Klever Kolberg e Equipe Valtra no Facebook Klever Kolberg e Equipe Valtra no Twitter
Klever Kolberg e Equipe Valtra no You Tube Klever Kolberg e Equipe Valtra no Flickr
Protótipo T-Rex no Rally dos Sertões 2013
O carro a ser conduzido por Kolberg no Rally dos Sertões 2013 é o protótipo T-Rex, da equipe Mobil MEM Motorsport, que participa do Campeonato Brasileiro de Rally Cross Country tendo como piloto Marcos Moraes, diretor-presidente da Dunas Race, organizadora do Rally dos Sertões. O carro é equipado com um motor MWM MaxxForce 3.0HS Turbo Diesel Intercooler, um quatro cilindros que foi preparado para desenvolver 240 cavalos de potência.

Também alinhado com o objetivo de preservação do meio ambiente, o T-Rex vai utilizar o lubrificante Mobil Super Ecopower, que proporciona melhor desempenho em motores de última geração, ainda mais em condições severas de utilização, como durante uma competição como o Rally dos Sertões. Ele reduz o consumo de combustível, diminuindo ainda mais a emissão de CO2.

T-Rex
  • Chassis Tubular;
  • Carroceria de Fibra de vidro;
  • Motor MWM 3.0 Turbo Diesel Intercooler, 4 cilindros, 12 válvulas, DOHC;
  • Potência/Torque: 240CV / 3300 rpm, 69 kgfm / 3000 rpm;
  • Transmissão: Sequencial 5 velocidades, 4x2, 4x4;
  • Suspensão: Independente das 4 rodas;
  • Direção: Hidráulica com caixa rápida;
  • Freio: Sistema hidráulico duplo, discos nas quatro rodas;
  • Rodas: Alumínio / Silício
  • Pneus: 235/85 – aro 16


Equipe Rally dos Sertões 2013


No Rally dos Sertões 2011 o carro do Valtra Dakar Eco Team será o mesmo Protom by ProMacchina utilizado em 2010, mas com várias evoluções.
Protótipo Protom By ProMacchina – Rally dos Sertões 2011

A própria ProMacchina, que projetou e construiu o carro, também foi a responsável pelas atualizações. O motor fez muita musculação. O Mitsubishi V6 3.5 Flex foi substituído por um da mesma marca, também V6, mas 3.8 Mivec, elevando a potencia de 220 hp para 260 hp.

Completando o Powertrain, continua o mesmo cambio e caixa de transferências originais da Pajero 3.5 mecânica. Também foram mantidos os mesmos diferenciais dianteiros e traseiros da Pajero Full, mas recebem um sistema de blocante para aumentar a performance e resistência.

As suspensões dianteiras e traseiras são as mesmas, independentes, utilizando os agregados e componentes da Mitsubishi Evolution, carro de chassi tubular que era produzido para competição. Cada roda conta com dois amortecedores Baratc, mas com a o nova configuração steep 3. As rodas foram modificadas e trocado o fornecedor, para as italianas Evo Corse, da qual a ProMacchina passa a ser representante no Brasil.

Outras evoluções foram realizadas para diminuir peso e também melhorar a distribuição das massas. Mas as modificações mais visíveis serão as visuais.

O carro continua utilizando o cockpit e gaiola de um Mitsubishi L200 RS. Já a frente mudou bastante. O Protom recebeu nova grade e um novo conjunto ótico, com mudança também no capo, permitindo maior funcionalidade no acesso aos componentes mecânicos.

Também ficará visível a eliminação no snorkel (tubo de tomada de ar que partia do motor, acompanhava o pára-brisa e terminava no teto. O sistema de tomada de ar foi bastante modificado, visando melhorar o fluxo de entrada de ar e ao mesmo tempo evitar o pó e água característico dos cenários por onde um rally passa.

Na traseira as novidades são importantes. A posição dos estepes foi modificada, possibilitando uma redução no comprimento da caçamba, diminuindo o peso suspenso, centralizando os volumes e melhorando o ângulo de saída.

"O ambiente da competição é assim. Em constante evolução. O carro de 2010 estava fantástico e seria uma segurança não modificar nada. Mas não podíamos ficar nesta zona de conforto. O automobilismo é feito também de ousadia e inovação. Tudo foi desenvolvido com calma, e o que é mais importante, testado. Mas também é preciso ter sorte. E nossa concorrência é forte, de qualidade e em grande quantidade. Nosso objetivo é ter um carro mais leve, mais estável e mais rápido do que o utilizado no Sertões 201º, vamos ver se também é resistente", comentou Klever.

Como no Rally dos Sertões 2010, a ProMacchina, oficina chefiada por Mauricio Neves, também será responsável pelo apoio mecânico durante a prova.

Configuração padrão para os principais pontos do carro:
Motor: Mitsubishi 3.8 – V6 Mivec
Eletrônica programável de competição
Ventoinha dupla elétrica com sistemas individuais de acionamento
Potência: 260 HP/5500 RPM
Cambio e caixa de transferência Mitsubishi com opções de tração 4x2, 4x4, 4x4 bloqueado e 4x4 reduzido
Diferenciais com blocantes
Embreagem multidisco para até 100 kilos de torque
Tanque: 300 L para autonomia de 400 km em ritmo de competição
Sistema duplo para bombas de combustível
Suspensão independente dianteira e traseira
2 amortecedores Baratec steep 3 por roda
Freio a disco nas 4 rodas
Macaco Hidráulico
Velocidade Máxima: 180 km/h
Peso bruto: 1.875kg
Comprimento: 4.460 mm
Largura: 1.990mm
Altura: 1.850mm
Base: 2.900mm
Rodas: 7" X 16"
Chapão protetor inferior
Pranchas de desencalhe
Gaiola de segurança padrão FIA

Carro


Klever Kolberg e Equipe Valtra no Facebook Klever Kolberg e Equipe Valtra no Twitter Klever Kolberg e Equipe Valtra no You Tube Klever Kolberg e Equipe Valtra no Flickr
www.parisdakar.com.br
2001 - 2011. Todos os direitos reservados. Favus | Design For Business