Publicidade

 




Festa de 7 anos da Trash 80's
01/06/2009
Escrito por: David Denis Lobão
Editado por: Tom Marques

A palavra Trash, muitas vezes é relacionada a algo ruim. Eu não vejo assim, tanto que durante a época em que fui editor da revista Crash (Editora Escala) fiz questão de implantar uma seção com este nome. Ela entrevistava pessoas como um ex-Chiquitito, o ator que fazia o motorista do “Câmera Café”, o cantor Falcão e moça que participava quando criança dos programas “Gente Inocente” e no “Pequenos Brilhantes”.

Resumindo, na seção eu ressuscitava pessoas que ficavam na imaginação popular e que em algum momento podem ter feito coisas consideradas bizarras, bobas ou infantis em suas carreiras. Mas, o tempo passou, e hoje isto virou ‘cult’ (como diriam os intelectuais). Gente que caiu na imaginação e na memória popular.

Assim vejo o termo “Trash”, como algo positivo, que serve para nomear algo legal, que já marcou moda e que hoje voltou a tona com outro sentido. Mas nem por isto menos divertido, apenas diferente. Ou vai me dizer que a moda e os cabelos ditados por Madonna e Cher nos anos 80 não podem ser considerados Trash?

Por isto a ideia de uma balada totalmente dedicada as músicas e a ‘cultura trash’ soa tão genial. E há sete anos foi fundada em São Paulo a festa “Trash 80’s” pioneira neste movimento que ganha cada vez mais adeptos.

E o seu sétimo aniversário é motivo SIM de muita comemoração, afinal está cada vez mais complicado manter uma baladinha noturna em São Paulo; seja pela fiscalização exagerada da prefeitura (que fechou vários estabelecimentos ano passado) até passado pelos excessivos custos (como os altíssimos valores cobrados pelo ECAD pelos direitos autorais das músicas tocadas).

A Trash 80’s faz sua festa semanalmente no Clube Caravaggio (Centro) e no Spazio (Vila Olímpia). Mas nenhum dos dois poderia comportar o grande público que esperava pela festa de sete anos da Trash 80’s e que compareceria em massa para prestigiar a data. Por isto a escolha da boate The Week foi tão perfeita. Além de bonita e espaçosa, a casa noturna paulistana é a cara do público da Trash, complemente eclético. Por lá circulam em uma mesma noite – e bem a vontade – heterossexuais, homossexuais, emos, góticos, idosos, jovens… Enfim, todos são bem vindos.

E como não poderia deixar de ser as músicas dos anos 90 também invadiram a festa com as aberturas de “Os Cavaleiros do Zodíaco”, “Maria do Bairro” e “Planeta Xuxa”. Quem sabe não é o caso de criar a festa “Trash 90’s” já? Ou então no aniversário de oito anos da balada convidar também cantores dos anos 90 como Larissa Tassi (cantora de “Cavaleiros do Zodíaco” e “Guerreiras Mágicas de Reyearth”) e Bianca Aguiar (ex integrante dos “Pequenos Brilhantes” e do “Gente Inocente”).

Na noite, o destaque foram os shows de Simony e Sergio Malandro, que mesmo cantando poucas músicas levaram o público ao delírio ao som de “Ursinho Pimpão” e “Lua de Cristal”. Além disto não faltaram também celebridades do ‘mundinho trash’ prestigiando o aniversário como convidados Vips, com destaque para Luciano Amaral (“Mundo da Lua”), Rita Cadilac, Nanny People e Evandro Santo, o Christian Pior do “Pânico na TV”.

Confira abaixo um vídeo da festa e veja mais fotos e vídeos da cobertura da festa no blog Cultureba.

Imagens: Aline Gonzalez

Produzido por ©YAMATO CORPORATION - Conteúdo por ©YAMATO EDITORA - Design por ©T2 Studio - 2004/2009
Copyright: Todos os direitos reservados - É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita da ZN Editora.