PELE & OSSO
MUDANÇAS HORMONAIS
FASES DA TRANSIÇÃO
ÚLTIMA MENSTRUAÇÃO
MENOPAUSA PRECOCE
SECURA VAGINAL
INCONTINÊNCIA URINÁRIA
FALTA DE TESÃO
INSÔNIA
CALORES & SUORES
TRISTEZA & DEPRESSÃO
GANHO DE PESO
PELE & OSSO
TRH
REPOSIÇÃO ALTERNATIVA
TERAPIAS NÃO HORMONAIS
ALIMENTAÇÃO & EXERCÍCIOS
EXAMES & PREVENÇÃO
NOVIDADES DA PESQUISA
ARTIGOS & LIVROS
GLOSSÁRIO HORMONAL
GLOSSÁRIO FITOHORMONAL
DESTAQUES DA SEMANA
MAIS INTERAÇÃO
MODA & MENOPAUSA
ESPAÇO PARA ESPECIALISTAS
CANAL DA SOBRAC
PERGUNTAS & RESPOSTAS
EQUIPE DO SITE
Aviso: O MenosPausa é um espaço jornalístico independente. Seu conteúdo NÃO substitui a consulta ao médico.
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
AS ZONAS DE PERIGO NA APLICAÇÃO DO BOTOX

Um produto de origem biológica, derivado da toxina do botulismo e obtido a partir de culturas da bactéria Clostridium botulinum. É marca registrada do laboratório norte-americano Allergan. Desde o início dos anos 90 vem sendo utilizado por médicos dermatologistas para atenuar rugas e marcas de expressão provocadas pelo excesso de contraçao dos músculos faciais. Uma vez injetada em determinado músculo, a toxina liga-se a seus terminais nervosos e inibe a liberação de acetilcolina, o neurotransmissor responsável por enviar os impulsos elétricos que contraem o tecido muscular. O resultado é a paralisação do movimento muscular, o que produz o efeito aparentemente "relaxante" nas rugas de expressão.

A propriedade da toxina botulínica, de paralisar os músculos, é conhecida desde a década de 70, mas só a partir dos anos 90 passou a ser explorada para o tratamento estético e na correção de vários tipos de disfunção muscular. Ela é empregada, por exemplo, para reabilitar pacientes que tiveram derrame e apresentam espasticidade muscular - disfunção que deixa o músculo estirado e sem movimento. A toxina ajuda a relaxar o músculo e, com o apoio de fisioterapia, permite ao doente recuperar mais rápidamente a sua função.

Vítimas de dores lombares ou cervicais crônicas também são beneficiadas pela terapia com botox bem como pessoas com problemas no músculo das cordas vocais, também sujeito a espasticidade, a qual provoca rouquidão. A droga é adequada, ainda, para resolver certos casos de estrabismo e blefaroespasmo, como é chamado o tique nervoso que leva a pessoa a piscar os olhos sem parar. Aliás, a descoberta do uso estético do botox para suavizar rugas e marcas de expressão foi feita por um oftalmologista que observou esse efeito em rugas do tipo pé-de-galinha nas pessoas que sofriam de blefaroespasmo e foram tratadas com botox por neurologistas.

Atualmente, a substância ainda é muito usada para eliminar a hipersudorese, como se chama a doença que deixa as mãos banhadas permanentemente de suor. O botox, neste caso, funciona bloqueando a ação da acelticolina, a substância que estimula a hiperatividade das glândulas sudoríparas das mãos, responsáveis pela transpiração e o suor.

ZONAS DE PERIGO - BOTOX
REGIÃO: NERVO AURICULAR
EFEITO: PERDA DE SENSIBILIDADE NA REGIÃO ASSINALADA
REGIÃO: RAMO TEMPORAL DO NERVO FACIAL
EFEITO: SOBRANCELHA CAÍDA
REGIÃO: RAMO MANDIBULAR MARGINAL DO NERVO FACIAL
EFEITO: BOCA TORTA
REGIÃO: RAMOS BUCAIS DO NERVO FACIAL
EFEITO: BOCA TORTA
REGIÃO: NERVO SUPRA ORBITÁRIO E SUPRA
EFEITO: PERDA DE SENSIBILIDADE NA REGIÃO ASSINALADA
REGIÃO: NERVO SUPRA ORBITÁRIO E SUPRA
EFEITO: PERDA DE SENSIBILIDADE NA REGIÃO ASSINALADA
REGIÃO: RAMO MANDIBULAR DO NERVO FACIAL
EFEITO: PERDA DE SENSIBILIDADE NA REGIÃO ASSINALADA

O botox é contra-indicado nos seguintes casos:

· Mulheres grávidas ou em período de aleitamento

· Pessoas que sofrem de doença neuromuscular

· Indivíduos com hipersensibilidade conhecida à toxina botulínica

· Pacientes que estão tomando antibióticos

· Pacientes com infecção ou inflamação no local a ser tratado

Além de alterar a expressão do rosto, o uso indevido da toxina pode derrubar as pálpebras. Por isso muitos médicos desaconselham a injeção da toxina nas têmporas ou na parte lateral da testa. A terapia também é contra-indicada para pessoas idosas com flacidez de pele, por causa da ação específica do botox sobre o músculo. Com a injeção da toxina a musculatura relaxa e se a pele estiver flácida, pode cair.

INDICAÇÕES EM TERAPIA ESTÉTICA

É recomendado principalmente para atenuar rugas e marcas de expressão no supercílio, na testa, entre as sobrancelhas, na órbita dos olhos (pés de galinha) e no canto da boca. Pode ser usado também para corrigir a asa do nariz e eliminar as rugas do pescoço. Aliás, a descoberta do uso estético do botox para suavizar rugas e marcas de expressão foi feita por um oftalmologista que observou esse efeito em pessoas com blefaroespasmo tratadas com botox por neurologistas.

PRAZO E DURAÇÃO
A ação do botox sobre as rugas do tipo pé-de-galinha é observável depois de 72 horas da aplicação da toxina mas a substância continua produzindo efeito na região manipulada ao longo de dez a quinze dias e o resultado final se mantém por um período de três a seis meses. As marcas de expressão adquiridas por tensão demoram mais para desaparecer. A alteração só é plenamente atingida depois de dois anos e quatro aplicações, uma a cada seis meses, pois é esse o tempo estimado para que a região do cortex cerebral apague da memória o movimento repetitivo de contração que levou à formação da ruga.
APLICAÇÃO
A injeção com o Botox é feita no local onde se quer reduzir as ruga com uma agulha extremamente fina (do mesmo tipo usado para aplicação de insulina). A maioria dos pacientes relata a dor como sendo suportável. Para os mais sensíveis, os médicos usam uma pomada anestésica no local da picada ou mesmo gelo para provocar sensação de amortecimento. O uso do gelo também reduz o risco de formação de hematoma na eventualidade de algum vasinho ser atingido durante o procedimento.
CUIDADOS NECESSÁRIOS
A área tratada não deve ser manipulada ou massageada nas primeiras horas após a injeção para evitar a difusão do produto para outros músculos, além daqueles selecionados como alvo do tratamento. Alguns especialistas recomendam aos pacientes permanecer na posição vertical (de pé ou sentado) e evitar atividade física intensa nas quatro horas seguintes à aplicação.
EFEITOS COLATERAIS
As complicações da aplicação são pequenas e transitórias. Não se tem registro de relatos de reações alérgicas Ocasionalmente, a injeção pode produzir hematomas no local ou dor de cabeça breve. Tais efeitos podem ser mais pronunciados em pacientes que usam regularmente os analgésicos aspirina ou varfarina, os quais devem usar bolsa de gelo na área tratada antes e após as injeções. O intervalo de seis meses entre cada aplicação deve ser respeitado rigorosamente, pois o uso frequente da toxina pode levar ao desenvolvimento de anticorpos à substância, e neste caso ela deixará de produzir resultados.
CONTRA INDICAÇÕES

Mal utilizada, a toxina botulínica pode comprometer a expressão facial de uma pessoa. Dependendo do ângulo da sobrancelha, do peso da pálpebra, do formato do olho, ela fica sem as rugas mas também sem movimento facial algum, com um rosto artificial. Pessoas que trabalham com a expressão facial, como os atores e cantores, devem evitar a utilização dessa terapia estética, por causa desse efeito.

Além de levar em conta o formato do rosto do paciente e a adequação da terapia, o médico deve conhecer muito bem a anatomia muscular do rosto e as zonas de perigo, como são chamadas as regiões de risco para aplicação do botox.

Para saber mais fale com nosso consultor de terapias estéticas, o médico Adalgir D'Alessando, no email
<< voltar