assinatura Dener
Apresentação por Deise Sabbag
Breve trajetória de um mito
Recortes livro autobiográfico: "Dener, O luxo"
Croquis originais
Museu virtual - suas criações
Suas clientes, seus amigos
Livro de Assinaturas




 

 


DENER PAMPLONA DE ABREU

por Deise Sabbag

Ao abrir seu primeiro ateliê em São Paulo, quebrou um tabu, criando para socialites quando era moda mulher de bem vestir-se em Paris e quando no Brasil só existiam modistas que copiavam as criações francesas. Este foi o marco inicial da roupa brasileira com estilo próprio.

Dener foi o grande percursor da alta-costura brasileira: fugia da comodidade do copismo, desenhando para clientes de acordo com seu físico, idade, gosto e em consonância com o nosso clima tropical.

Como seu ídolo, Balenciaga, defendia o estilo clássico, de bases simples, embora nos modelos de festa e noiva recorresse a bordados suntuosos e a certa dramaticidade. Requinte a parte, realizava-se mesmo fazendo taieres bem cortados. Mesmo vivendo cercado de glamour, Dener demostrou ter visão também para o marketing e os negócios. Tanto que foi o primeiro estilista a usar a força da mídia para promover e divulgar seu nome e suas coleções. Com a mesma sensibilidade e inteligência, percebeu, nos anos 60, que era hora de lançar sua grife em produtos industrializados. Pálido, frágil, de gestos delicados e atitudes excêntricas, o costureiro despertou raiva e paixão. Dener, naquela displicente e bem dosada arrogância de retocador de Deus, embeleza as mulheres e enfurece os homens. Os homens, principalmente os recalcados, odeiam Dener e tudo o que o genial figurinista representava na frescura de sua masculinidade, escreveu o jornalista David Nasser. Quando o mundo começou a mudar, o dinheiro trocou de mãos e surgiu o noveau riche, sentiu os pilares da educação e elegância corretas que sempre defendeu, ruirem como castelos de areia.

Foi um golpe duro. Considerado o último dos românticos, começou uma triste derrocada voluntária. Morreu jovem, empobrecido e triste.

Identificando-se com a personagem de A Dama das Camélias, que tanto admirava, recusou-se a aceitar as regras de um mundo que fugia dos parâmetros que tinha estabelecido como ideais.


 

Breve trajetória de um Mito

1937- Nasce no dia 3 de agosto em Belém do Pará.

1948 - Inicia sua vida profissional na Casa Canadá, com apenas 13 anos.

1950 - Faz o vestido de debutante de Danuza Leão, que o apresenta a Ruth Silveira com quem vai trabalhar.

1957 - Com 21 anos, abre seu primeiro ateliê, na Praça da República.

1958 - Muda o ateliê para a aristocrática Avenida Paulista. Veste clientes famosas, inclusive a primeira dama, Sara Kubitscheck.

1959 - Ganha os prêmios de Agulha de Ouro e de Platina, no Festival da Moda, patrocinado pela Tecidos Matarasso Boussac.

Entre os concorrentes figurava até o costureiro Christian Dior. Após a morte desse criador, Dener foi convidado para dirigir a criação da maison francesa. Por motivos incertos recusou a oferta.

1962 - Dener é responsável pelo guarda-roupa da primeira -dama Maria Teresa Goulart.

1963 - Com o apoio da revista Manchete e Cia Brasileira de Tecidos Rhodiaceta e do Instituto Brasileiro do Café, Dener e outros estilistas lançam em conjunto a coleção Brazilian Look, com mais de cem modelos que foram apresentados na Europa.

1964 - Recebe a Palma de Ouro, no Festival Internacional da Moda, em Las Vegas, com um vestido de cauda rebordade de águas marinhas naturais.

1965 - Casa-se com uma de suas manequins, Maria Stela Splendore na época com 16 anos.

1966 - Nasce seu filho Frederico Augusto

Dener1967 - Nasce sua filha Maria Leopoldina

1968 - É criada a empresa Dener Difusão Industrial de Moda. Fica oficializada a criação da primeira grife de moda nacional.

1969 - Termina seu casamento com Maria Stela.

1970 - É o fim dos anos áureos da alta-costura. Transfere seu ateliê para a Al. Jaú. Estréia como jurado do programa Flávio Cavalcanti.

1971 - Transfere seu ateliê para a Al. Franca.

1972 - Lança o livro autobiográfico Dener, o Luxo, e o manual Curso Básico de Corte e Costura.

1973 - Uni-se a outros costureiros para formar as bases da Associação da Moda Brasileira, cujo objetivo seria lutar contra a evasão de divisas.

1975 - Casa-se com Vera Helena Pires de Oliveira Carvalho. Tranfere seu ateliê para R. Groelândia.
Dener

1976 - Separa-se de Vera, desativa seu ateliê e atende em sua casa algumas clientes fiéis da alta-costura.

1977- Vive tempos difíceis. Já doente, lança a coleção A Grande Valsa, inspirada no filme A Viúva Alegre.

1978 - Desgostoso com os rumos da moda, optou pelo exílio voluntário. Morre no dia 09 de novembro em São Paulo aos 41 anos.

 


Dener: O Luxo


Livro de DenerRecortes de seu livro autobiográfico lançado pela Editora Laudes, Rio de Janeiro, onde mistura realidade e fantasia para contar sua vida e trajetória profissional.

Eu estava decidido a inventar a moda brasileira, sabia que podia e não me faltava o talento de figurinista.

Devo muito à Casa Canadá que foi minha primeira escola. Até os 17 anos aprendi ali os grandes segredos da alta-costura, aprendi a diferença entre ser vedette e ser vulgar, aprendi a viver, usando a froça, para fazer o que me desse na veneta.

O que eu pude fazer para chocar e chamar a atenção eu fiz.

Dener

Há uma diferença grande entre mulher bem vestida, mulher chique e mulher elegante. Agora criei uma nova categoria: a mulher luxo.

Mulher luxo: quando aparece no salão, todos sabem que alguem chegou e não é a governante!

A mulher luxo é fora de série, hors concours. Criei essa classificação para acompanhar o desenvolvimento brasileiro.

Uma mulher luxo não lança, ela consagra a moda lançada pelas elegantes.

...agora nos exigimos mais, e por isso parece que o que temos é menos.

Como o brasileiro adora novidade e é vaidosíssimo, o resultado de sua melhora de vida são roupas mais caras.

A alta costura é o laboratório da moda de um país. A alta costura inspira os modelos, mexe a engrenagem de todo o mundo da moda, lança padrões, estilos. Nenhum país tem moda própria, se não tiver uma excelente alta costura.

O brasileiro só não compra roupas caras, se não tiver dinheiro. Fica sem comer, mas está pagando a prestação de suas camisas e dos vestidos da mulher. Quando não tem dinheiro, está doido para ter...para comprar roupas.




Croquis originais

Outros croquis de Dener...





Museu Virtual - suas criações

 

Para entrar no Museu Virtual clique nas imagens

 




Suas clientes, seus amigos  


Dener e cliente

Srª. Salma Antun
Com traje criado para a ocasião em que foi madrinha de casamento.
Vestido cor de pérola e o chapéu em tons que variavam do sulferino ao rosa.
Dener compareceu à cerimônia para presenciar o sucesso. Ele era o responsável por todo seu guarda roupa. Além de cliente era amiga e cúmplice nas ousadas criações que lhe eram propostas como o vestido ao lado.
Vários de seus trajes realizados por Dener podem ser vistos em nosso museu virtual.


Pierre


Pierre,
trabalhou com Dener durante 15 anos, tempo no qual de mordomo se tornou grande amigo.

Conta histórias maravilhosas do tempo vivido com o estilista e conserva com carinho um acervo pessoal de recortes e revistas onde Dener era notícia.