EDITORIAS

:: Cotidiano

:: Economia

:: Esporte

:: Polícia

:: Política

:: Regional

:: Universo

OPINIÃO

:: Notas da Redação

:: Laíre Rosado

:: Emery Costa

:: Sérgio Oliveira

:: Bruno Barreto

:: De Olho na Mídia

:: Notícias do Interior

:: Giro pelo Estado

SOCIAIS

:: Paulo Pinto

:: Carol Fernandes

:: Clickvip

:: Clube do Vaqueiro

SOCIAL-CIDADES

:: Alexandria

:: Almino Afonso

:: Apodi

:: Areia Branca

:: Assú

:: Caraúbas

:: Macau

:: Patu

:: Pau dos Ferros

:: São Miguel

:: Umarizal

O JORNAL

:: Assinatura

:: Expediente

:: Histórico

:: Painel do Leitor

TEMPO

 

COTAÇÕES

 

 

 

UM SISTEMA VIÁRIO ESTRANGULADO

Qual é a cena mais comum que se vê nas ruas de Mossoró nos dias atuais? São ruas e mais ruas, estradas e mais estradas, avenidas e mais avenidas, cada vez mais abarrotadas de veículos. O que se vislumbra é um sistema viário que caminha célere para alcançar o ponto de saturação. Milhares de veículos são incorporados à nossa frota a cada mês ocupando uma estrutura urbana que nós identificamos como arcaica não projetada para receber esse quantitativo adicional de veículos sinalizando que está mesmo muito próximo o dia em que tudo ficará paralisado. Essa é a realidade de hoje em Mossoró gerada pela ausência de um plano viário continuado que constata que não há espaço físico para o escoamento já comprometido. Todo esse cenário está funcionando como  uma forma de desafio às nossas autoridades para que estas apressem as providências e medidas capazes de disciplinar isso que se está vendo por aí. O que se vê é que nossa cidade não foi planejada para acolher uma sociedade que é dominada pelo automóvel. As soluções implicam em verdadeiras cirurgias urbanas que desembocariam em desapropriações de custo elevado e que terminarão  chegando na mesa da Justiça, como já ocorreu  com muitos projetos de urbanização. Francamente, a curto prazo não enxergamos quaisquer soluções para este caos generalizado.

SUPLENTE

O PR tem novo suplente de vereador em Mossoró.  Explico: com a saída de Gérson Nóbrega e Pedro Eugênio, que pediram desligamento desse partido, foi a vez de ascender à condição de primeiro suplente dessa agremiação na Câmara Municipal e ele é Alberto Néo.

DEMAIS

Vamos a uma amenidade fora do contexto. Mas, vale a pena. Certa vez o padre José Venturelli (uma espécie de vigário auxiliar em Areia Branca) chegou na Rádio Rural e me deu a notícia de caráter bombástico dizendo que a procissão de N. S. dos Navegantes não seria realizada por questões de segurança. Eu, claro, coloquei a notícia. Logo no mesmo dia, à tarde, me chega o outro padre areia-branquense, Bernardo Roana, que era o vigário titular da salinésia. Este me perguntou: - "de onde você tirou essa notícia?" Eu respondi: - "quem me disse foi o padre José Venturelli". E o padre Bernardo Roana encerrou o papo: -  "Esse padre está conversando demais".

“BOOM”

O chamado “boom” imobiliário em Mossoró não dá tréguas e não está para brincadeiras. No bairro Nova Betânia os edifícios residenciais estão surgindo à razão de quase um a cada dia. Um deles agora vem ali no local onde antes foi uma residência do "Galego do Tempero Regina", imediações do conjunto Inocoop.

VELÓRIOS

Tem uma empresa funerária ávida por locar um imóvel no bairro Nova Betânia para situar neste local um centro de velório. Vem daí o motivo da rejeição por parte de todos os proprietários de imóveis e de imobiliárias.

ALUGUÉIS

E ressalte-se que os valores dos aluguéis estão sendo ditados por estas empresas que promovem velórios e são valores convidativos. Mas, ninguém topa e ainda dizem: - "Deus nos livre".

GESTÃO

Depois das vitoriosas experiências em Natal e Mossoró a UnP estará chegando hoje a Pau dos Ferros com o seu curso de MBA de Gestão de Pessoas. Uma mesa-redonda assinalará a abertura com empresários da região e professores da própria UnP.

SEMINÁRIO

Hoje e amanhã a comunidade católica Shalom, missão de Mossoró, vai realizar um Seminário de Vida no Espírito Santo. Eles costumam ser o início de uma caminhada de grupos católicos dentro do Shalom.

ADVERTÊNCIA

Pela Rádio Rural ouço um programa específico onde um médico aconselhava os homens a partir dos 40 anos de idade a fazer periodicamente o exame de toque retal. E concluí: - "estou 25 anos atrasado".

PORCINO

As obras de construção da nova sede da Casa Porcino à avenida Rio Branco, imediações do Teatro Dix-huit Rosado, seguem em ritmo acelerado. Esta loja será inaugurada no próximo mês e vai se chamar de Casa Porcino Mall.

TERCEIRIZADOS

O número já conhecido impressiona, em tudo por tudo. As empresas terceirizadas do setor do petróleo são responsáveis no RN por empregos que totalizam de 12 a 15 mil vagas.

ESCULHAMBANDO

Uma cena de baixaria. Um secretário municipal foi ouvido numa mesa de bar no restaurante Candidu's, depois de ingerir "umas e outras", esculhambando a bancada do "Observador Político". Já pensaram?

KYDELMIR

Escreve-me o "cangaceiro" Kydelmir a propósito de uma nota inserida aqui dizendo que como resultado dos royalties da Petrobras havia poucas obras de vulto em Mossoró. E eu citei o Ginásio Pedro Ciarlini e o Teatro Dix-huit Rosado.

PARCERIAS

"Menas" a verdade. Adianta Kydelmir que os investimentos nestes verdadeiros monumentos de Mossoró foram resultantes de parcerias entre a Petrobras e os governos estadual e municipal. Nada de royalties.

ROYALTIES

Ontem o vereador Lahyrinho Rosado informou no "Observador Político" que no último ano do governo Rosalba foram arrecadados quase 57 milhões de reais em royalties. E nos quatro anos do primeiro governo de Fafá, mais de 100 milhões de reais. E essa dinheirama toda foi pra onde?

EX-FUMANTE

O professor Lúcio Ney de Souza assinala que já é de fato e de direito um ex-fumante. E agradece, entre outros, a esse colunista, pela contribuição que dei para que ele chegasse a esse objetivo. Muito bem, Lúcio.

SUPLENTES

São quatro os suplentes do PR que estão se bandeando para o PTB. São eles: Pedro Eugênio, Gérson Nóbrega, Carlinhos Silveira e Paulo Fernandes, todos com expressivas votações no último pleito.

AUSÊNCIA

Uma falta sentida e injustificável. A prefeita Fafá Rosado não foi nem mandou representante à audiência pública que discutiu os investimentos da Petrobras em Mossoró e região. Tem justificativa uma coisa dessas?

 

 

Copyright,© 2000-2006 - Editora de Jornais Ltda - Todos os direitos reservados
Site melhor visualizado em 800x600

contador, formmail cgi, recursos de e-mail gratis para web site