Moda jeanswear: muitas cores, muitos efeitos

Por Milene Macaroun*

Foi-se o tempo em que o jeans era somente azul. Foi-se, também, o tempo em que o tecido era trabalhado na lavanderia apenas com estonagem. Para a próxima temporada de Primavera / Verão a ordem é abusar das cores e de vários outros efeitos. Agora o jeans pode ter qualquer cor e ainda pode receber inovações que vão muito além daquelas que os consumidores já conhecem, permitindo o desbote em negativo, efeitos marmorizados, dirty, destroyed e até imitação de madeira e de pele de animal. Seguindo essa tendência mundial, a Santanense lança no mercado nacional novas possibilidades de tingimento e aplicação de aspectos diferenciados em seus tecidos através da lavanderia.

Saindo do tradicional tingimento de forma contínua, a Santanense desenvolveu tecidos que já vêm preparados para receber diversas possibilidades de lavagens. Assim, surgem peças inusitadas, que primeiro são confeccionadas para, depois de prontas, serem tingidas e trabalhadas com os vários recursos da lavanderia. "Após muitas pesquisas tecnológicas sobre a utilização de novos produtos químicos, a Santanense lança produtos que permitem a cada grife trabalhar suas peças de maneira diferenciada, de acordo com a criatividade do estilista, e ainda com a possibilidade de ter cores exclusivas", explica Eleonora França, Coordenadora de Produto e Vestuário da tecelagem. Além disso, os produtos utilizados nos processos de tinturaria estão melhores, possibilitando obter roupas mais maleáveis, confortáveis e com toque macio. "Os efeitos agora não deixam mais aquele aspecto encorpado e duro no tecido", acrescenta.

Sem a pretensão de ditar moda e sempre a favor da democratização fashion, a Santanense oferece em seu catálogo de Primavera/Verão - 2002/2003 um conjunto completo de informações e produtos de moda para que o consumidor sinta liberdade e segurança em suas escolhas. Entre os oito lançamentos para a próxima estação, destaque para o Ind-Color, uma sarja 100% algodão que inova no tingimento: ao invés do tradicional índigo, utiliza um corante especial, desenvolvido com exclusividade pela Santanense em parceria com uma indústria química. Com aparência semelhante ao jeans, o tecido é mais macio e confortável. Além disso, tecidos com toque emborrachado, empapelado, com aspecto de couro e efeito dirty fazem parte da linha de produtos da empresa.

Como resultado de suas pesquisas internacionais, a Santanense prevê para o Verão 2003 uma moda jeanswear renovada, que oferece diferentes tipos de pesos, misturas de fibras e construções, explorando novas opções de lavagens e novidades na estamparia de efeitos e acabamentos diferenciados. O novo conceito do jeans/fashion apresenta um tecido mais leve, macio, maleável e fácil de manusear no corte e costura e, ainda, que não precisa ser necessariamente azul. Por causa de todas essas inovações, da sofisticação e do conforto que esse tipo de tecido ganhou, o mix de produtos do segmento é cada vez maior, atingindo até os acessórios.

GLOSSÁRIO
Entenda melhor os conceitos do Jeanswear

TECIDOS

JEANS: é o nome dado a um estilo de confecção, caracterizado por estrutura reforçada que evidencia rebites e costura duplas. Antigo nome inglês do fustão em Sarja, também conhecido como Brim ou Denim.

ÍNDIGO BLUE: nome do tecido utilizado universalmente para calças jeans. Índigo se define como corante para calças jeans em tom de azul. O nome índigo faz referência a uma planta indiana chamada "indigus", que continha em sua raiz um corante azul usado, na época, como base para tingimentos nas tribos.

SARJA: tipo de construção do tecido, com destaque diagonal. Tecido básico e versátil que apresenta excelente caimento, ótimo aspecto após lavagem e combina com qualquer tipo de clima.

BRIM: tecido grosso, em sarja, geralmente de algodão, usado para confecção de calças, blusões, jaquetas, macacões, etc.

DENIM: tecido pesado de algodão cru ou com fios de urdume tintos em índigo e fios de trama brancos, muito usado para calças jeans. O nome Denim deriva da cidade francesa de Nimes; em inglês significa Brim.


LAVAGENS

STONE WASHED: acabamento obtido em peças já costuradas e tingidas ou estampadas, através da lavagem industrial das peças com pedras ou enzimas. Resulta em artigos com aspecto usado.

ESTONAGEM: processo de lavagem do artigo em tambores que levam junto as pedras de argila chamadas sinasitas. Durante a lavagem, as pedras entram em atrito com o artigo deixando-o com um aspecto batido, mais usado. Surge também o aspecto um pouco desbotado e amaciado.

DESTROYED: lavagem parecida com a estonagem, porém utiliza mais enzimas que corroem a fibra levemente, deixando um aspecto destruído, justificando assim a palavra destroyed, que no inglês significa destruído.

DÉLAVÉ: lavagem estonada com aplicação de clareamento e alvejante químico, deixando o tecido com um visual mais macio que o simples estonado.

DESGASTE LOCALIZADO: são acabamentos feitos peça a peça, com difícil reprodutibilidade entre as peças e efeitos diversos. Existem vários efeitos que se pode obter:
USED - uso de pistola para clarear uma parte determinada.
LIXADO - processo manual de abrasão com lixa na peça bruta para desgastar o tecido em local específico.
DETONADO - efeito com uso de esmeril dando picotes na peça antes de lavar, revelando, depois de lavado, marcas localizadas.
BIGODE - efeito imitando as marcações de tanque, feitas manualmente com uso de gabaritos e lixadas com retífica manual.

Milene Macaroun é jornalista e consultora para negócios da moda em Belo Horizonte.