Publicidade

 




Game de estupro causa polêmica
24/03/2009
Escrito por: Tom Marques
Editado por: Tom Marques

Inicialmente produzido apenas para o mercado japonês, o game "Rapelay" foi lançado em 2006 pela produtora Illusion. Desde o fim do ano passado começou a ser vendidos em lojas do ocidente, como a Amazon britânica e agora já pode ser encontrada a versão pirata no comércio ilegal do centro de São Paulo.

O que chama tanta atenção no título é seu conteúdo promíscuo, onde o objetivo do jogador é estuprar uma mulher e logo após fazer o mesmo com suas filhas. O enredo repugnante do jogo tornou-se popular entre as comunidades de hentai (animação japonesa pornográfica).

Apesar de ser proibido na maioria dos países onde é lançado, o simulador de estupro pode ser facilmente encontrado na internet em compartilhadores de arquivos como "torrent" e programas p2p.

A existência do game já foi relatada ao Ministério Público Federal, que já está tomando as devidas providências para agir contra o comércio ilegal das cópias. “Se há locais estabelecidos no Brasil vendendo, nós vamos agir contra eles. Mas quase tudo é fruto de pirataria ou está difuso na internet para ser baixado. Os serviços de compartilhamento de dados não estão hospedados no Brasil nem são geridos por brasileiros“, diz o Procurador.

Imagens: Divulgação





Produzido por ©YAMATO CORPORATION - Conteúdo por ©YAMATO EDITORA - Design por ©T2 Studio - 2004/2009
Copyright: Todos os direitos reservados - É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita da ZN Editora.