REPOSIÇÃO ALTERNATIVA
MUDANÇAS HORMONAIS
FASES DA TRANSIÇÃO
ÚLTIMA MENSTRUAÇÃO
MENOPAUSA PRECOCE
SECURA VAGINAL
INCONTINÊNCIA URINÁRIA
FALTA DE TESÃO
INSÔNIA
CALORES & SUORES
TRISTEZA & DEPRESSÃO
GANHO DE PESO
PELE & OSSO
TRH
REPOSIÇÃO ALTERNATIVA
TERAPIAS NÃO HORMONAIS
ALIMENTAÇÃO & EXERCÍCIOS
EXAMES & PREVENÇÃO
NOVIDADES DA PESQUISA
ARTIGOS & LIVROS
GLOSSÁRIO HORMONAL
GLOSSÁRIO FITOHORMONAL
DESTAQUES DA SEMANA
MAIS INTERAÇÃO
MODA & MENOPAUSA
ESPAÇO PARA ESPECIALISTAS
CANAL DA SOBRAC
PERGUNTAS & RESPOSTAS
EQUIPE DO SITE
Aviso: O MenosPausa é um espaço jornalístico independente. Seu conteúdo NÃO substitui a consulta ao médico.
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
HOMEOPATIA
DR. JOÃO LUIZ MATTOSOA medicina homeopática leva em conta o indivíduo e não apenas o sintoma; valoriza a emoção, o temperamento, o jeito de cada pessoa, sua personalidade, além do comportamento funcional das glândulas produtoras de hormônios e demais funções orgânicas. Com as mulheres na menopausa a abordagem segue a mesma lógica, e por isso existem vários tratamentos homeopáticos para a menopausa de acordo com o biotipo de cada mulher, explica o ginecologista e homeopata João Mattoso, que tem clínica em São Paulo e experiência na assistência à mulheres climatéricas.

Mattoso fez um estudo de quatro anos na clínica de ginecologia da Faculdade de Medicina da Santa Casa, de São Paulo, onde formou-se, para observar a eficácia da homeopatia como tratamento da menopausa. “O tratamento resolveu o problema de ondas de calor, as irregularidades menstruais, as alterações de humor, melhorou a disposição física e a densidade óssea das mulheres que estavam na menopausa”, diz Mattoso.

A medicina homeopática trabalha com mais de 2000 substâncias, extraídas dos reinos da natureza vegetal, animal e mineral. Os médicos as utilizam em combinações e formulações específicas ao perfil ou biotipo de cada paciente, explica Mattoso. Em sua pesquisa ele empregou cinco dessas substâncias, em diluições e dinamizações específicas aos tipos de sintomas das pacientes (veja o quadro abaixo), além de usar também alguns tipos de cálcarea (o cálcio homeopático).

Em sua clínica, atualmente, o ginecologista acrescenta ao tratamento o uso de isoflavonas (50 mg, duas vezes ao dia) e o creme de progesterona natural . Para mulheres que ainda menstruam ele recomenda o uso de 1g, duas vezes ao dias, do 12º ao 26º dias. Mulheres que não menstruam mais devem aplicar a mesma dose do creme por 25 dias do mês.

Outra substância que se destaca no acervo de terapias para a fase conturbada da menopausa é a nux vômica, baseada em porções mínimas de estricnina – um alcalóide extraído da noz-vômica, estimulante dos nervosos e poderoso venenoso em maiores concentrações. Mulheres de negócios, que levam vida estressante e são bravas e impulsivas, ou enfezadas, podem se beneficiar particularmente com o uso dessa substância

OS TIPOS DE MULHERES E O TRATAMENTO HOMEOPÁTICO MAIS INDICADO
A seguir, a relação dos cinco medicamentos homeopáticos mais usados na pesquisa do ginecologista para tratar os sintomas da menopausa e o tipo de mulher sensível às suas substâncias:
SUBSTÂNCIA
Lachesis trigonocephalus: feita com o veneno da cobra Surucucu, da América do Sul.
TIPO SENSÍVEL

Mulheres de comportamento loquaz, que trocam de assunto muito rapidamente

Com amor próprio em excesso. Ciumentas e desconfiadas.

Tem apetite sexual intenso.

Sofrem de dores de cabeça pulsáteis, daquelas que martelam.

Mulheres que não podem com nada que lhes pressione a garganta, nem mesmo um lenço ou colar.

As ondas de calor sobem para a cabeça, avermelhando o rosto, acompanhadas de forte sudorese e sensação de sufocação que as obriga a afrouxar a roupa em torno do pescoço.


SUBSTÂNCIA
Sépia succutrina: feita com a tinta marrom-escuro que o molusco do mar traz no abdome e expele em combate, para escurecer a água em volta e confundir os predadores.
TIPO SENSÍVEL

Mulheres mais magras, de pele amarelo-pálido, com aparência de cansaço crônico e vítimas de irritação persistente.
Mulheres que não gostam de ser tocadas, manifestando certa indisposição ao sexo e quase nenhuma libido.

Sentem dores lombares e fraqueza ao caminhar.

As ondas de calor e de suor são acompanhadas de fraqueza e sensação de tontura ou vertigem.


SUBSTÂNCIA
Phosphorus: elemento do reino mineral, diferente das substâncias anteriores, extraídas do reino animal.
TIPO SENSÍVEL

Mulheres sem energia, que ressentem-se de fadiga intensa e tem vários medos, do escuro, de tempestade, de algo que vai acontecer (um evento ou conflito).

São indiferentes às pessoas amadas mas gostam de companhia, do toque, de massagem e de ajuda. Sentem-se mal sózinhas.

Mulheres que sofrem com diarréias recorrentes e sangramentos, de gengiva, nariz, hemorróidas e de petéquias (manchas vermelhas ou púrpureas na pele, decorrentes de pequenas hemorragias intradérmicas).

As ondas de calor e sudorese são fortes. O suor pode ter cheiro acre. Suam nas palmas das mãos, plantas dos pés, nas escápulas, ou no estômago.


SUBSTÂNCIA
Aurum metalicum : é outro elemento do reino mineral
TIPO SENSÍVEL

Mulheres desanimadas, tristes ou angustiadas, que se escondem na solidão, imaginando ter perdido a afeição dos amigos. Vêem dificuldade em tudo e, geralmente, sofrem de melancolia.

Manifestam tendências autodestrutivas, desejo de suicídio.

Mulheres que sofrem com o inchaço das juntas ou dor reumática ou tem a sensação de que o sangue ferve em suas veias.

As ondas de calor não são acompanhadas de sudorese. O sangue flui para a cabeça. Pode ter sonhos assustadores.


SUBSTÂNCIA
Pulsatilla nigricans: derivada de uma planta do mesmo nome, poderosa no alívio de sintomas de várias fases da vida feminina, desde os distúrbios da ovulação à irregularidades menstruais, problemas com a gravidez e transição para a menopausa.
TIPO SENSÍVEL

Mulheres tímidas e emotivas, com tendência a guardar mágoas, que sofrem de mau humor silencioso e tem um temperamento fleugmático.

Mulheres que riem ou choram com facilidade.

Sofrem de dores reumáticas que melhoram com caminhadas ao ar livre. Sentem que a atividade aeróbica ao ar livre atenua seus sofrimentos, físico e mental.

Têm tendência a manifestar sintomas apenas em um dos lados do corpo, por exemplo, mãos e pés frios e vermelhos do lado direito e quentes do lado esquerdo.

Podem experimentar ondas de calor e sudoreses também apenas de um lado do corpo.



<< voltar