Klever Kolberg e Equipe Valtra no Facebook Klever Kolberg e Equipe Valtra no Twitter
Klever Kolberg e Equipe Valtra no You Tube Klever Kolberg e Equipe Valtra no Flickr
Mitsubishi Pajero Sport Flex – Rally Dakar 2010 – Argentina Chile
Uma máquina para comprovar a eficiência do etanol brasileiro
Mitsubishi Pajero Sport Flex 2010 do Valtra Dakar Eco Team mantém motor original e parte com a missão de concluir o maior rally do mundo com foco na sustentabilidade

O veículo escolhido pelo Valtra Dakar Eco Team para representar o conceito de tecnologia limpa e sustentável do etanol 100% brasileiro é o recém-lançado Mitsubishi Pajero Sport Flex 2010, cujo motor V6, de 3.500 cm³ de cilindrada e 205 cavalos de potência - que pode funcionar com etanol ou com gasolina, ou com a mistura de ambos em qualquer proporção -, será mantido praticamente original. As únicas alterações no propulsor em relação aos dos veículos de série serão a substituição do sistema de escape por um com saída lateral, como exige o regulamento da FIA - Federação Internacional do Automóvel - e a reprogramação da unidade de gerenciamento eletrônico da ignição e da injeção de combustível, efetuado em parceria com a Magneti Marelli, fornecedora do componente original. A opção de funcionar a gasolina foi preservada até mesmo para o caso de um imprevisto; assim, será possível reabastecer com gasolina em um dos pontos de apoio às motos e quadriciclos, que são autorizadas a completar o reservatório durante as especiais. Entretanto, se isso acontecer, o Pajero da equipe Valtra Dakar Eco Team será transferido para a categoria T1.

Carro

"O Dakar é uma competição, mas também é uma viagem. E o objetivo é provar que um carro comercial pode chegar até o final do desafio", afirma o piloto Klever Kolberg. "Me incomoda não andar no mesmo ritmo dos outros competidores, mas nesta primeira experiência não estaremos com o foco na competição, mas sim em provar que um veículo de série movido por etanol pode completar a prova sem problemas", finaliza. "Nosso objetivo é levar o carro até o final e mostrar que é viável usar este tipo de combustível nestas competições", emendou o navegador Giovanni Godoi.

"O carro foi comprado em uma concessionária, emplaquei como qualquer veículo normal e o levei para a oficina para iniciar a preparação", revela Klever. Depois de retirados os bancos, forrações e acessórios, e instalada a estrutura de aço tubular (santantonio) no interior da carroceria - que protege os ocupantes contra colisões e capotamentos, além de dar mais rigidez ao chassi -, o trabalho se concentrou na transmissão, suspensões, freios, tanque de combustível e segurança.

Por conta de o Mitsubishi Pajero Sport Flex ser oferecido apenas na versão automática, a primeira alteração foi substituir a caixa de câmbio hidráulica pela de acionamento manual, original do modelo disponível no Japão.

Na traseira, o sistema de suspensão com eixo rígido, molas helicoidais e barra estabilizadora foi mantido, mas os amortecedores foram substituídos pelos Öhlins especiais para competição. Na dianteira, o conjunto original - independente, com braços triangulares duplos, e barras de torção e estabilizadora - foi mantido, mas os amortecedros também foram substituídos por Öhlins, como nas picapes Mitsubishi L200 RS (exclusiva para competição), de arquitetura semelhante, mas com componentes super reforçados. Em cada roda, foram instalados dois amortecedores.

No sistema de freios, os discos das quatro rodas foram trocados pelos de 16" da Fremax (mesmo fornecedor da Stock Car), desenvolvidos exclusivamente para a prova, e mantidas as pinças originais de dois pistões.

Ao longo dos nove mil quilômetros previstos no percurso deste ano, o Valtra Dakar Eco Team terá a disposição um lote de 50 pneus Pirelli Scorpion A/T, contendo três especificações diferentes, que serão escolhidos de acordo com o pavimento de cada trecho - areia, terra, pedra ou cascalho.

Para que o veículo tivesse a autonomia de 800 quilômetros exigida pelo regulamento do Dakar, a capacidade do reservatório de combustível teve de ser aumentado dos 90 litros originais para 560. Para isso, o recipiente de fábrica foi retirado e, dentro da própria carroceria, foi construído, sob medida, um tanque de kevlar (fibra de carbono), à prova de colisões e vazamentos.

Por fim, vieram os sistemas contra incêndio, com extintores dedicados separadamente ao compartimento do motor e ao habitáculo.

Ficha técnica
Modelo: Pajero Sport Flex 2010
Fabricante: Mitsubishi Motors
Preparador: Rally Brasil

Motor:
Tipo: seis cilindros em V, 3.497 cm3, 24 válvulas, SOHC
Potência: 205 cv a 5.000 rpm
Torque: 33,5 kgfm @ 3.500 rpm
Alimentação: injeção eletrônica multipointo sequencial Magneti Marelli
Lubrificantes: Mobil

Freios:
Dianteiro - discos ventilados Fremax 16", pinças (originais) com 2 pistões
Traseiro - discos sólidos Fremax 16", pinças (originais) com dois pistões

Suspensão
Dianteira - independente, braços triangulares duplos, quatro amortecedores Öhlins, barra de torção e barra estabilizadora - sistema extraído da L200 RS e específico para competição. Traseira - eixo rígido, dois amortecedores Öhlins com molas helicoidais e barra estabilizadora.
Rodas: Liga leve, 17" x 7"
Pneus: Pirelli Scorpion A/T 255/65 R17

Dimensões:
Comprimento: 4.720mm
Largura: 1.780mm
Altura: 1.850mm
Rodas: 7" X 16"
Transmissão: Mecânica, cinco velocidades
Tração 4X4, com reduzida
Peso bruto: 1.980 kg

Desempenho:
Velocidade Máxima: 180 km/h

Comandado por Klever Kolberg (piloto) e Giovanni Godoi (navegador) no Rally Dakar 2010, o Valtra Dakar Eco Team é patrocinado por Valtra, BASF, Mitsubishi, Cosan, Unica, Pirelli, Fremax e Magneti Marelli, e apoiado por Artfix, Sparco e Waiver.
Klever Kolberg e Equipe Valtra no Facebook Klever Kolberg e Equipe Valtra no Twitter Klever Kolberg e Equipe Valtra no You Tube Klever Kolberg e Equipe Valtra no Flickr
www.parisdakar.com.br
2001 - 2011. Todos os direitos reservados. Favus | Design For Business