CHARLES M. PHELAN
ATUALIZAÇÕES AOS DOMINGOS 

O AUTODIDATA AMERICANO

Dizem na América que a história se repete e as coisas do mundo mudam. Em 12 de fevereiro de 1809, no Estado do Kentucky, nasceu um dos presidentes mais adorados de toda história americana. A América muda para melhor.

O começo humilde não impediu Abraão Lincoln de conquistar o mais importante cargo público da América. A Presidência da República. Filho de Thomas Lincoln e Nancy Hanks Lincoln, Abraão cresceu nas fazendas do Estado de Kentucky onde o pai trabalhava como carpinteiro e ajudava na lavoura. A vida difícil levou a família Lincoln a se mudar com freqüência. Primeiro de fazenda para fazenda, e mais tarde de Estado para Estado. Em 1816, aos sete anos, Abraão Lincoln e sua família estabeleceram residência na fronteira do Estado da Indiana. Naquele ano Abraão e a irmã iniciaram seus trabalhos no campo. O trabalho era duro e Abraão chegou a se manifestar para o pai que não gostava do trabalho braçal. Surge a partir desta revelação uma fome incessante pelo conhecimento.  Abraão é incentivado pela mãe, que embora analfabeta, a buscar conhecimentos estudando sozinho.

Aos nove anos, e vivendo em completo estado de pobreza, Abraão perde a mãe. Dois anos após a morte da esposa o senhor Lincoln resolve se casar. Foi a madrasta de Abraão que consolidou o interesse do pequeno Lincoln pelo estudo. Ela começou a percorrer as fazendas e depois as cidades em busca de livros emprestados. Com o aumento do conhecimento, o jovem Abraão ficou mais confiante e não dependia mais do trabalho braçal.

A família se mudou novamente. Desta vez para o Estado do Illinois. Lá, Abraão trabalhou em uma loja na, então, nova capital de Springfield. O contato com os clientes permitiu que ele desenvolvesse sua oratória. Em 1834, aos 25 anos, e com um discurso polido, Abraão Lincoln se envolve na arena política e no estudo do direito. Torna-se neste mesmo ano congressista eleito. Abraão envolve-se em um relacionamento sério e casa-se com Mary Todd, em 1842. Começa a jornada para se tornar o 16º presidente dos Estados Unidos.

Havia finalmente chegado a hora. Após advogar por alguns anos, Abraão Lincoln foi eleito para o Senado pelo Partido Republicano em 1858. Dois anos após sua ida para o Senado, Lincoln se torna o candidato à  presidência e vence as eleições por uma pequena margem de votos. Abraão Lincoln é lembrado pelo carinhoso epíteto de “Abraão, o honesto”.

Mesmo com todas as dificuldades venceu nas urnas e no coração dos americanos. Foi um homem simples, de origem humilde, que conquistou o povo usando o discurso do povo, para o povo. Foi autodidata e competente. Provou que bom senso e liderança não estão limitados somente aos privilegiados que possuem canudos universitários. Vocês conhecem alguém assim como Abraão? Um autodidata que se tornou presidente?    

 

CHARLES M. PHELAN

EMAIL: charlesmp99.hotmail.com

  .::HOME::.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

EDITORIAS

Cotidiano

Economia

Esporte

Polícia

Política

Regional

Universo

OPINIÃO

Cid Augusto

Editorial

Emerson Linhares

Emery Costa

Giro pelo Estado

Laíre Rosado

Neto Queiroz

Notas da Redação

Paulo Pinto

Rubens Coelho

Sérgio Chaves

Sérgio Oliveira

COLUNAS TEMÁTICAS

Cinema em Foco

Direito em Pauta

Comentário Econômico

Mundo Digital

Nossa História

Tio Sam

CIDADES

Areia Branca

Assu

Caraúbas

Macau

Médio Oeste

Pau dos Ferros

Umarizal

Vale do Apodi

SUPLEMENTOS

Empresa

Escola

Mais TV

EDIÇÕES ANTERIORES

ESPECIAIS

Chacina Prefeito

Barragem Santa Cruz

Vingt Neto

O JORNAL

Assinatura

Expediente

Histórico

Painel do Leitor

SERVIÇOS

102 ON-LINE

BANCO DO BRASIL

CAERN

CAIXA ECONÔMICA

COL. MOSSOROENSE

CORREIOS - CEP

COSERN

DETRAN

DICIONÁRIO ON-LINE

ESAM

FOLHA DIRIGIDA

GOVERNO DO ESTADO

HORÓSCOPO

IDEC

INDICADORES

RECEITA FEDERAL

TÁBUA DE MARÉS

TELEMAR

TRADUTOR ON-LINE

UERN

UFRN

 

 

 

 

 

 

ENQUETE

Na sua opinião o principal problema do Brasil é?
Desemprego
Fome
Segurança
Educação
Saúde
Votar
resultado parcial...

 

 

 

 

 

 

Mossoró-RN, domingo, 3 de novembro de 2002