Publicidade

 




Homenagem: O adeus para Helena Samara
09/11/2007
Escrito por: David Denis Lobão
Editado por: Cezar Jr.

Morreu nesta quinta-feira, aos 74 anos, Helena Samara, nome artístico da atriz Lia Kalme. Sua voz e seu talento foi emprestado para dublar personagens inesquecíveis, como a Dona Clotilde (“Chaves”), Tia Em (“O Mágico de Oz”), Kaede (“InuYasha”), Maureen Robinson (“Perdidos no Espaço”) e Tenente Uhura (“Jornada nas Estrelas - Clássica”).

Uma história de amor com Chaves

Dificilmente algum brasileiro nunca tenha escutado sua voz. Mesmo não tendo um rosto conhecido do grande público, Helena Samara eternizou seu trabalho como atriz dublando personagens de sucesso na televisão brasileira. De todos eles, a mais conhecida era uma senhora que viva sofrendo nas mãos das crianças que insistiam em chamá-la de bruxa.

Ainda nos anos 80, Helena começou a dublar nos estúdios do SBT a adorável Dona Clotilde (Angelines Fernandes), também conhecida como a Bruxa do 71 do seriado “Chaves”, criado por Roberto Gomez Bolaños (o Chespirito).

Helena nunca mais parou de dar vida para a personagem em sua versão brasileira. No total entre episódios inéditos e redublagens ela chegou a dublar mais de mil episódios dos seriados da linha “Chespirito” no Brasil, onde dava voz para todas as participações da atriz Angelines Fernandes, interprete da Bruxa e de tantos outros personagens em seriados como “Chapolin”, “Chompiras” e “Pancada”.

E foi justamente com a Bruxa do 71, que Helena se despediu do mundo da dublagem.  O último trabalho da atriz com o seriado foi redublando os episódios de Chaves para o mercado de DVD, onde fez todos os episódios de toda a coleção que será lançada. Helena também concluiu toda a dublagem da segunda fase da primeira temporada do desenho animado do “Chaves” (atualmente exibido aos domingos de manhã no SBT).

Curiosamente o último capítulo da primeira temporada do desenho é uma refilmagem do clássico “Acapulco”, um dos preferidos de Helena. Para os fãs de “Chaves” e “Chapolin”, Helena deixou seu presente: o respeito por todos eles. Mesmo com tantas mudanças de estúdios e problemas de bastidores ela nunca abandonou a personagem e junto com Carlos Seidl (Seu Madruga) e Marta Volpiani (Dona Clotilde) foi à única que participou de todas as dublagens dos seriados no país.

Para os fãs fica agora a lembrança de Helena como uma figura excepcional. Uma atriz que amava dar entrevistas, adorava falar com os fãs, participar de eventos e encontrar quem admirasse o seu trabalho. Sempre simpática e comunicativa esbanjava emoção ao falar de seus personagens e tratava todos eles com muito carinho.

“Eu amo todos os personagens que dublei”, declarou a atriz em entrevista que realizei para a revista Anime Kids. Quanto perguntei “todos mesmo?” ela respondeu “As Vovôs de ‘Dragon Ball’ e ‘Arnold’ são muito queridas, mas tem a Dona Clotilde né? Sempre a Dona Clotilde. Como esquecer aquela Bruxa e seu amor pelo Madruguinha?”.

Sim Helena, agora eu quem concordo totalmente com você, será impossível esquecer aquela Bruxa e seu impagável “Madruguinha”...

A carreira da nossa amável Bruxa

Helena Samara começou sua carreira de atriz ao lado da irmã, nos teleteatros da rádio Nacional. Um dos seus primeiros trabalhos foi como a Vilma, do desenho "Os Flintstones", Depois vieram inúmeros personagens de seriados clássicos como Maureen Robinson (“Perdidos no Espaço”), Tenente Uhura (“Jornada nas Estrelas”), Endora (“A Feiticeira”) e Amanda Bellows (“Jeannie É Um Gênio”), Cinnamon Carter (“Missão Impossível – A série”) e Yetta Rosenberg (“The Nanny”).

A dubladora nasceu em Belo Horizonte, e foi criada em São Paulo. Seu sobrenome artístico foi inspirado numa loja de tecidos localizada na rua 25 de Março, aonde sua mãe possuía uma loja. Seu nome tornou-se inesquecível entre os fãs do seriado “Chaves”, onde ela deu vida para a Bruxa do 71 em português.

Recentemente conquistou os fãs dos desenhos animados como Vovó Uranai (“Dragon Ball Z”), Kaede (“InuYasha”), Vovó do Arnold (“Hey Arnold!”), Professora do Doug (“Disney's Doug”) e Dorothy (“Efeito Cinderela”) . Seu último trabalho foi dublando a adorável Dona Clotilde da animação “Chaves”.

Helena morreu as 18h15 desta quinta, 8 de novembro de 2007, aos 74 anos de idade, por falência múltipla dos órgãos, choque cardiogênico e miocardiopatia isquêmica. A dubladora estava internada desde o dia 12 de outubro, no hospital Igesp, na Bela Vista (São Paulo), devido a um problema nos rins e no fígado, e posteriormente por arritmia cardíaca.

Entrevista com Helena Samara

Abaixo você confere parte da entrevista realizada com Helena Samara em 2003 para a revista Anime Kids.

David Denis Lobão – A senhora fez a Vovó Uranai em “Dragon Ball Z”, mais uma bruxa na sua carreira...

Helena Samara – É mesmo, devem achar que eu tenho cara de Bruxa (risos).

DDL – A Senhora gosta de dublar Bruxas?

HS – Eu gosto muito de dublar, não só bruxas, mas infelizmente não estão me escalando tanto atualmente.

DDL – E dos desenhos? O que a senhora mais gosta?

HS – Do carinho que os fãs deles nos trazem. De ir aos eventos e ser aplaudida, de pedirem autografo, de tirarem fotos. É uma troca muito gostosa, que faz bem. Adoro todos eles.

O adeus da cosplayer da Bruxa para a voz da sua personagem

Catia Villagrand ganhou fama como a ‘Bruxa do 71 brasileira’. Após fazer a fantasia da adorável personagem do seriado “Chaves”, a gaucha conseguiu se classificar para a final do campeonato YCC e tornou-se conhecida pelos fãs da série como a ‘cosplayer oficial’ da personagem no Brasil.

Catia ficou triste e abalada com o falecimento da dubladora que tanto inspirou suas apresentações. “Antes de fazer o cosplay da senhorita Clotilde assisti episódios, pesquisei na net e fiquei conhecendo o trabalho dela, Helena foi muito especial para mim pela sua historia de vida e por seus trabalhos, já que ela não era somente a dubladora da Bruxa do 71, ela era atriz de teatro e também dublou ‘Os Flintstones’, ‘Dragon Ball Z’... E por mais incrível que pareça me acho de aparência física parecida com ela”.

A cosplayer da Bruxa do 71 prestou homenagem para a dubladora em seu Fotolog e perfil do Orkut. “Fiquei muito triste quando soube ontem que ela havia falecido, mas o que me conforta é saber que estará com os outros amigos dela (dubladores do seriado “Chaves”) que já se foram”.

Catia deixa um aviso para os fãs de “Chaves” a homenagem para a personagem e para a dubladora vai continuar. “Eu vou continuar apresentando o cosplay de Bruxa do 71 que considero meu cosplay da sorte, sempre que puder. Gostaria muito de estar em São Paulo para usar minha roupa de Bruxa do 71 e prestar minha ultima homenagem a esta pessoa ta especial para mim”, conclui a cosplayer do Rio Grande do Sul.

fotos: divulgação


Catia Villagrand
Produzido por ©YAMATO CORPORATION - Conteúdo por ©YAMATO EDITORA - Design por ©T2 Studio - 2004/2009
Copyright: Todos os direitos reservados - É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita da ZN Editora.