Contas de água de outubro geram reclamações

As novas tarifas cobradas pela Companhia de Águas e Esgotos do Rio Grande do Norte (CAERN) ainda vêm causando muita confusão. Os consumidores não concordam com os valores e a cada dia é grande o número de pessoas que procuram os escritórios da companhia para refaturar suas contas mensais.

Pessoas que pagavam entre R$ 15,00, R$ 20,00 e R$ 30,00 por mês estão sendo surpreendidas com valores que ultrapassam a marca dos R$ 100,00. É o caso da aposentada Francisca Maria da Silva, 68 anos. Ela foi uma das cerca de 30 pessoas que procuraram o escritório da Caern no Alto de São Manoel, ontem à tarde, para reclamar.

“Minha conta veio R$ 96,00. Se eu pagar um valor desse meu dinheiro vai embora quase todo”, reclama a aposentada, cuja tarifa foi baixada, depois de muita conversa, para R$ 78,00. “O pior é que deve ficar vindo esse valor, que é muito alto”, reclama.

Em média, a Caern, após novos cálculos feitos sob pressão dos consumidores, vem baixando de R$ 5,00 a R$ 15,00 por conta. Isso reflete a postura adotada pela empresa de não voltar atrás na nova tabela. Em audiência na Câmara Municipal, no mês passado, o diretor-administrativo da empresa, Rogério Bezerra Mariz, disse que queixas como essa continuarão e que a Caern não pode mais ceder.

Segundo ele, quem quiser pagar menos terá que economizar muita água. A Caern decidiu adotar uma nova estrutura tarifária depois do registro de inúmeras reclamações na Justiça, quando clientes prejudicados pelo sistema de cobrança da empresa não aceitavam pagar tarifa com base no tamanho do imóvel. O custo do metro cúbico de água tratada é R$ 1,497, portanto 10 metros cúbicos custam R$ 14,97.

As novas tarifas aplicadas em contas com vencimento em outubro são as seguintes: residencial social (para clientes de baixa renda) o valor permanece em R$ 3,02, para consumo de até 10 mil litros mensais. A tarifa seguinte, classificada por 101 temporária, será R$ 9,52 e a residencial normal será R$ 14,97, mesmo valor para imóveis na área rural. Todos terão limite de 10 metros cúbicos cada classe. Quem ultrapassar os 10 metros cúbicos pagará por cada metro R$ 1,76, se o excesso for de 11m até 15m. De 16 a 20 metros excedentes, o valor sobe para R$ 2,07 cada metro, e assim progressivamente.

ESGOTOS - Enquanto as companhias de saneamento em todo o país praticam uma tarifa de esgotos em torno de 80 a 100 por cento do consumo de água, com a nova estrutura tarifária a Caern adotou os seguintes percentuais: em sistema de esgoto do tipo convencional, a empresa calcula 70% quando o consumo de água é até 10 metros cúbicos e 80% para excessos. Quando o esgoto é do tipo condominial, o percentual cobrado será de 50% para consumo até 10 metros cúbicos e 60% para os excessos.

 .::HOME::.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

EDITORIAS

Cotidiano

Economia

Esporte

Polícia

Política

Regional

Universo

OPINIÃO

Carol Fernandes

Cid Augusto

Editorial

Emery Costa

Giro pelo Estado

Laíre Rosado

Notas da Redação

Paulo Pinto

Pedro Carlos

Sérgio Chaves

Sérgio Oliveira

COLUNAS TEMÁTICAS

Assuntos do Comércio

Cinema em Foco

Direito em Pauta

Comentário Econômico

Mundo Digital

Nossa História

Charles Phelan

CIDADES

Alexandria

Areia Branca

Assu

Caraúbas

Macau

Médio Oeste

Patu

Pau dos Ferros

São Miguel

Umarizal

Vale do Apodi

SUPLEMENTOS

Empresa

Escola

Mais TV

EDIÇÕES ANTERIORES

ESPECIAIS

Chacina Prefeito

Barragem Santa Cruz

Vingt Neto

O JORNAL

Assinatura

Expediente

Histórico

Painel do Leitor

SERVIÇOS

102 ON-LINE

BANCO DO BRASIL

CAERN

CAIXA ECONÔMICA

COL. MOSSOROENSE

CORREIOS - CEP

COSERN

DETRAN

DICIONÁRIO ON-LINE

ESAM

FOLHA DIRIGIDA

GOVERNO DO ESTADO

HORÓSCOPO

IDEC

INDICADORES

RECEITA FEDERAL

TÁBUA DE MARÉS

TELEMAR

TRADUTOR ON-LINE

UERN

UFRN

 

 

 

 

 

 

ENQUETE

Você concorda com o programa Fome Zero?
Sim
Não
Votar
resultado parcial...

 

 

 

 

 

 

Mossoró-RN, de 2003