FASES DA TRANSIÇÃO
VEJA AQUI A TABELA DOS PRINCIPAIS SINTOMAS
MUDANÇAS HORMONAIS
FASES DA TRANSIÇÃO
ÚLTIMA MENSTRUAÇÃO
MENOPAUSA PRECOCE
SECURA VAGINAL
INCONTINÊNCIA URINÁRIA
FALTA DE TESÃO
INSÔNIA
CALORES & SUORES
TRISTEZA & DEPRESSÃO
GANHO DE PESO
PELE & OSSO
TRH
REPOSIÇÃO ALTERNATIVA
TERAPIAS NÃO HORMONAIS
ALIMENTAÇÃO & EXERCÍCIOS
EXAMES & PREVENÇÃO
NOVIDADES DA PESQUISA
ARTIGOS & LIVROS
GLOSSÁRIO HORMONAL
GLOSSÁRIO FITOHORMONAL
DESTAQUES DA SEMANA
MAIS INTERAÇÃO
MODA & MENOPAUSA
ESPAÇO PARA ESPECIALISTAS
CANAL DA SOBRAC
PERGUNTAS & RESPOSTAS
EQUIPE DO SITE
Aviso: O MenosPausa é um espaço jornalístico independente. Seu conteúdo NÃO substitui a consulta ao médico.
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
PERIMENOPAUSA

O processo que encerra a fase reprodutiva feminina é lento e, para a maioria das mulheres, estressante. O desequilíbrio nos níveis de estrogênios em circulação no organismo feminino pode produzir sintomas desagradáveis até dez anos antes da última menstruação, mesmo de forma leve, mas é a partir dos 45 anos, em geral, que seus efeitos começam a se fazer notar. Daí o termo cunhado pelos médicos para caracterizar esta fase de transição como perimenopausa (em torno da menopausa). O desaparecimento dos folículos ovarianos aumenta por volta dessa idade e a chance de ovulação a cada ciclo diminui 50%, dando origem a um circuito de erros na produção hormonal.

O ritmo da oscilação dos níveis hormonais bem como a sensibilidade de cada mulher são os fatores responsáveis pela manifestação maior ou menor dos sintomas."O ovário das mulheres durante a transição para a menopausa é um órgão ainda não suficientemente estudado", lembra a médica canadense Jerelynn Prior, pesquisadora da divisão de endocrinologia da Universidade de Colúmbia Britânica (em Vancouver, Canadá). Prior analisou dezenas de pesquisas americanas feitas com milhares de mulheres entre 45 e 55 anos, nas duas últimas décadas e elaborou uma classificação da perimenopausa. Conhecer as fases da transição de Prior pode lhe ser útil para acompanhar o processo de mudança sem sobressaltos.

PRIMEIRA FASE: SINALIZA O INÍCIO DO CLIMATÉRIO

Os ciclos menstruais são regulares, mas passam a ser acompanhados sistematicamente por sintomas pré-menstruais como aumento ou inchaço das mamas, retenção de água no corpo e alterações do humor. Os níveis do hormônio estradiol começam a oscilar, o que favorece o ganho de peso, dores de cabeça e enxaquecas bem como o fluxo menstrual anormalmente intenso, abundante. Muitas mulheres já observam o encurtamento do ciclo nesta fase e os primeiros suores diurnos e noturnos.

SEGUNDA FASE: CICLOS COM E SEM OVULAÇÃO

Os ciclos menstruais são regulares mas começam os distúrbios de funcionamento do ovário, observáveis pelo encurtamento do ciclo e a ocorrência maior de ciclos anovulatórios. Os episódios de fluxo intenso ou abundante podem se repetir, aumentam os sintomas pré-menstruais e a dismenorréia (dores ou cólicas menstruais) e os calores e suores podem assinalar, com frequência, a chegada do fluxo menstrual. Os níveis dos hormônios estimulantes de folículos, ou FSH, passam a ficar muito altos durante parte do ciclo, bem como os do estrogênio estradiol.

TERCEIRA FASE: IRREGULARIDADE DOS CICLOS

Sinaliza a perimenopausa em si, cuja principal característica é a irregularidade dos ciclos. Eles se tornam imprevisíveis. Ora muito curtos ora muito longos. Os níveis de FSH estão em geral ligeiramente elevados nessa fase e o LH também pode aumentar ocasionalmente. Os níveis de estradiol estão altos mas podem ficar normais, às vezes, outras,muito baixos. Os sintomas como ondas de calor começam a ocorrer com maior frequência durante as horas de vigília, mas muitas mulheres podem não sentir sintomas. O inchaço nos seios e as variações no humor como irritação e nervosismo são comuns dessa fase, bem como a insônia e a sensação de cansaço e fadiga. Mas as mulheres que sentem os calores e suores noturnos conseguem, com freqüência, prever a chegada da menstruação em alguns ciclos, com base nesses sintomas.

QUARTA FASE: IRREGULARIDADE DOS CICLOS
A menstruação torna-se extremamente abundante, o que os médicos denominam de menorragia. A chance de ocorrer ovulação diminui para 50% ou menos e a oscilação dos níveis de estrogênio aumentam. Os altos e baixos de produção produzem suores e calores depois de longos períodos sem fluxo menstrual.Os níveis de progesterona, se produzidos, são anormais nessa fase e o fluxo mais abundante da menstruação pode já indicar a ausência da progesterona, além da anovulação. Os níveis de FSH são agora constantemente elevados e os de LH também estão maiores.
QUINTA FASE: CONFIRMAÇÃO DA MENOPAUSA
É considerada a etapa final do processo de transição, que começa com a última menstruação. Tem duração mínima de um ano, espaço de tempo necessário para confirmar a menopausa. Mas pode ir além disso, dependendo de cada organismo. É uma época caracterizada pela intensidade crescente dos sintomas vasomotores de suores e calores, embora algumas mulheres que os experimentaram no início da perimenopausa, possam sentí-los indo embora, agora. Os sintomas pré-menstruais e as cólicas são menos freqüentes, embora ainda possam se manifestar inesperadamente, apesar da ausência do fluxo menstrual. Os níveis de FSH e LH estão altos e os níveis de estrogênio muito baixos.
<< voltar