“Made in Recife”
Feira de pronta-entrega para o atacado e varejo

*por Tereza Franco
edição Diana Galvão
fotos Andréa Franco

A “Made in Recife” já tem seu merecido lugar no calendário de moda de Pernambuco. É uma feira de moda e de negócios, cujo objetivo maior são as vendas das coleções de pronta-entrega direcionadas ao atacado e varejo, com preço de fábrica. Na quinta edição (de 13 a 18 de setembro), no Centro de Convenções de Pernambuco, em Olinda, participaram cento e quarenta e cinco expositores de dezesseis estados brasileiros entre São Paulo, Rio de Janeiro, Santa Catarina, Bahia, Goiás e Pernambuco. Roupas, sapatos, bijouterias e outros acessórios geraram cerca de três milhões em negócios, num investimento geral de R$ 530 mil que movimentou cerca de vinte e cinco mil pessoas, durante os seis dias, numa área total de oito mil metros quadrados

Na programação, desfiles e exposições dos lançamentos das coleções do verão 2005/2006 dos estilistas pernambucanos Jan Souza, Xuruca Pacheco, Leopoldo Nóbrega, Evandro Viana, Du Marques, Brisa Nazarin, Jailson Marcos (designer de sapatos) e do paulistano Fernando Pires. Desde o ano passado, integra o formato da “Made in Recife” o Concurso Novos Criadores de Moda, criado pela empresária Vera Pontes. Destinado aos estilistas ainda desconhecidos do mundo fashion, as concorridas inscrições do concurso foram abertas em julho e enceradas no início do mês de setembro, resultando em dez looks escolhidos pelo produtor de moda Romildo Alves. O vencedor ganhou uma viagem para Salvador com todas as despesas pagas, e mais: uma vaga garantida na 15a Expo de Moda, a ser realizada em 2006, na Bahia. Escolhido pelo voto do público presente na Feira, Arlindo Lima levou o disputado prêmio. Já na passarela, as apresentações da vencedora do Concurso 2004, Risa Telles, com suas novidades, e a ganhadora da Versão Bahia, Carol Barreto.

Além das oportunidades de negócios, a “Made in Recife” traz o Mercado Fashion e Mercado de Artes. No Mercado Fashion, foram exibidas as coleções de Risa Telles, Carol Barreto, e dos alunos do SENAC, com o tema “Ariano Suassuna em três tempos”, e outro grupo de alunos do SENAC com “Camisetas Customizadas”. No Mercado de Artes, o público pode apreciar a coleção do designer e estilista Beto Kelner, criador da grife Gatos de Rua, e a exposição de esculturas em arames.

Os quatro dias de desfiles:

Fernando Pires, considerado o arquiteto dos pés, mostrou plataformas mais altas. Sandálias com tranças, forrações em capim dourado, corda e juta. O dourado e os cristais predominaram na passarela e ele abusou do vermelho, azul, laranja e preto.

Risa Telles, a vencedora da 1a edição do Concurso Novos Criadores 2004,
brilhou no melhor estilo indiano. A estilista optou pelo algodão cru e por pinturas artesanais. Para a cartela de cores, o branco, os caquis e tons crus. As estampas, brilhos e transparências pontuaram sua coleção.

Jan Souza, veterano no mundo da moda, cuja referência é a alta costura, especialmente os vestidos de noivas, mostrou criações em tecidos rústicos e seda com transparências em
variações de cores.

Xuruca Pacheco, exibiu belos crochês em vestidos e saias de cores cítricas. Nos acessórios,
bolsas ricamente bordadas com rendas e pedras.

Leopoldo Nóbrega, se baseou no jeans da região de Santa Cruz do Capibaribe, repetindo a passarela do Recife Fashion/Oi Fashion Tour Verão 2006. (Vide “No catwalk pernambucano”, matéria arquivada no Moda Brasil, coluna Recife Link).

A coleção de Evandro Viana foi inteiramente pautada nas cores da bandeira brasileira. O verde nas suas diversas tonalidades, imperou no desfile, presidido pelo uso do elastex.

Du Marques foi outro estilista que fez um “replay” da coleção exibida no último Recife Fashion,
um desfile que se resume em refinadas transparências.

Jailson Marcos, o designer de sapatos, surgiu com uma coleção mais comercial: “Pernas para que te quero”. Sandálias em couro, com propostas muito variadas, desde a rasteira até a mais sofisticada. As cores: azul, pink, verde, preto e dourado. A corda, juta e pedras, compuseram a cartela de materiais. Para fechar o desfile, o show da drag queen Gilka Brechó arrancou aplausos pela boa performance.

Bisa Nazarin homenageou a artista plástica olindense Maria Carmem e reverenciou o marrom, vermelho, laranja e preto.

Definido pela própria Carol Barreto, o resumo de sua coleção: “São as formas rígidas da alfaiataria em contraponto ao colorido das flores e a fluidez de formas alongadas e estampadas manuais”.

Ficha Técnica:

Direção geral: Vera Pontes
Direção dos desfiles: Romildo Alves

Serviço:

Em Recife, o telefone da diretora geral da Eko Promoções e Eventos, Vera Pontes, é (81) 960-47103. E o tel. da Officina de Texto é (81) 3465-2983, Ariane Costa.

*Thereza Franco é designer e produtora de Moda

* Diana Galvão é subeditora e editora Rio Moda Brasil.