma avenida
que a gente vai passar

- Veja você, quando é que tudo foi desabar
A gente corre pra se esconder...
- E se amar, se amar até o fim
- sem saber que o fim já vai chegar
Deixa o moço bater que eu cansei da nossa fuga
Já não vejo motivos pra um amor de tantas rugas
não ter o seu lugar

Abre a janela agora, deixa que o sol te veja
É só lembrar que o amor é tão maior
que estamos sós no céu
Abre as cortinas pra mim
que eu não me escondo de ninguém
O amor já desvendou nosso lugar
e agora esta de bem

Deixa o moço bater que eu cansei da nossa fuga
Já não vejo motivos pra um amor de tantas rugas
não ter o seu lugar

Diz quem é maior que o amor?
Me abraça forte agora, que é chegada a nossa hora
Vem, vamos além. Vão dizer
que a vida é passageira
Sem notar que a nossa estrela
vai cair
 

  // 12. DEIXA O VERÃO (Rodrigo Amarante)

* Leia aqui um comentário de Amarante sobre as cifras


Intro: [Em  Am] 3x  C B7

Em           Am       Em        Am 
Deixa eu decidir é cedo ou tarde,
   Em         Am       Em  Am...
espere eu considerar,
Em           Am                   Em    Am
ver se eu vou assim chique-à-vontade,
Em      Am            Em        
qual o tom do lugar.

                    G           Bm         Em
Enquanto eu penso você sugeriu
                  G           Bm      Em 
um bom motivo pra tudo atrasar.
               Am            Em
E ainda é cedo pra lá,
                    Am         Em    
chegando às seis tá bom demais!
Am              Em           C         B7
Deixa o verão pra mais tarde...

[(Em  Am) 3x C B7] 2x
Uh ah ãã aeãeã

Em        Am             Em   Am    Em      Am        Em 
Não tô muito afim de novidade. Fila em banco de bar.
Em      Am           Em Am        Em      Am         Em
Considere toda hostilidade  que há da porta pra lá!

                   G        Bm       Em
Enquanto eu fujo você inventou
                   G             Bm      Em 
qualquer desculpa pr'a gente ficar
               Am           Em
E assim a gente não sai
                Am        Em
que esse sofá tá bom demais!
Am               Em            C        B7     
Deixa o verão   pra mais tarde...
 
Refrão - [ (Em  Am) 3x C B7] 2x 
Assobio - (G Bm Em) 4x 

Am     Em  Am            Em   
  E eu digo cá entre nós 
Am              Em            C     B7
deixa o verão   pra mais tarde... 
 
Refrão - [ (Em  Am) 3x C B7] 2x Em6


 
 
  // 13. DO LADO DE DENTRO (Marcelo Camelo)


- Abre essa porta, que direito você tem de me privar
desse castelo que eu construí pra te guardar de todo mau,
desse universo que eu desenhei pra nós ... pra nós
Abre essa porta, não se faz de morta, diz o que é que foi
Já que eu armei tudo pra ti, já que eu cerquei tudo ao redor
Abre essa porta, vai, por favor,
que eu sou teu homem ... vil
que eu sou teu homem ... vil

- Cala esta boca que isso é coisa pouca perto do que passei
Eu que lavei os seus lençóis sujos de tantas outras paixões,
que ignorei as outras muitas, muitas
Vai, depois liga diz pra sua irmã passar que eu vou mandar
tudo que é seu que tem aqui tudo que eu não quero guardar
que é pra esquecer de uma só vez
que este castelo só me prendeu, viu ?
Mas o universo hoje se expandiu
E aqui de dentro a porta se abriu
 

  // 14. UM PAR (Rodrigo Amarante)

Leia aqui um comentário de Amarante sobre as cifras

Dm Bb F Gm - Mesmo quando ele consegue o que ele quis,
Bb C#º Bb C#º
  quando tem já não quer! Dm Bb F    Gm Acha alguma coisa nova na TV
Bb C#º Bb C# º Em A
- o que não pode ter - e deixa de gostar,
Em       A larga mão do que ele já tem.
Em      A Em A7
   Passa então a amar tudo aquilo que não ganhou!


(Dm Bb F Gm Bb C#º Bb C#º)


Dm Bb F Gm Bb C#º Bb C#º
- Dê motivo pra outra vez acreditar na cascata da vez... Dm Bb F Gm Bb C#º Bb C#º que você comprou assim 0+10 um presen...te pra mim


Em A

Mas se eu perguntar
Em A Em A de onde veio esse agrado você vai gritar!
Em A7
Diz que é homem feito, sei não!
Dm Bb F Gm Bb C#º Bb C#º
Ah, faça-me o favor!

Gm Dm Gm Dm
- Diga ao menos o que foi... e se eu faltei em te explicar...
Gm Bb
Diz que a gente sempre foi C (Bb /// C) 4x (Dm Bb F Gm Bb C#º Bb C#º) 2x um par...

Dm Bb F C#º
- Sai domingo diz que é o dia de jogar, mas que jogo eu não sei. Dm Bb F C#º Fica até segunda o dia clarear e troféu não se vê!
Em A Em A
Entra sem falar. Sai correndo e volta outra vez Em A Em A7 sem cumprimentar! Nem parece aquele!...

Dm Bb F Gm - Eu rezo, ai deus do céu ou alguém no chão
Bb C#º Bb C#º
diga-me o que foi que eu deixei faltar! Dm Bb F Gm Bb C#º Bb O que eu não consigo é entender como é que um filho meu é tão C#º Dm Bb F Gm Bb C#º diferente assim... de mim.
    Bb C#º Dm Bb F Gm Bb C#º Bb C#º Dm
Me faz entender!
 

 
  // 15. DE ONDE VEM A CALMA (Marcelo Camelo)

De onde vem a calma daquele cara ?
Ele não sabe ser melhor, viu?
Como não entende de ser valente
ele não saber ser mais viril
Ele não sabe não, viu?
Às vezes dá como um frio
É o mundo que anda hostil
O mundo todo é hostil

De onde vem o jeito tão sem defeito
que esse rapaz consegue fingir?
Olha esse sorriso tão indeciso
Esta se exibindo pra solidão
Não vão embora daqui
Eu sou o que vocês são
Não solta da minha mão
Não solta da minha mão

Eu não vou mudar não
Eu vou ficar são
Mesmo se for só
não vou ceder
Deus vai dar aval sim,
o mal vai ter fim
e no final assim calado
eu sei que vou ser coroado rei de mim.