BÍBLIA DO CAOS
 BIOGRAFIA
 CHAPEUZINHO
 CHARGES
 CLÁSSICOS
 COLABORAÇÕES
 CONPOZISSÕIS IMFÃTIS
 DAILY MÍLLOR
 DESCOBERTAS
 DEVORA-ME
 DICIONÁRIO
 ECONOMIA
 FÁBULAS FABULOSAS
 FRASES
 GALERIA
 HAI-KAIS
 HISTÓRIA DO PARAÍSO
 HUMOR NEGRO
 INTERNET NOTA 10
 LIVRO BRANCO
 LOGOS DO MILLÔR
 MILLÔR NA IMPRENSA
 MILLÔR NO PASQUIM
 MURAIS
 NOHTAS
 PERGUNTAS CRETINAS
 PESQUISA
 PIF-PAF
 POEMAS
 POSTAL
 RETRATOS 3X4
 SEXO
 TEATRO
 TEXTOS
 THE COW
 UOLPAPER
 VÍDEO
 MAPA DO SAITE

 


Yehuda Amichai
(Alemanha 1924 - Israel 2000)

Yehuda Amichai (o c é mudo e acho que ambos os hs são aspirados), um dos maiores poetas de nosso tempo, morreu, aos 76 anos de idade, gloriosa, emocional e sentimentalmente bem vividos.

Como é praticamente desconhecido no Brasil, sua morte foi registrada apenas em duas ou três notas vindas de agências internacionais. Evito o ridículo de perguntar; e se tivesse morrido o líder da banda de roque do Bump's ou Pump's?

Aqui e ali, nos últimos dez anos, publiquei meia dúzia de poemas de Yehuda. Ele nasceu na Alemanha, em 1924, lutou no exército inglês (1942-46), e serviu na brigada de Palmach, no Negev (1948-49), durante a guerra de formação do país. Apesar de seu visível amor por Israel, o poeta tinha visão cosmopolita; dramática e irônica, moderna - e ligada aos infinitos tempos do passado.

Fala do vasto espectro humano: erotismo, perda, encontro e desencontro, guerra e morte, tudo envolvido na inalterável precariedade da vida em Israel. Embora tenha lutado em duas guerras não aceitava as simplificações do nacionalismo. Embora tivesse profundo conhecimento das Escrituras não conseguia acreditar nas certezas de uma fé excludente.

Estes poemas, feitos poucos dias antes da morte do poeta, são publicados aqui por serem um apelo angustiadamente humano por uma paz que Yehuda buscava e que parece, agora, mais longe do que nunca.

Assim a glória passa | Depois de Auschwitz
Jerusalém está cheia de judeus usados | O que eu aprendi nas guerras
Relembro um problema | Homem com mochila
Eu, que eu possa descansar em paz | Deus cheio de misericórdia
Poema temporário em meu tempo
Acredito com perfeita fé que neste exato momento
Amantes deixam impressões digitais um no outro
Há dias em que todos dizem
| A bomba de tempo judaica
Este ano eu viajei bem longe | Eu e Jerusalém

sobe
Copyright © Millôr Online 2000/2010. Todos os direitos reservados.