MENOPAUSA PRECOCE
VEJA AQUI COMO ACOMPANHAR DIA A DIA OS SINTOMAS
MUDANÇAS HORMONAIS
FASES DA TRANSIÇÃO
ÚLTIMA MENSTRUAÇÃO
MENOPAUSA PRECOCE
SECURA VAGINAL
INCONTINÊNCIA URINÁRIA
FALTA DE TESÃO
INSÔNIA
CALORES & SUORES
TRISTEZA & DEPRESSÃO
GANHO DE PESO
PELE & OSSO
TRH
REPOSIÇÃO ALTERNATIVA
TERAPIAS NÃO HORMONAIS
ALIMENTAÇÃO & EXERCÍCIOS
EXAMES & PREVENÇÃO
NOVIDADES DA PESQUISA
ARTIGOS & LIVROS
GLOSSÁRIO HORMONAL
GLOSSÁRIO FITOHORMONAL
DESTAQUES DA SEMANA
MAIS INTERAÇÃO
MODA & MENOPAUSA
ESPAÇO PARA ESPECIALISTAS
CANAL DA SOBRAC
PERGUNTAS & RESPOSTAS
EQUIPE DO SITE
Aviso: O MenosPausa é um espaço jornalístico independente. Seu conteúdo NÃO substitui a consulta ao médico.
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
AS CAUSAS, OS SINTOMAS E OS TRATAMENTOS

Os médicos costumam chamar de menopausa prematura o fim das funções reprodutivas femininas de origem conhecida. É o que acontece com mulheres portadoras de algum tipo de câncer, que tiveram de se submeter a tratamento quimioterápico ou radioterápico. As duas terapias danificam os ovários e acabam com a fecundidade feminina. A remoção cirúrgica dos ovários é a segunda causa de menopausa prematura. Tanto a "menopausa cirúgica", como é denominado pelos médicos o processo provocado pela extração dos ovários, quanto a que resulta de tratamentos anti-câncer produzem sintomas intensos de calores e suores bem como secura vaginal e demais desconfortos que caracterizam a menopausa propriamente, porque a queda na produção hormonal é radical e brusca.

Quando a menopausa ocorre antes dos 40 anos sem causa aparente, os médicos preferem identificar o processo como falência ovariana prematura ou FOP. Os desconfortos da transição, neste caso, ocorrem gradualmente, como na menopausa natural. Os ciclos menstruais tornam-se irregulares e os calores, suores e outros distúrbios típicos do desequilíbrio hormonal começam de forma branda, no início e recrudescem como na fase normal de transição ou perimenopausa.
A falência ovariana prematura pode ter causas genéticas ou ser consequência de doença auto-imune como a artrite reumatóide, o lupus e o diabetes. A doença auto-imune leva o organismo a desenvolver anticorpos que, em alguns casos, afetam o sistema reprodutivo e inteferem com os hormônios que regulam a ovulação e demais funções ovarianas. Estudos feitos nos Estados Unidos dão conta de que dois terços das mulheres com falência ovariana prematura sofrem de alguma doença auto-imune


OUTRAS CAUSAS
HERANÇA FAMILIAR
Não é uma regra mas pesquisas recentes vem mostrando que a idade da menopausa tem a ver com a história familiar. Isto é, as filhas tenderiam a enfrentar o processo por volta da mesma idade de suas mães, irmãs ou avós. O que significa a probabilidade da menopausa prematura se repetir quando faz parte do histórico familiar. Estudos norte-americanos revelam que a história familiar é responsável por 5% dos casos de menopausa prematura.
INFECÇÃO VIRAL
A ocorrência de infecção importante de origem viral durante a gravidez pode afetar o desenvolvimento dos ovários do feto e levar a menina a nascer com menos óvulos do que o normal e a esgotar seus estoques antes da época naturalmente prevista para a maioria das mulheres. A infecção das parótidas, as glândulas de saliva, responsável pela popular caxumba que leva a esterilidade, nos casos mais graves, também pode comprometer as funções ovarianas e antecipar a menopausa.
PROBLEMA GENÉTICO
Defeitos no cromossomo X em mulheres que tem dois cromossomos X, mesmo quando apenas um não funciona direito, pode interferir na produção de óvulos e antecipar a menopausa em seis ou oito anos. Outros tipos de defeitos cromossômicos podem levar a mulher a menopausa antes dos 20 ou 30 anos. Existem casos complexos de problemas genéticos como a síndrome de Turner em que a mulher nem chega a desenvolver os ovários e a menstruar.
OS TRATAMENTOS
Os ginecologistas recorrem a exames de dosagem hormonal e de ultrassom ovariano para confirmar a Falência Ovariana Prematura ou a menopausa precoce e, via de regra, receitam a terapia de reposição hormonal para atenuar seus sintomas. O uso da TRH é particularmente imprescindível nos casos de menopausa de origem cirúrgica ou provocadas por quimioterapia, em virtude da intensidade dos sintomas. Os medicamentos fitoterápicos como os suplementos de soja são insuficientes para aliviar os desconfortos neste caso.
OS SINAIS FÍSICOS DA MENOPAUSA PREMATURA
- Ciclos irregulares, tanto na frequência quanto na duração e na intensidade do fluxo menstrual
- Infertilidade
- Calores e suores noturnos
- Secura vaginal
- Incontinência urinária
- Insônia e outros distúrbios do sono
- Palpitações
- Ganho de Peso, especialmente no abdome
- Dores de cabeça
- Inchaço dos seios e do corpo
- Náuseas e distúrbios gastrointestinais
- Dores musculares e nas juntas
- Queda de cabelo

<< voltar