Poemas
 
Apresentação

José Mindlin


Diante de um silêncio de mais de dois anos, que se seguiu à publicação de seu primeiro livro de poemas Trajetória de Antes, poder-se-ia indagar se Mariana Ianelli teria posto de lado a poesia. Puro engano. Com este novo livro ela se mostra cada vez mais envolvida por um instigante e provocativo 'fazer poético'.

Duas Chagas - um nome estranho para uma obra de autora jovem, que não pode ter vivido, na vida real, as angústias que os poemas contêm - é um livro complexo, que revela um mundo intelectual agitado e revolto e provoca em mim a busca de um significado oculto.

Confesso minha perplexidade inicial, que se foi transformando
em curiosidade: é normal que jovens ensaiem poesia que reflita sentimentos amorosos ou de inquietude, mas o que Mariana Ianelli faz vai muito além disso. É um questionamento dos homens e do mundo, que seria compreensível se vindo de alguém mais velho, com muito sofrimento e desilusões. Ora, este não é, evidentemente, o caso e daí a surpresa, que, provavelmente, não será só minha.

Seu novo livro, entretanto, é obviamente fruto de talento e sensibilidade, que faz com que muito se possa esperar da
trajetória poética e literária de Mariana Ianelli.